O desafio de cuidar de usuários de crack

Autores

  • K. R. B. Tavares CESVA – Centro de Ensino superior de Valença
  • M. F. S. Milnyzcul CESVA – Centro de Ensino superior de Valença
  • A. C. S. da Silva CESVA – Centro de Ensino superior de Valença
  • P. C. da Silva CESVA – Centro de Ensino superior de Valença
  • M. R. Braz CESVA – Centro de Ensino superior de Valença

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v7.n1%20Esp.1966

Palavras-chave:

crack, Caps ad, enfermagem

Resumo

O crack é uma droga muito recente, e embora haja muitos estudos sobre seus efeitos e consequências, há pouca produção a respeito das formas para seu tratamento e enfrentamento. No Brasil informações sobre o consumo de crack ainda é insuficiente. A epidemia de uso de crack que se apresenta no país preocupa a todos os brasileiros. A estimativa da OMS para o Brasil é que existam 3% de usuários, o que implicaria em 6 milhões de brasileiros. Os Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS ad) tem seu trabalho voltado ao auxílio de pessoas com transtornos mentais causados pela dependência de álcool e de outras drogas psicoativas, entre elas, o crack. Apesar da inserção de enfermeiros no atendimento aos indivíduos com problemas relacionados ao uso de substâncias psicoativas nos CAPS ad, na literatura, é evidenciado que estes nem sempre são preparados para essa atuação, revelando que existe pouca preocupação das instituições formadoras com a temática álcool e outras drogas durante a formação do enfermeiro, o que contribui para o despreparo desses profissionais, quando se deparam com essa problemática, em seus locais de trabalho (TEIXEIRA; VILLAR apud VARGAS E DUARTE, 2011). Nesse sentido, este estudo tem como objetivo apontar como os enfermeiros que atuam em CAPS ad se preparam para atuar junto a esta clientela. A atual pesquisa trata-se de nota prévia de um Trabalho de Conclusão de Curso e tem como abordagem metodológica o estudo descritivo exploratório, de caráter qualitativo. O cenário será a mesorregião Sul Fluminense do Estado do Rio de Janeiro, os sujeitos serão enfermeiros que atuam em unidades de CAPS ad. O instrumento de coleta de dados será um questionário semiestruturado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-10-30

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 > >>