https://revistas.unifoa.edu.br/praxis/issue/feed Revista Práxis 2021-12-18T00:00:00-03:00 Ronaldo Figueiró ronaldo.pereira@foa.org.br Open Journal Systems Revista Práxis https://revistas.unifoa.edu.br/praxis/article/view/2632 EDUCAÇÃO PERMANENTE E SAÚDE MENTAL: o caso da condução de grupos em Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) 2019-08-19T21:58:31-03:00 Amanda Angonese Sebben amandaangonesesmo@gmail.com Sirlei Fávero Cetolin sirleicetolin@gmail.com O trabalho com grupos associado à área da saúde mental pode superar o aspecto da normalização do cuidado com pacientes com sofrimento emocional significativo. Este artigo objetiva identificar como quatro equipes de profissionais avaliam seu trabalho na condução de grupos nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), da Região de Saúde do Extremo Oeste de Santa Catarina. Realizou-se uma pesquisa qualitativa, sendo que os participantes foram doze profissionais que trabalham conduzindo grupos. Como resultados, identificou-se que o trabalho com grupos é desafiante, envolve mais pessoas e pode apresentar situações imprevistas no planejamento inicial dos profissionais. Tal fato necessariamente implica em domínio de técnicas e aprimoramento constante através da Educação Permanente para a realização das intervenções necessárias. 2021-12-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Práxis https://revistas.unifoa.edu.br/praxis/article/view/3369 Uma Engenharia Didática para o ensino de História da Matemática com o Google Meet durante a pandemia: relato de experiência 2020-06-05T09:40:19-03:00 Renata Passos Machado Vieira re.passosm@gmail.com Milena Carolina dos Santos Mangueira milenacarolina24@gmail.com Francisco Regis Vieira Alves fregis@gmx.fr Paula Maria Machado Cruz Catarino pcatarino23@gmail.com <p>O presente artigo retrata um estudo descritivo e qualitativo, com o objetivo de analisar as concepções dos estudantes do curso de Licenciatura em Matemática, durante as aulas na disciplina de História da Matemática no período de pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Assim, foi utilizada a Engenharia Didática, como metodologia de pesquisa, e a Teoria das Situações Didáticas, como metodologia de ensino, abordando assuntos contidos na ementa da disciplina, com o viés de tornar o estudante o protagonista do seu próprio conhecimento. Para isso, as aulas foram ministradas por meio do <em>Google Meet</em>, um recurso computacional o qual foi disponibilizado neste período de pandemia de forma gratuita. Contudo, analisaremos os pontos positivos e negativos dessas aulas, diante desse contexto.</p> 2021-12-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Práxis https://revistas.unifoa.edu.br/praxis/article/view/1265 Sequência didática investigativa como recurso pedagógico para ensinar sobre o Cerrado e os cupins 2019-11-06T09:08:35-03:00 Jullyanna Cabral De Moura juzinha_biologia@yahoo.com.br Marcelo Duarte Porto marcelo.porto@ueg.br Hélida Ferreira da Cunha cunhahf@gmail.com <p>O desinteresse dos estudantes brasileiros pela ciência sinaliza a necessidade de investigações sobre estratégias de ensino mais interessantes. Assim, o presente estudo teve como finalidade elaborar, aplicar e verificar as contribuições de uma sequência didática investigativa para ensinar sobre o Cerrado e os cupins. A pesquisa ocorreu com uma turma de 6º ano do ensino fundamental, de um colégio público, em Anápolis (GO). As atividades foram elaboradas de acordo com os três momentos pedagógicos: problematização inicial, organização do conhecimento e aplicação do conhecimento. Foram aplicadas seis atividades que totalizaram 15 aulas. Para a coleta de dados utilizou-se o questionário pré e pós-teste e uma entrevista em grupo. Os resultados demonstraram que a maioria dos estudantes apresentava