Análise do uso de simuladores de pacientes virtuais por estudantes de Medicina

Autores

  • Cristina Ribeiro Dias Barroso UniFOA - Centro Universitário de Volta Redonda
  • Leonardo Silveira Gomes UniFOA - Centro Universitário de Volta Redonda
  • Vinícius Abrantes Silvestre UniFOA - Centro Universitário de Volta Redonda
  • Rafael Teixeira dos Santos UniFOA - Centro Universitário de Volta Redonda
  • Claudia Yamada Utagawa UniFOA - Centro Universitário de Volta Redonda

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v13.n36.1395

Palavras-chave:

Educação Médica. Simulação de Paciente. Simulação por Computador.

Resumo

Os Pacientes Virtuais (PVs) são definidos como ferramentas interativas desenvolvidas em computador que simulam situações clínicas em ambiente virtual, podendo ser encontrados em vários sítios eletrônicos,possuindo diversas qualidades. Dada a importância do uso de metodologias de ensino alternativas e o impacto positivo de sua implantação na didática de ensino, o presente estudo avaliou a percepção de alunos de um curso de Medicina quanto à utilização dos PVs como ferramenta de aprendizagem e aperfeiçoamento da prática médica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANNALS VIRTUAL PATIENTS. American College of Physicians. Disponível em: < http://vp.acponline.org/virtualpatients>. Acesso em: 20 mai 2016.

ASSOCIATION OF AMERICAN MEDICAL COLLEGES.Effective Use of Educational Technology in Medical Education: Summary Report of the 2006 AAMC Colloquium on Educational Technology. Washington, DC: AAMC, p. 7, 2007.

CENDAN, J.; LOK, B. The use of virtual patients in medical school curricula. Advances in physiologyeducation, v. 36, n. 1, p. 48-53, 2012.

COGO, A.L.P.; SILVEIRA, D.T.; CATALAN, V.M. Objetos de aprendizagem digitais como ferramenta de apoio na educação em enfermagem. In: Anais do 10º Congresso Brasileiro de Informática em Saúde, p. 368-9, 2006.

COOK, D.A.; ERWIN, P.J.; TRIOLA, M.M. Computerized virtual patients in health professions education: a systematic review and meta-analysis. Academic Medicine, v. 85, n. 10, p. 1589-602, 2010.

COOK, D.A.; TRIOLA, M.M. Virtual patients: a critical literature review and proposed next steps. Medical education, v. 43, n. 4, p. 303-11, 2009.

DE MORAIS, A.M.; DOS SANTOS MACHADO, L.; VALENÇA, A.M.G. Serious games na odontologia: Aplicações, características e possibilidades. In: XII Congresso Brasileiro de Informática em Saúde, Porto de Galinhas–PE. 2013.

DUFFY, F.D.; GORDON, G.H.; WHELAN, G., et al.Assessing competence in communication and interpersonal skills: The Kalamazoo 2 report. Acad Med, v. 79, p. 495–507.

ELLAWAY, R., et al. An architectural model for MedBiquitous virtual patients.Baltimore, MD: MedBiquitous, 2006.

EVIP. Eletronic Virtual Patients. Disponível em: <http://virtualpatients.eu/>. Acesso em: 20 mai 2016.

FORTE, M. et al. Portfólio Reflexivo Eletrônico na Unidade Educacional de Prática Profissional do Curso de Medicina da UFSCar. In: X Workshop de Informática Médica, Belo Horizonte. Anais do XXIX Congresso da Sociedade Brasileira de Computação. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, p. 1566-75, 2010.

FRIEDMAN, C.P.; FRANCE, C.; DROSSMAN, D.D. A randomized comparison of alternative formats for clinical simulations. Med Decision Making, v.11, p. 265– 272, 1991.

HIGGS, J. Clinical reasoning in the health professions. Elsevier Health Sciences, 2008.

HUANG G.; REYNOLDS R.; CANDLER C., Virtual patient simulation at US and Canadian medical schools. Acad Med, v.82, p. 446– 451, 2007.

INTERATIVE MEDICAL CASES. The New England Journal of Medicine. Disponível em: <http://www.nejm.org/multimedia/interactive-medical-case>. Acesso em: 20 mai 2016.

KONONOWICZ, A.A., et al. Virtual patients-what are we talking about? A framework to classify the meanings of the term in healthcare education. BMC medical education, v. 15, n. 1, p. 11, 2015.

MALHOTRA, N. Pesquisa de Marketing: uma orientação aplicada. Porto Alegre: Bookman, p. 720, 2001.

MARIN, H.F Perspectivas atuais da informática em enfermagem. Ver Bras Enferm, v. 59, n. 3, p. 354-7, 2006.

SEBASTIANI, R.L. et al. Ferramenta de autoria para construção de casos clínicos interativos para educação médica. 2012.

VPSIM. Virtual Patient Simulator. Disponível em: < http://vpsim.pitt.edu/shell/CaseList_Assignments.aspx>. Acesso em: 20 mai 2016.

WHELAN, A. Reforming case-based learning with non-linear gameplay: the potential of branched narratives and virtual patient models, 2014.

WILLEY, D.A. Conecting learning objects to instructional theory: A definition, a methaphor and a taxonomy. The Instructional Use of Learning Objets. 2001.

Downloads

Publicado

05/08/2018

Como Citar

BARROSO, C. R. D.; GOMES, L. S.; SILVESTRE, V. A.; DOS SANTOS, R. T.; UTAGAWA, C. Y. Análise do uso de simuladores de pacientes virtuais por estudantes de Medicina. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, v. 13, n. 36, p. 91–100, 2018. DOI: 10.47385/cadunifoa.v13.n36.1395. Disponível em: https://revistas.unifoa.edu.br/cadernos/article/view/1395. Acesso em: 4 jul. 2022.

Edição

Seção

Ciências Biológicas e da Saúde

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)