Traços de Concreto Sem Função Estrutural com Adição de Entulho

Autores

  • Júlio Cesar Salles Cunha Aluno do MEMAT - Unifoa
  • Horácio Guimarães Delgado Júnior Professor do MEMAT - Unifoa Professor Adjunto - UERJ
  • Cleidiane Lacerda Aluna MEMAT - Unifoa

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v11.n32.344

Palavras-chave:

Entulhos, artefatos de concreto, reciclagem

Resumo

A indústria da construção civil gera por ano cerca de 50% de todo resíduo sólido gerado segundo o IBGE, este estudo analisa o comportamento dos traços de concreto sem função estrutural confeccionados com estes resíduos, estes entulhos são de demolição e tem uma característica bastante peculiar, dessa forma, a caracterização média deste resíduo está condicionada a parâmetros específicos da região geradora do resíduo analisado. A degradação do meio gerada pelos resíduos de construção civil pode ocorrer pelo esgotamento de áreas sadias e poluição dos cursos d’água, contudo deve atender a uma série de resoluções, decretos, leis e portarias, como a resolução Conama nº 307, o Estatuto das Cidades e a Lei Federal 9605 (crimes ambientais), que estabelecem diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão de seus resíduos. O processo constituiu na confecção de artefatos de concreto (corpos de prova) para obtenção das respectivas resistências à compressão simples e compressão axial. Os ensaios foram realizados aos 7, 14, 21 e 28 dias de cura, sendo feita as substituições de agregados naturais (brita 1) por entulhos, cujas misturas foram nas proporções de, 15%, 30% e 100%. Em geral, os resultados foram aceitáveis pelas normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. Os resultados de validação obtidos pelo modelo foram bastante satisfatórios. Os resultados mostraram a viabilidade de confeccionar artefatos de concreto reciclando entulhos da construção civil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Júlio Cesar Salles Cunha, Aluno do MEMAT - Unifoa

RESUMO

 

A indústria da construção civil gera por ano cerca de 50% de todo resíduo sólido gerado segundo o IBGE, este estudo analisa o comportamento dos traços de concreto sem função estrutural confeccionados com estes resíduos, estes entulhos são de demolição e tem uma característica bastante peculiar, dessa forma, a caracterização média deste resíduo está condicionada a parâmetros específicos da região geradora do resíduo analisado. A degradação do meio gerada pelos resíduos de construção civil pode ocorrer pelo esgotamento de áreas sadias e poluição dos cursos d’água, contudo deve atender a uma série de resoluções, decretos, leis e portarias, como a resolução Conama nº 307, o Estatuto das Cidades e a Lei Federal 9605 (crimes ambientais), que estabelecem diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão de seus resíduos.

O processo constituiu na confecção de artefatos de concreto (corpos de prova) para obtenção das respectivas resistências à compressão simples e compressão axial. Os ensaios foram realizados aos 7, 14, 21 e 28 dias de cura, sendo feita as substituições de agregados naturais (brita 1) por entulhos, cujas misturas foram nas proporções de, 15%, 30% e 100%. Em geral, os resultados foram aceitáveis pelas normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT.

Os resultados de validação obtidos pelo modelo foram bastante satisfatórios.

Os resultados mostraram a viabilidade de confeccionar artefatos de concreto reciclando entulhos da construção civil.

 

 

 

 

 

 

 

Palavras-chave: Entulhos, artefatos de concreto, reciclagem.

Referências

ABNT, NBR 10004 – Resíduos Sólidos – Classificação. 2004.

ABNT, NBR 15.116 – Agregados reciclados de resíduos sólidos da construção civil - Utilização em pavimentação e preparo de concreto sem função estrutural – Classificação. 2004.

ABNT. NBR 5732. Cimento Portland comum-especificação. Rio de Janeiro, 1991. 5p.

ABNT. NBR 5738. Concreto - procedimento de moldagem e cura de corpos-de-prova. Rio de janeiro. 2008. 9p.

ABNT. NBR 7215. Cimento Portland - Determinação da resistência à compressão. Rio de Janeiro, 1996. 8p.

ABNT. NBR 7222. Argamassa e concreto – Determinação da resistência à tração por compressão diametral de corpos-de-prova cilíndricos. Rio de Janeiro, 1994.3p.

BAUER, Luiz Alfredo Falcão. Materiais de Construção. 5 ed. rev. Rio de Janeiro: LTC, 2011. 471 p.

BRASIL. Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA). Resolução no 307, de 5 de julho de 2002. Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil. s.l: 2002. 3p.

CRUZ, André Luiz Guerreiro da. Uma contribuição Metodológica para o Estudo do Comportamento do Fluxo Material em Processos Construtivos, em Obras de Edificações, na Indústria da Construção Civil. Uma abordagem logística. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Programa de Pós Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis: 2002.

LEVY, S.M. Reciclagem de entulho de construção civil para utilização como agregado de argamassas e concreto. 145p. Dissertação (Mestrado) – Escola Politécnica, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1997.

MONTEIRO, P. J. M. Caracterização da microestrutura do concreto: fases e interfaces; aspectos de durabilidade e de microfissuração. São Paulo, 1993. 138 p. Tese (livre docência). Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

PETRUCCI, Eládio G. Concreto de Cimento Portland. São Paulo: Associação Brasileira de Cimento Portland, 1968.

VAZ FILHO, P.; CORDEIRO, J. S. Gerenciamento de sistemas de drenagem urbana: uma necessidade cada dia mais intensa. Revista Engenharia. Edição 541. São Paulo: Engenho editora técnica Ltda., p. 63-67, 2000.

Downloads

Publicado

10-12-2016

Como Citar

SALLES CUNHA, J. C.; DELGADO JÚNIOR, H. G.; LACERDA, C. Traços de Concreto Sem Função Estrutural com Adição de Entulho. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, v. 11, n. 32, p. 35–45, 2016. DOI: 10.47385/cadunifoa.v11.n32.344. Disponível em: https://revistas.unifoa.edu.br/cadernos/article/view/344. Acesso em: 8 dez. 2022.

Edição

Seção

Tecnologia e Engenharias

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)