concepções estereotipadas a respeito do Cerrado e dos cupins, mas isso diminuiu após a participação na sequência didática. A análise do grupo focal confirmou que as atividades contribuíram para a construção do conhecimento científico. <strong></strong></p> 2021-12-05T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Práxis https://revistas.unifoa.edu.br/praxis/article/view/3063 Reconhecendo processos simbólicos no ensino de enfermagem por meio de estudos em Representações Sociais 2020-05-07T20:15:20-03:00 Flávia Tocci Boeing Duarte flaviaboeing@hotmail.com Patrícia Fernandes lootens Machado pflmachado@gmail.com <p class="ENJIE-palavras-chave">Um dos pilares do curso de eenfermagem é o cuidar do ser humano, o que independe dos critérios subjetivos sociais. Todos tem o direito e merecem cuidao iagualitário. Por isso, este trabalho buscou reconhecer na humanidade de futuros enfermeiros Representaoes Sociais sobre a doença síflis, construída histórica e socialmente sobre signos de cunho moral e excludente. Com vistas a propor ação/reflexão em processos formativos de superacao desses valores simbólicos. Assim, o pecurso metodológico seguiu-se por aplicar questinarios de invetigacao de perfil de grupo e semiprojetivo sobre o tema síflis. Os dados foram tratados por meio do softwe <em>IRAMUTEQ,</em> bem como por meio da Análise Textual Discursiva, o que culminou no seguinte resultado: os estudantes demonstram que as ideias consensuais se organizam sob dois eixos, o informacional, indicando o que os sujeitos sabiam a respeito da sífilis e eixo representacional, indicando sentidos valorativos e estigmatizados.</p> 2021-12-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Práxis https://revistas.unifoa.edu.br/praxis/article/view/2968 AVALIAÇÃO DO USO DE OBJETO DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DA TAXONOMIA NORTH AMERICAN NURSING DIAGNOSIS ASSOCIATION (NANDA) 2020-04-27T12:46:21-03:00 Anicésia Cecília Gotardi Ludovino cecilialudo@hotmail.com Leonardo Feriato Moreira lmferiato@gmail.com Maria José Bistafa Pereira zezebis@eerp.usp.br Pablo Rodrigo Sanches psanches@gmail.com Silvia Sidnéia da Silva sssilva@unaerp.br Edilson Carlos Caritá ecarita@unaerp.br O estudo teve como objetivo avaliar o uso de um Objeto de Aprendizagem (OA) como apoio ao ensino da Taxonomia North American Nursing Diagnosis Association (NANDA) na realização do diagnóstico de enfermagem. Trata-se de estudo exploratório-descritivo, com abordagem quantiqualitativa, realizado com alunos de graduação em Enfermagem de uma instituição de ensino superior privada do interior mineiro. Na primeira etapa os alunos realizaram uma avaliação (pré-OA) com dois estudos de caso; na segunda, utilizaram o OA desenvolvido para esse estudo durante quinze dias e na terceira etapa fizeram, após o período de quinze dias, outra avaliação (pós-OA) utilizando os mesmos estudos de caso. Os resultados demonstraram que antes de utilizar o OA a média de acertos (estudo de caso 1) foi de 3,79 ± 2,14 e após o uso do OA atingiram média de 5,21 ± 2,74. Também foi realizado o teste t de Student, considerando-se um p-value de 0,05, o p-value observado foi de 0,0030, indicando que as médias das duas avaliações diferem estatisticamente, o que também ocorreu com a segunda avaliação (estudo de caso 2), sendo a média antes do uso do OA de 1,60 ± 1,19 e, após o uso do OA passou para 2,79 ± 1,44, com o resultado do teste t de Student com p-value observado de 0,0. O estudo evidenciou que o OA avaliado poderá ser utilizado como recurso didático-pedagógico no ensino da assistência de enfermagem, pois a maioria dos alunos teve melhor desempenho nas avaliações após sua utilização.