Crescimento do pinhão-manso em resposta à adubação fosfatada e à compactação de um Latossolo Vermelho Amarelo sob cultivo em ambiente protegido

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v16.n45.3536

Palavras-chave:

Jatropha curcas L. Consumo hídrico. Biometria da planta. Adubação fosfatada. Compressibilidade de solo.

Resumo

O presente trabalho objetivou quantificar o crescimento de plantas jovens de pinhão-manso submetidas a variações de doses de fósforo (P) e de massas específicas de um solo Latossolo Vermelho Amarelo. Previamente, na micro-região de Januária, foi coletada uma amostra de solo na camada de 20 a40 cm, certificando-se, em laboratório, da baixa disponibilidade de P – 1,4 mg dm-3 de P – a fim de se aplicar os tratamentos de interesse. Foram aplicadas doses de 0, 106 e 318 mg dm-3 de P, utilizando a fonte superfosfato simples; e os solos foram compactados até atingirem massas específicas de solo iguais a 1,53; 1,72 e 1,91 kg dm-3, em esquema fatorial completo, totalizando nove tratamentos. O cultivo foi em vasos de PVC com dimensões de 19,4 cm de diâmetro interno e 23,5 cm de altura, com volume útil de 5,912 dm3 de solo. O crescimento das plantas foi determinado por meio de mensurações de altura de planta, diâmetro de colo, número de folhas e consumo hídrico ao longo do ciclo; e de massa seca de raízes, caule e folha a época da coleta do experimento. Para análise estatística dos dados fez-se análise de variância, teste de média Tukey e análise de regressão. De modo geral, as características de crescimento das plantas apresentaram resposta mais pronunciada à adubação fosfatada comparada à compressão física testada. As raízes de pinhão-manso foram incapazes de penetrar camada de solo com massa específica de solo igual a 1,91 kg dm-3.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dilermando Dourado Pacheco, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais - Campus Januária País Brasil

Professor doutor departamento de Solos.

Referências

BERTONI, J. & LOMBARDI NETO, F. Conservação do solo. 4.ed. São Paulo, Ícone, 1999. 355p.

CHAVES, L.H.G.; SOUZA, R.S. Crescimento, distribuição e acumulação de cádmio em plantas de Jatropha curcas. Rev. de Ciências Agrárias, Lisboa , v. 37, n. 3, p. 286-291, set. 2014.

EMBRAPA, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Centro Nacional de pesquisa de Solos. Manual de métodos de análise de solo. 2ª edição. Rio de Janeiro, 1997, 212p.

FREIBERGER, Mariângela Brito. Crescimento inicial e nutrição do pinhão-manso em função da adubação NPK. 2012. x, 68 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agronômicas de Botucatu, 2012.

HORSCHUTZ, A.C.O.; TEIXEIRA, M.B.; ALVES, J.M.; SILVA, F.G.; SILVA, N.F. da. Crescimento e produtividade do pinhão-manso em função do espaçamento e irrigação. Rev. bras. eng. agríc. ambient., Campina Grande , v. 16, n. 10, p. 1093-1099, out. 2012.

JORGE, J.A. Compactação do solo: causas, conseqüências e maneiras de evitar sua Ocorrência. Campinas, Instituto Agronômico, 1983. 22p. (Circular, 117)

MALAVOLTA, E. Manual de Nutrição Mineral de Plantas. 1ª ed. São Paulo: EditoraAgronômica Ceres, 2006. v. 1. 638 p.

MARCOLAN, A. L.; ROCHA, R. B.; LAVIOLA, B. G.; RAMALHO, A. R.; SANTOS, A. R. dos; BATISTA, H. A. F. Produtividade de grãos e crescimento de pinhão-manso sob diferentes doses de adubação NPK. Porto Velho: Embrapa Rondônia, 2014. (Embrapa Rondônia. Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento, 73).

PAULINO, J.; FOLEGATTI, M.V.; FLUMIGNAN, D.L.; ZOLIN, C.A.; BARBOZA JÚNIOR, C.R.A.; PIEDADE, S.M. DE S. Crescimento e qualidade de mudas de pinhão-manso produzidas em ambiente protegido. Rev. bras. eng. agríc. ambient., Campina Grande , v. 15, n. 1, p. 37-46, Jan. 2011.

SATURNINO, H.M.; PACHECO, D.D.; KAKIDA, J.; TOMINAGA, N.; GONÇALVES, N.P. Cultura do pinhão-manso (Jatropha curcas L.). Informe Agropecuário. Belo Horizonte, v.26, n.229. p.44-78, 2005.

SILVA, J.T.A. da.; SIMAO, F.R.; ALVES, J.J.M. Desenvolvimento vegetativo e produção do pinhão-manso em resposta à adubação fosfatada. Rev. Ceres, Viçosa, v. 62, n. 3, p. 319-322, June 2015 .

Downloads

Publicado

2021-04-13

Edição

Seção

Tecnologia e Engenharias