Ser brasileiro: um debate sobre cultura e identidade nacional à ótica da mestiçagem

Autores

  • R. W. Clemente UFF – Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ.
  • I. S. Silva UFF – Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ

Palavras-chave:

cultura brasileira, mestiçagem, identidade nacional

Resumo

Em um mundo globalizado há uma cultura que seja pura? O que é considerado como cultura? Quais as fronteiras e influências do hibridismo cultural no século XX? Enquanto espaço de disputa, quais os seus conflitos quando se busca uma identidade nacional? Ela é possível? A partir dessas questões procuramos trazer à tona a problemática do que é ser brasileiro. Não buscamos, contudo, uma definição ou uma linha que nos remeterá a um conceito sobre nossa cultura e uma resultante de nossa identidade enquanto povo, ao contrário, procuramos ampliar nossos questionamentos com base na construção histórica do tema por nós abordado. São recentes os relatos historiográficos e sociológicos que incluem o negro como personagem importante na construção da cultura brasileira, por tempos, seu papel foi visto como secundário e mesmo ao ser incluído como objeto de estudo social recaiu por uma corrente de análise inspirada nas teorias raciológicas. Importante como indivíduo/grupo que dispersou sua cultura nativa em outras terras – uma delas o Brasil – proporcionou juntamente com os nativos de terras brasileiras e os brancos europeus uma cultura difusa que nos remete a afirmação que não há uma identidade nacional, tal como via única, mas identidades em território nacional. Essas três etnias nos deixaram profundas influências e se por um lado trouxe a benesse de uma cultura brasileira híbrida por outro é significado de constantes conflitos sociais, principalmente em torno de negros e nativos da terra. Com isso buscamos voltar nosso olhar sobre os objetos culturais deixados por essa mestiçagem. O que a priori era quase que exclusivo desses grupos renegados pela ciência histórica oficial, torna-se símbolo do que é em tempos é tido por nacional. Hoje não falamos de Brasil sem nos lembrarmos do Samba, do Carnaval e da Capoeira, patrimônios culturais, frutos da mestiçagem, que outrora eram tidos como elementos marginais. Sendo assim buscamos analisar essa apropriação do mestiço como nacional, forma de disputa na sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

14-08-2018

Como Citar

CLEMENTE, R. W.; SILVA, I. S. Ser brasileiro: um debate sobre cultura e identidade nacional à ótica da mestiçagem. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, v. 5, n. 1esp, p. 120, 2018. Disponível em: https://revistas.unifoa.edu.br/cadernos/article/view/2499. Acesso em: 18 maio. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.