Perfil do índice de massa corporal(imc) e relação cintura quadril (rcq) de alunos praticantes de pilates no espaço corpo pilates em mesquita – RJ.

Autores

  • Fabio Ricardo Dutra Lamego Laboratório de Cineantropometria e Fisiologia do Exercício da Universidade Iguaçu, Nova Iguaçu - RJ - Brasil; Universidade Gama Filho, UGF – Rio de Janeiro - RJ – Brasil..
  • Vinícius de Moraes dos Santos Laboratório de Cineantropometria e Fisiologia do Exercício da Universidade Iguaçu, Nova Iguaçu - RJ - Brasil.
  • Vanessa Carlos de Moura Universidade Gama Filho, UGF – Rio de Janeiro - RJ – Brasil.
  • Gustavo Serapião Laboratório de Cineantropometria e Fisiologia do Exercício da Universidade Iguaçu, Nova Iguaçu - RJ - Brasil; Núcleo de Estudos e Pesquisas do Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes - NEP- CEFAN. Rio de Janeiro – RJ - Brasil.

Palavras-chave:

IMC. RCQ. Assoalho pélvico.

Resumo

INTRODUÇÃO: O aumento excessivo do ganho de peso da população preocupa as autoridades da área da saúde por se ter um elevado risco de doenças cardíacas e morte. O aumento do ganho de peso na fase gestacional faz com que a musculatura do assoalho pélvico (AP) perca tonicidade e força, aumentando a possibilidade de incontinência urinária e fecal. O Método Pilates é uma ferramenta importantíssima no fortalecimento desta região, pois fortalece não só o AP, mas todas as musculaturas que fazem parte do CORE, auxiliando na redução das medidas corporais desta região. OBJETIVO: Avaliar o IMC e o RCQ de alunos frequentadores de aulas de Pilates no Espaço Corpo Pilates – Mesquita, RJ. METODOLOGIA: Pesquisa é de cunho descritivo de campo de corte transversal, com a amostra de 11 alunos, sendo 04 homens com média idade de +/-36 anos e 07 mulheres com média de idade de +/-35 anos. Foi utilizada balança da marca Filizola com estadiômetro, trena metálica Sanny de 2m. Utilizou-se o protocolo de Quetelet para aferição do IMC e o protocolo de RCQ. RESULTADOS: Nos homens o IMC foi de 29 com desv. pad. +/-5,27 e RCQ de 0,96 com desv. pad. de +/-0,04. Nas mulheres o IMC foi de 26 com desv. pad. de +/-2,58 e RCQ de 0,75 com desv. pad. de +/-0,05. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Através dos resultados que os homens e as mulheres apresentaram, quando comparados a tabela da Organização Mundial de Saúde (OMS), encontram-se acima do peso. No RCQ os homens encontram-se em alto risco de desenvolverem doenças coronarianas, já as mulheres encontram-se em risco moderado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-06-04