Estudo da microestrutura e da microdureza dos aços 1020 e 1060

Autores

  • Luciano Monteiro Rodrigues Centro Universitário de Volta Redonda – UniFOA
  • Carlos Henrique Reis dos Santos Centro Universitário de Volta Redonda – UniFOA
  • Rodrigo Ribeiro Veloso Centro Universitário de Volta Redonda – UniFOA
  • Marianne Vieira Lemos Centro Universitário de Volta Redonda – UniFOA
  • Claudinei dos Santos Centro Universitário de Volta Redonda – UniFOA
  • Ricardo de Freitas Cabral UniFOA/Professor responsável doutor

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v1.n2.263

Palavras-chave:

, Aço, Carbono, Microestrutura, Microdureza Vickers

Resumo

Estudos sobre aço têm sido diversamente difundidos através dos anos devido ao grande interesse da indústria metalúrgica sobre tal metal tão utilizado. Este trabalho tem como objetivo principal a caracterização microestrutural e a análise da Microdureza Vickers dos aços 1020 e 1060. Aços 1020 e 1060 se diferenciam pela quantidade de Carbono existente na composição química. As amostras foram preparadas metalograficamente, conforme norma ASTM E 407. As análises foram realizadas utilizando os seguintes equipamentos: Microscópio Óptico (MO), Microscópio Eletrônico de Varredura (MEV) e Microdurômetro. Testes em MO mostram a morfologia da microestrutura com a presença de determinados níveis de carbono nos aços estudados. Tal resultado foi também analisado pelas imagens de alta resolução obtidas no MEV. Testes de microdureza na escala Vickers foram realizados com duas cargas de endentação. Os resultados encontrados mostram que tanto na análise microestrutural quanto na análise de dureza, os valores claramente evidenciam as características dos dois tipos de aço estudados. Concluímos que a presença de Carbono influencia diretamente na dureza do tipo de aço escolhido. Pouca quantidade de Carbono na microscopia do aço 1020 explica os baixos valores de dureza Vickers deste aço. No aço 1060 a maior presença de carbono evidencia a maior dureza Vickers da ordem de 240 HV.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo de Freitas Cabral, UniFOA/Professor responsável doutor

Sou Doutor e Mestre em Ciência dos Materiais pelo Instituto Militar de Engenharia – IME. Também possuo graduação em Física pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - UFRRJ. Trabalho na área de ciência dos materiais, mais especificamente com cerâmicas estruturais que possui aplicações nos setores que exigem altas temperaturas. Na UniFOA estou alocado no departamento de Engenharia Elétrica.

Referências

Branco, F. K. ; Influência da Microestrutura na Anisotropia de Chapas Metálicas de Diferentes Aços Estruturais; Projeto de Iniciação Científica; 2007.

http://www.metalica.com.br/o-que-e-aco-carbono.

Marmontel C.F.F; Silva J.M.G.G.; Oliveira L.L.; Polioni M.C. ; Análise Metalografia de Metais ; Arte e Ciência; 2011.

Branco, F. K. ; Influência da Microestrutura na Anisotropia de Chapas Metálicas de Diferentes Aços Estruturais; Projeto de Iniciação Científica; 2007.

http://www.cimm.com.br/portal/material_didatico/6560-teste-da-microdureza.

Downloads

Publicado

10-12-2014

Como Citar

RODRIGUES, L. M.; DOS SANTOS, C. H. R.; VELOSO, R. R.; LEMOS, M. V.; DOS SANTOS, C.; CABRAL, R. de F. Estudo da microestrutura e da microdureza dos aços 1020 e 1060. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, v. 1, n. 2, p. 39–44, 2014. DOI: 10.47385/cadunifoa.v1.n2.263. Disponível em: https://revistas.unifoa.edu.br/cadernos/article/view/263. Acesso em: 28 jan. 2023.

Edição

Seção

Especial Mestrado em Materiais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>