<strong><span style="font-size: 12.0pt; line-height: 146%; mso-fareast-font-family: Arial; mso-ansi-language: PT-BR; mso-fareast-language: PT-BR; mso-bidi-language: AR-SA;">O estudo teve como objetivo avaliar o uso de um Objeto de Aprendizagem (OA) como apoio ao ensino da Taxonomia <em>North American Nursing Diagnosis Association</em> (NANDA) na realização do diagnóstico de enfermagem. Trata-se de estudo exploratório-descritivo, com abordagem quantiqualitativa, realizado com alunos de graduação em Enfermagem</span></strong><span style="font-size: 12.0pt; line-height: 146%; font-family: 'Times New Roman',serif; mso-fareast-font-family: Arial; mso-ansi-language: PT-BR; mso-fareast-language: PT-BR; mso-bidi-language: AR-SA;"> de uma instituição de ensino superior privada do interior mineiro. Na primeira etapa os alunos realizaram uma avaliação (pré-OA) com dois estudos de caso; na segunda, utilizaram o OA desenvolvido para esse estudo durante quinze dias e na terceira etapa fizeram, após o período de quinze dias, outra avaliação (pós-OA) utilizando os mesmos estudos de caso. </span><span style="font-size: 12.0pt; mso-bidi-font-size: 11.0pt; line-height: 146%; font-family: 'Times New Roman',serif; mso-fareast-font-family: Arial; mso-ansi-language: PT-BR; mso-fareast-language: PT-BR; mso-bidi-language: AR-SA;">Os resultados demonstraram que antes de utilizar o OA a média de acertos (estudo de caso 1) foi de 3,79 ± 2,14 e após o uso do OA atingiram média de 5,21 ± 2,74. Também foi realizado o teste t de <em>Student</em>, considerando-se um <em>p-value</em> de 0,05, o <em>p-value</em> observado foi de 0,0030, indicando que as médias das duas avaliações diferem estatisticamente, o que também ocorreu com a segunda avaliação (estudo de caso 2), sendo a média antes do uso do OA de </span><span style="font-size: 12.0pt; line-height: 146%; font-family: 'Times New Roman',serif; mso-fareast-font-family: Arial; mso-ansi-language: PT-BR; mso-fareast-language: PT-BR; mso-bidi-language: AR-SA;">1,60 </span><span style="font-size: 12.0pt; mso-bidi-font-size: 11.0pt; line-height: 146%; font-family: 'Times New Roman',serif; mso-fareast-font-family: Arial; mso-ansi-language: PT-BR; mso-fareast-language: PT-BR; mso-bidi-language: AR-SA;">±</span><span style="font-size: 12.0pt; line-height: 146%; font-family: 'Times New Roman',serif; mso-fareast-font-family: Arial; mso-ansi-language: PT-BR; mso-fareast-language: PT-BR; mso-bidi-language: AR-SA;"> 1,19 e, após o uso do OA passou para </span><span style="font-size: 12.0pt; mso-bidi-font-size: 11.0pt; line-height: 146%; font-family: 'Times New Roman',serif; mso-fareast-font-family: Arial; mso-ansi-language: PT-BR; mso-fareast-language: PT-BR; mso-bidi-language: AR-SA;">2,79 ± 1,44, com o resultado do teste t de <em>Student</em> com <em>p-value</em> observado de 0,0. O estudo evidenciou que o OA avaliado poderá ser utilizado como recurso didático-pedagógico no ensino da assistência de enfermagem, pois a maioria dos alunos teve melhor desempenho nas avaliações após sua utilização.</span> 2021-12-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Práxis https://revistas.unifoa.edu.br/praxis/article/view/1742 A NATURALIZAÇÃO DA VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA E AS DIFICULDADES DO RECONHECIMENTO DOS SEUS SINAIS. 2020-05-07T20:34:51-03:00 Maria Martha Rennó Ribeiro Chaves de Freitas mariamartha.renno@yahoo.com Júlio César Soares Aragão jaragaum@gmail.com <p>O presente artigo sustenta o objetivo de discorrer sobre a Violência Obstétrica como uma expressão da violência contra a mulher, considerando as desigualdades estabelecidas pelos papeis determinados para homens e mulheres na sociedade. Serão apresentados dados que reforçam que a violência institucional pode mascarar a identificação dos atos e condutas que caracterizam a Violência Obstétrica, sendo este um dos fatores que dificultam o reconhecimento das mulheres enquanto vítimas deste tipo