A Estratégia de Saúde da Família: o papel da equipe de saúde bucal

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v17.n48.3581

Palavras-chave:

Família. Saúde da Família. Sistema Único de Saúde. Saúde Bucal.

Resumo

O Programa de Saúde da Família (PSF), constituiu estratégia para remodelar a maneira como a assistência era fornecida a população. A Política Nacional de Atenção Básica (PNAB) designou de Estratégia de Saúde da Família (ESF) o PSF. A ESF tinha finalidade de promover reorientação e reformulação do processo de trabalho no Sistema Único de Saúde (SUS). As equipes de saúde bucal (ESB) foram também incorporadas a ESF. O objetivo do presente trabalho foi verificar como a estratégia de saúde da família com sua equipe, que pode inclusive contar com um cirurgião dentista, pode influir no contexto dos atendimentos prestados na assistência à saúde pública. Realizou-se revisão bibliográfica com levantamento nas bases de dados: PubMED, Google Acadêmico de estudos e artigos que versavam acerca do papel da estratégia saúde da família e da inclusão concomitante das equipes de saúde bucal na performance apresentada pela assistência à saúde pública. A ESF visa obter a reorganização da Atenção Básica, levando em consideração os princípios do SUS. As funções das ESB no decorrer dos atendimentos prestados a população devem englobar a prática da interatividade com profissionais de outras áreas, no intuito de proceder-se a atuação em saúde, considerando os pacientes como um todo. A inclusão das ESB na ESF possibilitou atender a demanda dos pacientes para atendimento e possibilitou melhoria na qualidade de vida dos mesmos, permitindo a eliminação das sensações de dor desconforto provenientes de problemas odontológicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sérgio Spezzia, Escola Paulista de Medicina - Universidade Federal de São Paulo.

Cirurgião Dentista. Especialista em Gestão em Saúde pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Especialista em Gestão Pública pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). Mestre em Ciências pela Escola Paulista de Medicina - UNIFESP.

Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. Saúde da Família: uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial. 2. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 1998.

BRASIL. Ministério da Saúde (MS). Portaria nº 1.444, de 28 de dezembro de 2000. Estabelece incentivo financeiro para a reorganização da atenção à saúde bucal prestada nos municípios por meio do Programa de Saúde da Família. Diário Oficial da União 2000; 29 dez. Disponível em: http://www1.saude.rs.gov.br/dados/11652497918841%20Portaria%20N%BA%201444%20de%2028%20dez%20de%202000.pdf. Acesso em: 12 jul. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n.º 267/GM, de 06 de março de 2001. Aprova as normas e diretrizes de inclusão da saúde bucal na estratégia do Programa de Saúde da Família. Diário Oficial da União 2001. 7 de março. Disponível em: https://www.nescon.medicina.ufmg.br/biblioteca/imagem/1725.pdf. Acesso em: 12 jul. 2021.

BRASIL. Secretaria de Assistência à Saúde. Saúde da Família: uma estratégia de organização dos serviços de saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2006. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/memorias_saude_familia_brasil.pdf. Acesso em: 12 jul. 2021.

BRASIL. Portaria nº 154, de 24 de janeiro de 2008. Cria os Núcleos de Apoio à Saúde da Família – NASF. Diário Oficial da União 2008; 25 jan. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt0154_24_01_2008.html. Acesso em: 12 jul. 2021.

BRASIL. Portaria GAB/MS nº 3.124, de 28 de dezembro de 2012. Redefine os parâmetros de vinculação dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) Modalidades 1 e 2 às Equipes Saúde da Família e/ou Equipes de Atenção Básica para populações específicas, cria a Modalidade NASF 3, e dá outras providências. Diário Oficial da União 2012; 29 dez. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2012/prt3124_28_12_2012.html. Acesso em: 12 jul. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. A saúde bucal no Sistema Único de Saúde. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília: Ministério da Saúde, 2018. 350 p.

CARNUT, L.; SILVA, J. L. Saúde bucal na estratégia de saúde da família: das desigualdades sociais à inserção das ações. J Manag Prim Health Care, v. 3, n. 2, p. 186-196, 2012. DOI: https://doi.org/10.14295/jmphc.v3i2.156

MATTOS, G. C. M.; FERREIRA, E. F.; LEITE, I. C. G.; GRECO, R. M. A inclusão da equipe de saúde bucal na Estratégia Saúde da Família: entraves, avanços e desafios. Ciênc saúde coletiva, v. 19, n. 2, p. 373-382, 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232014192.21652012

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Portaria MS n. 1.444 de 28 de dezembro de 2000. D.O. 250-E de 29-12-2000, pág. 85. Disponível em: http://saude.mppr.mp.br/pagina-291.html. Acesso em: 15 set. 2020.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Diretrizes da Política Nacional de Saúde Bucal. Brasília, 2004. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/geral/diretrizes_da_politica_nacional_de_saude_bucal.pdf. Acesso em: 16 set. 2020.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Desenvolvimento de sistemas e serviços de saúde. A política Nacional de saúde bucal do Brasil: registro de uma conquista histórica. Brasília. 2006. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/geral/serie_tecnica_11_port.pdf Acesso em: 12 jul. 2021.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Portaria nº 2.436, de 21 de setembro de 2017. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prt2436_22_09_2017.html Acesso em: 15 set. 2020.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Estratégia Saúde da Família – Equipe de Saúde Bucal. 2017a. Disponível em: https://www.saude.gov.br/acoes-e-programas/politica-nacional-de-saude-bucal/atencao-basica/equipe-de-saude-bucal. Acesso em: 16 set. 2020.

PINTO, L. F.; GIOVANELLA, L. Do Programa à Estratégia Saúde da Família: expansão do acesso e redução das internações por condições sensíveis à atenção básica (ICSAB). Ciênc & Saúde Coletiva, v. 23, n. 6, p. 1903-1913, 2018. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232018236.05592018

PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA. Departamento de Atenção Básica - Secretaria de Políticas de Saúde. Informes Técnicos Institucionais. Rev Saúde Pública, v. 34, n. 3, p. 316-319, 2000. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-89102000000300018

SANTOS, M. A. M.; CUTOLO, L. R. A. A Interdisciplinaridade e o Trabalho em Equipe no Programa de Saúde da Família. Arq Catarin Med, v. 32, n. 4, p. 65-74, 2003.

SCHERER, M. D. A.; PIRES, D. A interdisciplinaridade prescrita para o trabalho da equipe de saúde da família, na percepção dos profissionais de saúde. Tempus – Actas de Saúde Coletiva, v. 3, n. 2, p. 30-42, 2009.

SILVA, B. S.; CALDARELLI, P. G. O PET-Saúde em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais de Odontologia no desenvolvimento de competências profissionais: relato de experiência, Rev ABENO, v. 13, n. 2, p. 34-41, 2013. DOI: https://doi.org/10.30979/rev.abeno.v13i2.81

SILVA, I. Z. Q. J.; TRAD, L. A. B. O trabalho em equipe no PSF: investigando a articulação técnica e a interação entre os profissionais. Interface-Comunic, Saúde, Educ, v. 9, n. 16, p. 25-38, 2005. DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-32832005000100003

Downloads

Publicado

04/01/2022

Edição

Seção

Ciências Biológicas e da Saúde