Transplantação cardíaca – Indicadores epidemiológicos no Brasil

Autores

  • A. G. P. Baylão UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • M. D. T. Cardoso UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda

Palavras-chave:

transplantação cardíaca, SUS

Resumo

A Transplantação Cardíaca é considerada na atualidade como um dos mais audaciosos e revolucionários procedimentos cirúrgicos da medicina, em virtude das inúmeras evoluções na técnica cirúrgica e fármacos imunossupressores que minimizam as taxas de mortalidade por infecções pós – operatórias, sejam elas imediatas ou tardias, bem como reduziram os índices de rejeição de aloenxertos pelas novas tecnologias em imunossupressão como Azatioprina, Metilprednisolona, Tacrolimus, Micofenolato de Mofetil, Ciclosporina e outros glicocorticóides que deprimem o sistema imunológico do transplantado a fim de evitar uma cascata de sinalizações intracelulares que caracterizam inúmeras respostas inflamatórias com consequente infiltração perivascular de linfócitos no coração transplantado e acabam por não o reconhecer. Assim, o presente estudo tem por objetivo uma análise teórico-prática dos indicadores epidemiológicos da transplantação cardíaca no Brasil, como por exemplo, os indicadores que mostram que a cardiomiopatia mais frequente a complicações que levam a transplantação cardíaca é a insuficiência cardíaca (IC), somando – se ao fato do estado de sucateamento de várias instituições hospitalares brasileiras que contribuem para a persistente fragilidade do setor de transplantes do Sistema Único de Saúde (SUS).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

14-08-2018

Como Citar

BAYLÃO, A. G. P.; CARDOSO, M. D. T. Transplantação cardíaca – Indicadores epidemiológicos no Brasil. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, v. 5, n. 1esp, p. 9, 2018. Disponível em: https://revistas.unifoa.edu.br/cadernos/article/view/2383. Acesso em: 5 out. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2