de violência. Outro fator determinante para este processo consiste na inexpressiva quantidade de legislações promulgadas para o combate deste tipo de violência no Brasil. Diante deste contexto, serão apresentadas algumas informações obtidas por meio da realização da pesquisa “Violência Obstétrica e a Violação de Diretos Reprodutivos”. Onze mulheres participantes de um programa de orientação à gestante em um Município do interior do Estado de São Paulo foram convidadas a participar desta pesquisa com características qualitativas. O objetivo geral da pesquisa consiste na identificação da ocorrência e quais os tipos de violência estão presentes nos discursos de vivências dos processos de pré-natal e do fenômeno do parto das mulheres que participam deste programa. Os relatos das mulheres apontam que parto representa um momento propício para a disseminação da violência, pois as usuários dos serviços de Saúde tendem a ter sua autonomia negada em detrimento das desigualdades apontadas anteriormente. Para que a Violência Obstétrica possa ser superada, torna-se necessário ampliar as legislações específicas e possibilitar que a população tenha acesso aos seus direitos, para que estes possam ser exercidos em respeito à autonomia e à dignidade humana.</p> 2021-12-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Práxis https://revistas.unifoa.edu.br/praxis/article/view/3320 IMPORTÂNCIA DE AULAS PRÁTICAS NO ENSINO DE BIOLOGIA NA CONCEPÇÃO DE FUTUROS DOCENTES 2020-07-24T12:08:48-03:00 Jonatha Anderson Fraga Egidio jonathaafegidio@gmail.com Barbara Tapia Brito de Oliveira tapia.barbara@outlook.com Stella Marys Meneses de Carvalho stellamarys.mc@gmail.com Willian Rodrigues da Costa Marinho will.bio2016@gmail.com O Ensino de Biologia através de aulas práticas permite a compreensão dos processos biológicos, bem como o papel da Ciência e tecnologia no mundo atual. O objetivo deste estudo foi identificar e discutir a concepção de futuros professores de Ciências/Biologia sobre o uso atividades práticas durante as aulas. Os procedimentos metodológicos envolveram um estudo qualitativo de cunho exploratório durante um curso realizado para futuros docentes do Consórcio Cederj/UENF. Analisando-se os dados nota-se que os graduandos entrevistados consideram importante o uso de atividades experimentais no processo de ensino aprendizagem, mas que há ainda alguns que não conseguem discernir o que é uma atividade prática ou em que momento devem ser utilizadas. Com isso, há muito ainda o que ser estudado e principalmente mudado na estrutura curricular das Universidades para que este tema possa ser abordado com maior vigor, produzindo futuros docentes cada vez mais preparados para o exercício do magistério. 2021-12-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Práxis https://revistas.unifoa.edu.br/praxis/article/view/2985 Atitudes e percepções de alunos do Ensino Médio sobre a depressão na adolescência 2021-06-24T19:46:00-03:00 Dolores Pereira Henriques da Silva de Souza doloreshenriques@yahoo.com.br Grazielle Rodrigues Pereira grazielle.pereira@ifrj.edu.br <p><strong>Resumo</strong></p><p> </p><p>A depressão na adolescência é um evento comum e traz inúmeros prejuízos de curto e longo prazo, tais como mal rendimento escolar, alterações nas relações familiares e o aumento do risco de comportamento suicida. Portanto, o presente trabalho buscou investigar as percepções dos alunos do Ensino Médio Técnico de uma instituição pública de ensino acerca do tema depressão. Para a coleta de dados foi aplicada a técnica do grupo focal com 43 alunos de uma escola da rede federal, além de questionários fechados. Os resultados evidenciaram que os alunos não reconhecem a depressão como uma doença, acreditam que é algo incurável e que as pessoas que apresentam a doença têm dificuldades de buscar tratamento. Além disso, os adolescentes participantes do estudo percebem que as relações humanas dentro do ambiente escolar podem contribuir para o desenvolvimento da depressão. Pode-se concluir que os estudantes têm a compreensão de que a escola pode contribuir de forma positiva para a prevenção dessas ocorrências, contudo destacam a necessidade de criação de espaços para o diálogo entre toda a comunidade escolar.