Aplicação do método de Hardy Cross: estudo, análise e proposta de reestruturação de um sistema de distribuição de água na comunidade de Macundú – Rio Claro/RJ

Autores

  • Élcio Nogueira UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda, Volta Redonda, RJ.
  • José Damião Justino Universidade do Estado do Rio de Janeiro - FAT/UERJ – Resende, RJ

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v8.n22.147

Palavras-chave:

Sistema de distribuição de água, método de Hardy Cross, Darcy-Weisbach, Hazen-Williams

Resumo

A análise do equilíbrio hidráulico de sistemas de distribuição de água malhados é baseada nas duas leis fundamentais da mecânica dos fluidos, a da continuidade (Lei de Conservação da Massa) e a da Lei de Conservação da Energia e, além disso, numa relação entre a vazão (ou velocidade) e a perda de carga (ou variação de pressão), estabelecida através das equações de Darcy - Weisbach (fórmula universal da perda de carga) ou Hazen - Williams. Em termos gerais, esta análise requer a resolução de um sistema de equações não lineares, frequentemente com um elevado número de incógnitas, dependendo da dimensão e da complexidade do sistema de distribuição de água em jogo. O primeiro método de solução aproximada para este tipo de problema (correções de vazões operadas individualmente para cada malha) foi apresentado por HARDY CROSS, no ano de 1936, sendo o mais antigo e, provavelmente, aquele que maior divulgação teve até o momento. O método de Hardy Cross é o mais utilizado dentre os métodos de aproximações sucessivas para o cálculo de rede malhadas, por possibilitar o desenvolvimento dos cálculos, em sistemas simples, além de ser um método provido de significado físico, que facilita a análise dos resultados intermediários obtidos. No presente trabalho, para o dimensionamento do sistema de distribuição de água, em malhas, de MACUNDÚ, foi aplicado o método de HARDY CROSS através do programa computacional REDEM.EXE desenvolvido pela Escola de Engenharia de São Carlos (EESC-USP, São Carlos, SP), que permite o dimensionamento ou verificação de uma rede de distribuição com até cem (100) trechos com um ou mais reservatórios de alimentação. O programa aceita como equações de resistência a equação de Hazen-Williams, ou a fórmula universal, ambas foram aplicadas, para efeito de comparação e análise. O sistema de distribuição considera-se resolvido quando são conhecidas as cotas piezométricas nos nós e as vazões em todas as tubagens, com o rigor pretendido. Os resultados obtidos estão apresentados em formas de gráficos e tabelas, e mostram-se consistentes com as condições físicas impostas para determinação das vazões individuais de cada trecho da malha analisada. O trabalho apresenta uma metodologia de execução exequível e refinada para sistemas de malhas de médio e grande porte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AZEVEDO NETTO, J.M. & ALVAREZ, G.A. “Manual de Hidráulica”. Editor Edgard Blucher, São Paulo, 8ª edição, 2000.

CARESTIATO, A. & ABREU, C.S. “PROGRAMA CURSO D’ÁGUA”. CEIVAP Comitê de integração da Bacia do Rio Paraíba do Sul, RIO de JANEIRO, 1999.

GILES, R.V. “Mecânica dos Fluidos e Hidráulica”. McGraw-Hill do BRASIL LTDA, PERNAMBUCO, 1977.

MARQUES, JOSÉ A. A. DE SÁ; SOUSA, JOAQUIM J. O. “Hidráulica Urbana – Sistemas de Abastecimento de Água e de Drenagem de Águas Residuais”. Porto, 2ª Edição, 2011.

PAULA, D.A. “HISTÓRIA de RIO CLARO”. ELETRONUCLEAR, RIO de JANEIRO, 2004.

PORTO, R.M. “Hidráulica Básica”. EESC-USP, São Carlos, SP, 3ª edição, 2004.

Downloads

Publicado

08/10/2013

Edição

Seção

Tecnologia e Engenharias

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>