Estudo da cinética de precipitação da fase sigma em aços inoxidáveis duplex

Autores

  • T. T. Paulino UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • J. A. Castro Escola de Engenharia Industrial Metalúrgica de Volta Redonda – UFF, Volta Redonda, RJ
  • R. B. Ribeiro UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • C. R. Xavier UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v5.n1.2457

Palavras-chave:

aço inoxidável duplex, fase sigma, cinética, tenacidade, polarização potenciodinâmica

Resumo

Os aços inoxidáveis duplex contêm aproximadamente as mesmas quantidades das fases ferrita e austenita em sua microestrutura e oferecem uma atrativa combinação de propriedades mecânicas e de resistência à corrosão. Entretanto, pode ocorrer a precipitação de fases intermetálicas nos aços inoxidáveis duplex quando os mesmos são mantidos ou resfriados a partir de temperaturas elevadas podendo citar, neste caso, a precipitação da fase sigma. A fase sigma pode reduzir drasticamente a tenacidade dos aços inoxidáveis duplex, além de sua resistência à corrosão já que alguns elementos de liga, como o Cr e o Mo que são responsáveis por esta propriedade, se acumulam nesta fase deixando a matriz desprotegida e suscetível ao processo corrosivo. Devido às conseqüências negativas da presença da fase sigma na microestrutura dos aços inoxidáveis duplex sobre as suas propriedades, torna-se necessário compreender como se dá a sua formação nestes aços e, ao mesmo tempo, como tentar evitá-la. Desta forma, este trabalho tem como objetivo o estudo da formação da fase sigma utilizando para este fim tratamentos térmicos isotérmicos em amostras de aço inoxidável duplex tipo 2205. As amostras deste aço serão submetidas a temperaturas variáveis entre 750 e 950oC em banho de sal por tempos de até 300 minutos e resfriadas rapidamente em água ao serem retiradas do banho. A identificação e quantificação da fase sigma formada será feita através de metalografia óptica, difração de raios-X e microscopia eletrônica de varredura (MEV). Corpos de prova das amostras tratadas isotermicamente serão submetidos a ensaios e impacto charpy e a ensaios de polarização potenciodinâmica para avaliar, respectivamente, o efeito da presença de fase sigma sobre a tenacidade e a resistência a corrosão por pite do aço investigado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-08-14

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>