</p><p><strong>Palavras-chave: </strong>Depressão; Adolescência; Ambiente escolar.</p><p> <strong> </strong></p><p><strong>Abstract </strong></p><p> </p><p>Depression in adolescence is a common occurrence and causes numerous losses, such as poorer school performance, altered family relationships, and increased risk of suicidal behavior. Therefore, the present work sought to investigate the perceptions of the Technical High School students of a public institution of education about the depression theme. For data collection, the focus group technique was applied with 43 students from a federal school, in addition to closed questionnaires. The results showed that students do not recognize depression as a disease, believe that it is incurable and that people who have the disease have difficulty seeking treatment. In addition, the adolescents participating in the study realizes that human relationships within the school environment may contribute to the development of depression. It can be concluded that students have the understanding that the school can contribute positively to the prevention of these occurrences, but they emphasize the need to create spaces for dialogue between the entire school community.</p><p> </p><p><strong>Keywords:</strong> Depression; Adolescence; School environment.</p><strong></strong> 2021-06-24T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Práxis https://revistas.unifoa.edu.br/praxis/article/view/3462 Amor e resiliência: a docência no ensino superior em tempos de pandemia do Novo coronavírus (covid-19) 2021-07-06T11:55:34-03:00 Adilson Anacleto adilson.anacleto@unespar.edu.br Ana Paula Oliveira Becker Alvarenga prof.anabecker@gmail.com Aline Rafaely Sousa Ferreira aliny.rafaely@hotmail.com <p>A pandemia ocasionada pelo Novo coronavírus (COVID-19), transformou profundamente a vida social no Brasil, sendo que o ensino superior também sofreu alterações com a adoção do ensino remoto na maioria das Instituições, no entanto sob a percepção do professor ainda não foram realizados estudos que avaliem esse cenário modificado. Neste contexto, apresenta-se resultado de pesquisa exploratória descritiva realizada junto a 30 professores de Universidades públicas no Paraná durante a pandemia, entre os meses de abril e maio de 2020. O estudo visou compreender o cenário atual e as implicações da docência no ensino superior público durante a pandemia ocasionada pelo Novo coronavírus (COVID-19). O estudo revelou que entre os problemas mais recorrentes na docência durante o período investigado foram a ampliação da carga de trabalho e atividades gerada com o ensino de forma remota, a dificuldade de operacionalizar múltiplas plataformas de ensino e ainda manter a qualidade de ensino. A maioria dos docentes relataram problemas pessoais e psicológicos decorrentes da pandemia sendo os mais citados a ansiedade e a insônia. As principais ações de enfrentamento foram o ensino e aprendizagem entre colegas de profissão para o domínio de novas tecnologias educacionais, a resiliência e a empatia com discentes em período atípico. A pandemia impactou de forma profunda a vida dos docentes obrigando que os mesmos tivessem comportamento proativo, onde interagiram com colegas de trabalho com a intenção de aprender e aprenderam com a intenção de ensinar.</p> 2021-07-06T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista Práxis