A MINIMIZAÇÃO DO MAL DA MONTANHA NOS ESCALADORES DE ALTA ALTITUDE ATRAVÉS DA ACLIMATAÇÃO FÍSICA

Autores

  • Moacyr Ennes Amorim Centro Universitário de Volta Redonda

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v10.n1%20esp.311

Palavras-chave:

Ergonomia, Fatores Ambientais, Mal da Montanha, Aclimatação, Montanhismo

Resumo

O Mal da Montanha é um distúrbio ou reação do organismo à baixa pressão atmosférica, causada pela exposição do homem à ambientes hipobáricos, característicos da regiões de alta montanha. O ar rarefeito é o principal gerador da referida síndrome, aliado ao rápido ganho de altitude e agravado pela tensão psicofisiológica e pelo cansaço. Estima-se que a metade das pessoas que permanecem a uma altitude superior a 3000 m, durante mais de seis horas são afetadas pelo mal da montanha em graus muito diversos, que vão desde a simples dor de cabeça até perturbações muito mais graves . Assim sendo, o artigo tem como propósito evidenciar os efeitos da altitude e da baixa pressão atmosférica sobre o organismo humano, no ambiente de alta montanha; as enfermidades relacionadas com a altitude e como evitá-las a partir das possíveis formas de aclimatação física e sem a intervenção medicamentosa. Para o desenvolvimento do referido artigo, utilizou-se a revisão bibliográfica e documental a partir da discussão de diversos autores que já abordaram o tema.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Moacyr Ennes Amorim, Centro Universitário de Volta Redonda

Mestre, Especialista em Atividades de Lazer e Aventura ao Ar Livre e Desenhista Industrial

Downloads

Publicado

2015-01-10

Edição

Seção

Especial Design

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)