Mudança e Aprendizagem Organizacional, Com Criatividade e Inovação

Autores

  • Leocir Dal Pai Universidad Nacional de Rosário – Argentina (UNR)
  • Agamêmnom Rocha Souza Centro Universitário de Volta Redonda (UNIFOA)
  • Débora Cristina Lopes Martins Centro Universitário de Volta Redonda (UNIFOA)

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v7.n18.1088

Palavras-chave:

Mudança, crescimento, aprendizagem organizacional, organização que aprende, estímulo, criatividade e inovação

Resumo

Inseridas em um mercado altamente competitivo, empresas transnacionais e regionais buscam adaptar-se às mudanças como condição de sobrevivência. Se antes as empresas mudavam por iniciativa dos gestores na busca do crescimento, hoje, mudam, principalmente, para garantir sua permanência no mercado. Organizações que aprendem com seus erros e com os erros de outras organizações e utilizam-se sinergicamente do conhecimento individual de seus empregados, são mais capazes de antecipar-se aos problemas e monitorar as variáveis incontroláveis que afetam negativamente seu negócio. Por meio da aprendizagem organizacional, as empresas tornam-se bem sucedidas, pois são capazes de promover o estímulo, a criatividade e a inovação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARGYRIS, C. & SCHÖN, D.A. Organizational Learning: a theory of action perspective. Reading, MA: Addison-Wesley, 1978

BASTOS A.V.B.; GONDIM S.M.G; & OUTROS. Aprendizagem organizacional versus organizações que aprendem: características e desafios que cercam essas duas abordagens de pesquisa. PORAD/UFPE:AMPAD: Recife, 2002.

CARDOSO, Leonor. Aprendizagem organizacional. Psycologica. Universidade de Coimbra: Coimbra, Portugal, 2000.

CHIAVENATO, Idalberto. Teoria geral da administração. S. Paulo: Campus, 1999

CHIAVENATO, Idalberto. Os novos paradigmas. S. Paulo: Manole, 2008

DARWIN, Charles. Voyage D´um Naturaliste Autor Du monde. Paris, 1883.

FERNANDÉZ GATTI, María Andrea. Empresas de Rosario: un modelo de cambio basado en el aprendizaje. Tesis doctoral de Doctorado en administración. Facultad de Ciencias Económicas y Estadística. UNR: Rosario, Argentina, 2007.

FIOL & LELIS. Organizational learning. Academy of Management Review, vol. 10 nº 4, p. 803-813.

LUSSIER, Robert N., REIS, Ana Carla Fonseca e FERREIRA, Ademir Antônio. Fundamentos de administração: Tradução e adaptação da 4ª edição norte-americana; [tradução Guilherme Rocha Basílio e Marta Reyes Gil Passos]. São Paulo: Cengage Learning, 2010.

MACHIAVELLI, Niccoló. O príncipe. Hemus: S. Paulo, 1977.

MALANOVICZ, Aline. Aprendizagem organizacional. Porto Alegre, 2008. Disponível em htpp://recantodasletras.uol.com.br/ensaios/946634

PRESSER, Nadi H. Como ocorre o processo de aprendizagem organizacional na formação de estratégias: o caso da Intelbras. Congresso Brasileiro de administração: Florianópolis – SC, 2000.

SENGE, P.M. A Quinta disciplina. Arte, teoria e prática da organização da aprendizagem. Nova Cultural: S. Paulo, 1990.

SHRIVASTAVA, P. A tipology of organizational learning systems of management studies. Vol. 20, nº 1, p 7-28, 1981.

Downloads

Publicado

2017-03-28

Edição

Seção

Ciências Sociais Aplicadas e Humanas

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)