Morfometria de larvas de Diptera (Simuliidae) como ferramenta de monitoramento biológico

Autores

  • C. C. Barros UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • R. A A. Nascimento UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • A. R. Senna UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • R. Figueiró UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda UEZO – Centro Universitário Estadual da Zona Oeste

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v7.n1%20Esp.1751

Palavras-chave:

simulídeos, bioindicadores, qualidade da água.

Resumo

Os borrachudos (Diptera: Simuliidae) compreendem cerca de 1800 espécies nomeadas pela literatura. Trata-se de uma família de insetos cujo ciclo é caracterizado por quatro estágios (ovo, larva, pupa e adulto), sendo que os três primeiros estão restritos a ambientes lóticos que variam desde pequenos córregos a grandes rios caudalosos. Eles apresentam ampla distribuição geográfica, que se estende desde os trópicos aos círculos polares ártico e antártico. Entretanto, os simulídeos ficam restritos a áreas nas quais as condições lóticas apropriadas proporcionam habitat para o desenvolvimento de seus imaturos. Altas densidades em populações naturais de simulídeos podem ser associadas ao aumento da concentração de matéria orgânica nos rios e ao aporte de dejetos domésticos, agrícolas e industriais, o que faz destes organismos bons indicadores de qualidade ambiental em sistemas lóticos. A presença de matéria orgânica na água e a ausência ou redução nas abundâncias de predadores, tanto pela própria presença de dejetos como pelo uso indevido dos defensivos agrícolas e desmatamento completam um quadro de desequilíbrio ambiental, propiciando, desta forma, condições ideais para uma explosão de crescimento populacional das larvas de simulídeos e potencializando seu uso como indicadores biológicos. Desta forma, o aumento da concentração de matéria orgânica no sistema lótico representa um aumento na disponibilidade de recurso alimentar para a população, o qual segundo a literatura pode refletir no aumento do tamanho do corpo das larvas. Portanto, o presente trabalho buscará relacionar a morfometria dos simulídeos com a qualidade da água em áreas conservadas e não conservadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

30-10-2012

Como Citar

BARROS, C. C.; NASCIMENTO, R. A. A.; SENNA, A. R.; FIGUEIRÓ, R. Morfometria de larvas de Diptera (Simuliidae) como ferramenta de monitoramento biológico. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, v. 7, n. 1 Esp, p. 56, 2012. DOI: 10.47385/cadunifoa.v7.n1 Esp.1751. Disponível em: https://revistas.unifoa.edu.br/cadernos/article/view/1751. Acesso em: 29 nov. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2 3 > >>