A negação não psicótica da gravidez: vicissitudes de um não saber

Thomás Gomes Gonçalves

Resumo


O presente artigo aborda o fenômeno da negação não psicótica da gravidez. Constatou-se, a escassa produção científica sobre esse tema. Trata-se de uma situação na qual há uma negação por parte da mulher de sua própria gravidez. Ressalta-se como aspecto singular desse fenômeno a não presença de um diagnóstico de psicose, bem como o fato de que, muitas vezes, a constatação da gestação ocorre apenas no momento do parto. Este artigo explora algumas considerações sobre essa complexa situação e propõe uma leitura a respeito das consequências desse fenômeno na relação mãe-bebê, a partir de aportes psicanalíticos de Donald Winnicott sobre a preocupação materna primária. Além de possibilitar uma reflexão sobre um fato que ocorre com certa frequência na clínica obstétrica, pretende-se provocar uma discussão a respeito de uma situação cujos inegáveis efeitos interferem na qualidade dos momentos iniciais experienciados entre a mãe e filho.


Palavras-chave


negação não psicótica da gravidez, psicanálise, preocupação materna primária.

Texto completo:

PDF

Referências


BEYER, K.; MACK, S.M.; SHELTON, J.L. Investigative analysis of neonaticide. Criminal Justice and Behavior, v. 35, p.522-536, 2010.

BONNET, C. Adoption at birth: Prevention against abandonment or neonaticide. Child Abuse & Neglect, v.17(4), p. 501−513, 1993.

CELERI, E.H.R.V. O livro de ouro da psicanálise. Rio de Janeiro: Ediouro; 2007.

DIAS, E.O. A Teoria do amadurecimento de D.W. Winnicott. Rio de janeiro: Imago; 2003.

DOBSON, V.; SALES, B. The science of infanticide and mental illness. Psychology, Public Policy, and Law, v.6, 1098-1112, 2000.

FERRAGU, Gorre. Le déni de grossesse : une revue de litterature. 2002. Tese (Doutorado em Psiquiatria) - Université de Rennes I : Rennes, 2002.

FRIEDMAN, S.H.; HENEGHAN, A.; ROSENTHAL, M. Characteristics of women who deny or conceal pregnancy. Psychosomatics, v.48, p. 117-122, 2007.

GRANATO, T.M.M. Encontros terapêuticos com gestantes à luz da preocupação materna primária. 2000. Tese. (Doutorado em Psicologia) - Universidade de São Paulo, São Paulo. 2000.

HALPERN R.; BARROS F.C.; VICTORIA, C.G.; TOMASI, E. Atenção pré-natal em Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil. Caderno de Saúde Publica v.14(3): 487-492, 1998.

MELLO, Renata Machado. A confiança na construção dos vínculos objetais: uma perspectiva psicanalítica. 2008. Dissertação. (Mestrado em Psicologia) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2008.

MOREIRA, J.O. A ruptura do continuar a ser: o trauma do nascimento prematuro. Mental, v.5, p. 91-106, 2007.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Programa de humanização no pré-natal e nascimento. Brasília: Secretaria de Políticas de Saúde (2000).

NEIFERT L.; BOURGOIS, J.A. Denial of Pregnancy a case study and literature review. Military Medicine v.165, p. 556-568, 2000.

OXFORD. Oxford advanced learner’s dictionary. Oxford: Oxford University Press (2007).

PITT, S.E.; BALE, E.M. Neonaticide, infanticide, and filicide: A review of the literature. Bulletin of the American Academy of Psychiatry and the Law, v.23, 375-386, 1995.

RESNICK, P.J. Child murder by parents: a psychiatric review of filicide. American Journal of Psychiatry v.126, p. 325-334, 1969.

RESNICK, P.J. Murder of the newborn: A psychiatric review of neonaticide. American Journal of Psychiatry v.126, p.1414-1420, 1970.

SONAGLIO, H. (2009). Refletindo sobre Holding, Continência e Rêverie na entrevista de triagem: a importância desse primeiro encontro frente à dor e o desamparo. CEAPIA- Revista de Psicoterapia da Infância e da Adolescência, v.18 (18), p. 114-133, 2009.

SPIELVOGEL, A.M ; HOHENER H.C. Denial of pregnancy: a review and case reports. Birth v. 22(4), p. 220-226, 1995.

TREVISAN, M.R.; DE LORENZI, D.R.S.; ARAÚJO, M.N.; ÉSBER, K. Perfil da Assistência Pré-natal entre usuárias do Sistema Único de Saúde de Caxias do Sul. RBGO v.24 (5), p. 293-299, 2002.

WESSEL, J.; ENDRIKAT, J. Clinic menstruation-like bleeding during denied pregnancy. Is there a particular hormonal cause? Gynecological Endocrinology v.21(6), p. 352-359, 2005.

WESSEL, J. Denial of pregnancy: characteristics of woman at risk. Acta Obstetricia et Gynecoligica Scandinavica v.86, p. 542-546, 2007.

WESSEL, J.; ENDRIKAT, J.; BUSCHER, U. Frequency of denial pregnancy: results and epidemiological significance of a one-year prospective study in Berlin. Acta Obstetricia et Gynecologica Scandinavica v.81, p.1021-1027, 2002.

WILHELM, J. O que é psicologia pré-natal. São Paulo: Casa do Psicólogo; 2006.

WINNICOTT,D.W. Textos selecionados: da pediatria à

psicanálise (pp.49-498). São Paulo, Livraria Francisco Alves; 1950/1993.

WINNICOTT, D.W. Explorações psicanalíticas. Porto Alegre: Artes Médicas; 1974/1994.

WINNICOTT, D.W. O ambiente e os processos de maturação: estudos sobre a teoria do desenvolvimento emocional. Porto Alegre: Artes Médicas; 1979/1993 3ed.

WINNICOTT, D.W. Natureza humana. Porto Alegre: Artes Médicas; 1988/1993.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



Cadernos UniFOA

Campus Três Poços - Av. Paulo Erlei A. Abrantes, 1325 - Três Poços
Prédio 3 - Sala 2 (Casarão)
Volta Redonda - RJ - CEP: 27240-560
Tel.: (24) 3340-8400 – Ramal: 8350

Indexado em:





  • Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.