Efeito da Velocidade de Resfriamento sobre a Transformação da Austenita em Aço Baixa Liga

Autores

  • Evaldo Diniz Dias Centro Universitário de Volta Redonda - UniFOA
  • Célio Jesus Marcelo Universidade Federal Fluminense
  • Horacio Guimarães Delgado Jr. Centro Universitário de Volta Redonda - UniFOA / UERJ
  • José Adilson Castro Universidade Federal Fluminense
  • Carlos Roberto Xavier Centro Universitário de Volta Redonda - UniFOA

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v9.n26.198

Palavras-chave:

Aço baixa liga, Resfriamento contínuo, Microestrutura, Ensaio Jominy

Resumo

As propriedades e, conseqüentemente, as aplicações dos aços estão diretamente relacionadas às suas características microestruturais as quais dependem, entre outros fatores, das transformações sofridas pelos mesmos quando submetidos a algum tipo de ciclo e história térmica. Neste trabalho, um aço comercial baixa liga experimentou variadas velocidades de resfriamento após a sua completa austenitização, o que influenciou de forma qualitativa e quantitativa a microestrutura resultante. Para este fim foram exploradas as facilidades oferecidas pelo ensaio Jominy ao possibilitar o registro dos ciclos térmicos em diferentes posições do corpo de prova do aço avaliado através da inserção de vários termopares ao longo do espécime, os quais estavam conectados a uma unidade digital de aquisição de dados. As microestruturas próximas às posições monitoradas foram então caracterizadas utilizando um conjunto de técnicas de análise como microscopia óptica (MO), microscopia eletrônica de varredura (MEV) e ensaio de microdureza, sendo posteriormente confrontadas com aquelas previstas por um diagrama de transformação durante o resfriamento contínuo do respectivo aço. Adicionalmente, análises de imagem permitiram quantificar a fração dos microconstituintes presentes na microestrutura do aço estudado, sendo que a fração de martensita foi também estimada através da equação cinética de Koistinen-Marburger. A boa concordância obtida entre os resultados experimentais e teóricos confirmou que a metodologia proposta neste trabalho pode ser estendida a outros tipos de aços, inclusive aos metais não ferrosos, para o estudo de transformações metalúrgicas fundamentais que ocorrem durante o resfriamento contínuo a partir de determinadas temperaturas consideradas críticas para estes materiais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Evaldo Diniz Dias, Centro Universitário de Volta Redonda - UniFOA

Engenharia Mecânica (Materiais)

Célio Jesus Marcelo, Universidade Federal Fluminense

Laboratório de Materiais

Horacio Guimarães Delgado Jr., Centro Universitário de Volta Redonda - UniFOA / UERJ

Engenharia Civil (Resistência dos Materiais)

José Adilson Castro, Universidade Federal Fluminense

Pós-Graduação em Engenharia Metalúrgica e Mecânica

Carlos Roberto Xavier, Centro Universitário de Volta Redonda - UniFOA

Engenharia Mecânica (Materiais)

Downloads

Publicado

12/10/2014

Edição

Seção

Tecnologia e Engenharias

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)