Lazer e esporte para crianças e adolescentes acolhidos: possibilidades de intervenção social

Autores

  • Marcelo Paraíso Alves Professor graduado em Licenciatura Plena em Educação Física; Mestre em História Social, Doutor em Educação.
  • Paulo Celso Magalhães Professor graduado em Licenciatura Plena em Educação Física; Pós-graduado em Docência para o Ensino Superior; Mestre em Ensino em Ciências da Saúde e do Meio Ambiente–Centro Universitário de Volta Redonda –UniFOA.
  • Cládio Delunardo Severino Professor graduado em Licenciatura Plenaem Educação Física; Pós-graduado em Docência para o Ensino Superior; Mestre em Ensino em Ciências da Saúde e do Meio Ambiente–Centro Universitário de Volta Redonda –UniFOA.

Palavras-chave:

Lazer. Esporte. Acolhimento.

Resumo

O presente estudo trata-se de uma pesquisa exploratória que apresenta como objetivos a reflexão acerca das políticas públicas de lazer e a sua interface com a qualidade de vida e a melhoria da saúde para as crianças e adolescentes em situação de risco social (acolhidos), além da identificação de ações de lazer que possibilitem a transformação de hábitos de saúde para crianças e adolescentes. A Educação Física tem se definido como um importante campo do saber para a contribuição de estudos voltados para esta área, possibilitando o desenvolvimento de pesquisas e constituindo-se como um espaço importante não só para a discussão científica e acadêmica, mas, cotidianamente promovendo ações reais de intervenção na saúde coletiva. O lazer, como direito dos cidadãos, aparece hoje como elemento visível e importante na configuração do ser humano. No entanto, o avanço deste setor, na perspectiva de alcançar as condições adequadas para a sua garantia, apenas começa a ser estabelecido, sendo prioritária, a articulação de políticas públicas na área de lazer, uma vez que este componente não pode estar desvinculado de uma política ampla de saúde coletiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRASIL. Política Nacional de Assistência Social. Ministério do Desenvolvimento e Combate à Fome. Secretaria Nacional de Assistência Social: Brasília, 2004.

CABRAL, Cristiane et al. Do Abrigo à Família. Rio de Janeiro: Booklink, 2002.

DIAS, Kátia Pedreira. Educação Física x Violência: Uma abordagem com meninos de rua. Rio de Janeiro: Sprint, 1996.

Estatuto da Criança e do Adolescente. Lei Federal 8.069-l990.

LANDES, David S. A riqueza e a pobreza das nações: por que algumas são tão ricas e outras tão pobres. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

MARCELLINO, Nelson Carvalho. Estudos do lazer: uma introdução3 ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2002.

MELO,Victor Andrade de; TAVARES, Carla(org.). O exercício reflexivo do movimento: educação física, lazer e inclusão social. Rio de Janeiro: Shape, 2006.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.

MIR, Luís. Guerra civil: estado e trauma. São Paulo: Geração Editorial,2004.

PRADO, Antônio Carlos Moraes. O corpo lúdico versus globalização no Esporte. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte. São Paulo, v.20, p.197-199, 2006. Anais do XI Congresso Ciências do Desporto e Educação Física dos Países de Língua Portuguesa, São Paulo, SP, Brasil.

RUSSELL, Bertrand. O elogio ao ócio. Rio de Janeiro: Sextante, 2002.

SADER, Emir; GENTILI, Pablo (org.). Pós-neoliberalismo: as políticas sociais e o Estado democrático. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995.

TABARES, José Fernando. O Esporte e a Recreação como Dispositivos para a Atenção da População em Situação de Vulnerabilidade Social. In MELO, Victor Alves; TAVARES, Carla (org.). O exercício reflexivo do movimento: educação física, lazer e inclusão social. Rio de Janeiro: Shape, 2006.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

Downloads

Publicado

06/04/2018

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)