USO DE DIFERENTES ESTRATÉGIAS NA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS

Maria Madalena Dullius, Ana Paula Krein Müller, Vanessa Paula Reginatto, Júlia Weber Ferreira da Silva

Resumo


O estudo da matemática tem, se mostrado cada vez mais desgostoso por parte dos estudantes que aparentam desmotivados quando precisam resolver problemas referentes à disciplina. Muitos alegam que, pela necessidade de chegar à perfeição com cálculos e fórmulas, o conteúdo se torna difícil e tedioso. Assim, perguntamo-nos: E esse problema tem solução? Neste artigo apresentamos os resultados de uma investigação sobre a exploração de diferentes estratégias de resolução de problemas como um meio de se chegar a uma solução. Para chegarmos a esse quadro, realizamos intervenções com estudantes do 5º ano do Ensino Fundamental em quatro escolas do Vale do Taquari. Aplicamos questionários nos quais os estudantes deveriam resolver os problemas de forma aleatória, sem terem a obrigação do uso do cálculo formal, que é normalmente empregado pelos mesmos por ser o mais exigido e ensinado. A partir da resolução desses problemas, analisamos e elencamos em categorias cada uma, separando os acertos dos erros.  Como resultados, observamos que muitos estudantes preferem não apresentar o desenvolvimento da resolução, apenas marcam a opção que acreditam ser coerente, e desses, grande parte não obteve êxito. Alguns ousaram mais e fizeram tabelas e desenhos como forma de resolução, e desses, todos acertaram. Concluímos que é muito importante para o estudante saber refletir e pensar sobre o que ele está fazendo ao invés de copiar mecanicamente o que o professor ensina, e aqueles que passaram a ousar com diferentes meios para a resolução de seus problemas também se sentiram mais motivados a continuar aprendendo.

Palavras-chave


Ensino da Matemática; Diferentes Estratégias; Resolução de Problemas

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Rose Mary Fernandes. Uma análise da produção escrita de alunos do Ensino Médio em questões abertas de Matemática. Londrina, em 2006. Disponível em Acesso em: 23 nov. 2013.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998.

CAVALCANTI, Cláudia T. Diferentes Formas de Resolver Problemas. In: SMOLE, Kátia Stocco; DINIZ, Maria Ignez. Ler, escrever e resolver problemas: Habilidades básicas para aprender matemática. Editora Artmed: Porto Alegre, 2001.

DANTE, Luiz Roberto. Didática da Resolução de Problemas de Matemática. Editora Atica. 2002.

DANTE, Luiz Roberto. Formulação e resolução de problemas matemáticos: teoria de prática. Editora Ática. 2010.

FURLANETTO, Virginia. Explorando Estratégias Diferenciadas na Resolução de Problemas Matemáticos. Publicado em BDU – Biblioteca Digital da UNIVATES (http://www.univates.br/bdu) em 2013.

GONÇALVES, Andreia Cláudia Jacinto. Desenvolvimento do sentido de número num contexto de resolução de problemas em alunos do 1º Ciclo do Ensino Básico. Mestrado em Educação e Especialidade em Didáctica Matemática, 2008. Disponível em . Acesso em: 14 jan. 2014.

POZO, Juan Ignácio (Org). A solução de Problemas: Aprender a resolver, resolver para aprender. Porto Alegre: Editora Artmed. 1998

SMOLE, Kátia Stocco, DINIZ, Maria Ignez. Ler, escrever e resolver problemas: Habilidades básicas para aprender matemática. Editora Artmed. 2001.

VALE, Isabel; PALHARES, Pedro; CABRITA, Isabel; BORRALHO, António. Os padrões no ensino e aprendizagem da álgebra. In: VALE, I. et al. (org.). Números e álgebra: na aprendizagem da matemática e na formação de professores. Portugal: Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação. Seção de Educação Matemática, 2006, p. 193-211.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Praxis

Campus Três Poços - Av. Paulo Erlei A. Abrantes, 1325 - Três Poços
Prédio 3 - Sala 2 (Casarão)
Volta Redonda - RJ - CEP: 27240-560
Tel.: (24) 3340-8400 – Ramal: 8350

Indexado em: