Avaliação da contaminação por bactérias em cédulas e moedas circulantes em cantina do Centro Universitário de Volta Redonda - UniFOA

Autores

  • Carlos Alberto Sanches Pereira UniFOA - Centro Universitário de Volta Redonda
  • Sabrina Silva Pêgas Centro Universitário de Volta Redonda
  • Beatriz Rabello Centro Universitário de Volta Redonda
  • Eduardo Massahide Kawakami Kiryu Centro Universitário de Volta Redonda
  • Fernanda Assis Mello Centro Universitário de Volta Redonda

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v10.n27.128

Palavras-chave:

Cédulas, moedas, contaminação bacteriana.

Resumo

RESUMO

Objetos de uso comum e com intensa circulação, assim como as cédulas e moedas, podem albergar uma grande variedade de agentes patogênicos e também transmiti-los de forma fácil e eficiente. Dessa maneira o presente trabalho teve como objetivo avaliar a presença de bactérias, existentes em cédulas e moedas circulantes em uma das cantinas do Centro Universitário de Volta Redonda. Para tanto, as cédulas e moedas foram acondicionadas em um saco plástico e encaminhadas para análise no laboratório. Com auxilio de um swab foram extraídos das mesmas o material a ser analisado, seguindo de diluições decimais, as quais foram plaqueadas em placas de Petri com ágar Mueller Hinton  e mantidas a 37ºC por 24 horas. Nas moedas as maiores médias encontradas foram n os exemplares de R$ 1,00 com média de 133,3 UFC/moeda e nas moedas de R$ 0,05 com a média de 166,6 UFC/moeda, as menores médias foram encontradas nas moedas de R$ 0,10 com 50 UFC/moeda; R$ 0,25 com 10 UFC/moeda e nos exemplares de R$ 0,50 com quantitativo de 6,6 UFC/moeda, sendo esta a menor media encontrada. Nas cédulas, as maiores médias foram encontradas nos exemplares de R$ 50,00 com 4.873 UFC/cédula e R$ 10,00 com 426,6 UFC/cédula, as menores médias foram encontradas nos exemplares de R$20,00 com 213,3 UFC/cédula; R$ 5,00 com 183,3 UFC/cédula e nas de R$ 2,00 146,6 UFC/cédula.  Com base nos resultados, pode-se concluir que cédulas e moedas apresentaram-se contaminadas e que este tipo de contaminação representa risco a saúde pública principalmente se seus manipuladores portarem algum grau de imunodeficiência.

 

Palavras-chave: Cédulas, Moedas, Contaminação bacteriana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AHMED, S. U. et al. Evaluation of the Microbial Contamination of Bangladesh Paper Currency Notes (Taka) in Circulation. Advances in Biological Research, v. 4, n. 5, p. 266-271, 2010.

AWE, S. et al. Bacteriological quality of some Nigerian currencies in circulation. African Journal of Microbiology Research, v. 4, n. 21, p. 2231–2234, 2010.

BANCO CENTRAL DO BRASIL. Moedas do Real (Segunda e Primeira família), 2013. Disponível em:<http://www.bcb.gov.br/?MOEDAREAL> Acesso em: 3 Out. 2013.

BANCO CENTRAL DO BRASIL. Pesquisa de qualidade de cédulas e estouramento de moedas metálicas, 05 de Dezembro 2011 e 12 de Janeiro de 2012. Disponível em: < http://www.bcb.gov.br/htms/mecir/Pesquisa_Qualidade_da

s_Cedulas_e_Entesouramento_de_Moedas_2012.pdf> Acesso em: 4 Out. 2013.

BANCO CENTRAL DO BRASIL. O brasileiro e sua relação com o dinheiro II, 2007. Disponível em:<http://www.abbc.org.br/arquivos/apresentacao_bacen_dataf

olha_resumo2007.pdf> Acesso em: 4 Out. 2013.

BAROLIA, S. K. et al. Coliform Contamination on different Paper Currency in Ajmer, Rajasthan, India. Universal Journal of Environmental Research and Technology, v. 1, p. 552-556, 2011.

ENEMOUR, S. C. et al. Microbial contamination of currency counting machines and counting room environment in selected commercial banks. Scientific Research and Essays, v. 7, n. 14, p. 1508-1511, 2012.

ESPÍRITO SANTO, C. et al. Isolation and Characterization of Bacteria Resistant to Metallic Copper Surfaces. Applied and environmental microbiology, v. 76, p. 1341–1348, 2010.

FERREIRA, D. M. et. al. Análise Microbiológica de cédulas circulantes em Feira Livre do Município de Belford Roxo-RJ. Revista Saúde Física & Mental-UMIABEU, v. 1, n. 1, p. 11-14, 2012.

KAWO, A. H. et al. Prevalence and public health implications of the microbial load of abused naira notes. Bayero Journal of Pure and Applied Sciences, v. 2, n. 1, p. 52 – 57, 2009.

NEEL, R. Bacteriological Examination of Paper Currency Notes in Tanga in Tanzania. Internacional Journal of Pharmaceutical Sciences Review and Research, v. 16, n. 2, p. 9-12, 2012.

PRESAI, T. et al. Microbial Load on Paper/Polymer Currency and Coins. Nepal Journal of Science and Technology, n. 9, p. 105-109, 2008.

REIS, G. M. et al. Contaminação Microbiana de Telefones Celulares de Acadêmicos de uma Universidade do Sul do Brasil. XIII Mostra de iniciação Científica- XVIII Seminário Interinstitucional de Ensino, Pesquisa e Extensão Unicruz - Cruz Alta - RS, 2010.

SOUZA, A. C. et al. Microorganismos Encontrados em Dinheiro Brasileiro Coletado em Feira Livre. Revista NewsLab, v. 77, p. 178-186, 2006.

SUDRÉ, A. P. et al. Estudo da contaminação de moedas e cédulas de dinheiro circulantes na cidade de Niterói- RJ. Revista de patologia tropical, v. 41, n. 4, p. 465-470, 2012.

UKWURU, M.; GABRIEL, A. Cross contamination between food and money due to simultaneous handling. Journal of Applied Science and the Environment, v. 3, p. 42-48, 2012.

VRIESEKOOP, F. et al. Dirty Money: An investigation into the hygiene status of some of the world's currencies as obtained from food outlets. Foodborne Pathogens and Disease, v. 7, n. 12, p. 1497- 1502, 2010.

XU, J. et al. Ribosomal DNA (rDNA) identification of the culturable bacterial flora on monetary coinage from 17th currencies. Journal of Environmental Health, v. 67, n. 7, p. 51-55, 2005.

Downloads

Publicado

2015-04-10

Edição

Seção

Ciências Biológicas e da Saúde

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)