Proposta de utilização de ferramenta colaborativa no mapeamento de áreas propícias para o provimento de tecnologias sociais em saneamento

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v17.n48.3834

Palavras-chave:

Áreas Periféricas. Geoprocessamento. Participação Social. Saneamento Básico.

Resumo

A cartografia, que antes era vista como uma ciência estritamente técnica, passou a ser utilizada como instrumento de autoafirmação no contexto espacial por pessoas e comunidades organizadas, dando suporte à reivindicação de direitos e atingimento de anseios. Isso, somado ao crescimento de experiências em tecnologias sociais e a necessidade de uma maior participação popular nas decisões que envolvem ações públicas, justificaram esta pesquisa. Nesse sentido, este trabalho se propôs a mapear as áreas mais propícias para o desenvolvimento de tecnologias sociais em saneamento e a utilização de ferramenta colaborativa digital para disponibilização dos dados geoespaciais gerados, permitindo seu uso futuro por organizações sociais. A presente pesquisa optou, como área de estudo, a capital brasileira com a maior proporção de domicílios situados em áreas precárias (aglomerados subnormais), o município de Belém do Pará. Na aplicação proposta, foi realizada a ponderação de dados geoespaciais relacionados à situação do saneamento básico, resultando no mapeamento das áreas mais propícias para o desenvolvimento de tecnologias sociais nesse segmento, sendo selecionados 26 bairros e 17 ilhas, dentro dos limites municipais. Por fim, após atestada a capacidade do SIG na identificação dos déficits em saneamento e da seleção de áreas proposta, os dados gerados foram disponibilizados em plataforma colaborativa, visando ao desenvolvimento e acompanhamento de projetos em tecnologia social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Felipe Soares Almeida, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará - IFPA

Engenheiro Sanitarista e Ambiental. Pós-graduando em Tecnologia Social em Saneamento, Saúde e Ambiente na Amazônia - IFPA.

Valdinei Mendes da Silva, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará - IFPA

Engenheiro Sanitarista. Doutor em Geociências - UFPA.

Jaqueline Maria Soares da Silva, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará - IFPA

Engenheira Sanitarista. Mestre em Engenharia Civil - UFPA.

Referências

ALVES, Claudia Durand et al. Análise dos processos de expansão urbana e das situações de vulnerabilidade socioambiental em escala intra-urbana. IV Encontro Nacional da ANPPAS. Anais. Brasília, 2008. Disponível em: http://urlib.net/rep/sid.inpe.br/mtc-m18@80/2008/08.06.20.21. Acesso em: 10 fev. 2021.

ALVES, Eliseu; SOUZA, Geraldo da Silva; MARRA, Renner. Êxodo e sua contribuição à urbanização de 1950 a 2010. Revista de Política Agrícola, 2011. Disponível em: https://seer.sede.embrapa.br/index.php/RPA/article/view/61. Acesso em: 22 fev. 2021.

AYACH, Lucy Ribeiro et al. Saúde, saneamento e percepção de riscos ambientais urbanos. Caderno de Geografia, v. 22, n. 37, p. 47-64, 2012. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/geografia/article/view/3021. Acesso em: 25 fev. 2021.

BELÉM. Anuário Estatístico do Município de Belém. 2020a. Belém. Secretaria Municipal de Planejamento - SEGEP. 2020. Disponível em: https://anuario.belem.pa.gov.br/. Acesso em: 15 fev. 2021.

BELÉM. Plano Municipal de Saneamento Básico. 2020b. Belém. Disponível em: http://pmsb-pgirs.belem.pa.gov.br/o-pmsb/. Acesso em: 16 mar. 2021.

BRAVO, João Vitor Meza; SLUTER, Claudia Robbi. O Mapeamento Colaborativo: seu surgimento, suas características e o funcionamento das plataformas. Revista Brasileira de Geografia Física, [S.l.], v. 11, n. 5, p. 1902-1916, dez. 2018. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/rbgfe/article/view/236797. Acesso em: 11 jan. 2021. DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v11.5.p1902-1916

CARDOSO, Ana Cláudia Duarte; VICENTE, Letícia Ribeiro; OLIVEIRA, Rafaela Carolina Bulhões de. CARTOGRAFIA SOCIAL DA ILHA DE COTIJUBA–BELÉM/PA. Cadernos de Arquitetura e Urbanismo, v. 26 n. 39, 2019. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/Arquiteturaeurbanismo/article/view/22714. Acesso em: 14 mar. 2021. DOI: https://doi.org/10.5752/P.2316-1752.2019v26n39p255

IBGE. Aglomerados Subnormais 2019: Classificação preliminar e informações de saúde para o enfrentamento à COVID-19. Notas técnicas. 2020. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/geociencias/organizacao-do-territorio/tipologias-do-territorio/15788-aglomerados-subnormais.html?=&t=acesso-ao-produto. Acesso em: 10 abr. 2021.

MARTINE, George; TURCHI, Lenita. A urbanização da Amazônia: realidade e significado. In: VI Encontro Nacional de Estudos Populacionais, 2016, Olinda. Anais [...]. Olinda: ABEP, 2016, p. 159-189. Disponível em: http://www.abep.org.br/publicacoes/index.php/anais/article/view/459. Acesso em: 26 fev. 2021.

PACHÊCO, Admilson da Penha et al. Sensoriamento remoto de alta resolução espacial na caracterização de assentamentos informais. Revista de Geografia Norte Grande, n. 57, p. 143-159, 2014. Disponível em: http://www.scielo.cl/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0718-34022014000100010&lng=es&nrm=iso. Acesso em: 10 mar. 2021. DOI: https://doi.org/10.4067/S0718-34022014000100010

SEBRAE. Tecnologias Sociais: como os negócios podem transformar comunidades. 1 ed. Cuiabá: SEBRAE, 2017. Disponível em: http://sustentabilidade.sebrae.com.br/Sustentabilidade/Para%20sua%20empresa/Publica%C3%A7%C3%B5es/Tecnologias-Sociais-final.pdf. Acesso em: 13 mar. 2021.

SNIS. Diagnósticos SNIS 2019. 2020. Disponível em: http://www.snis.gov.br/diagnosticos. Acesso em: 20 maio 2021.

Downloads

Publicado

04/01/2022

Edição

Seção

Tecnologia e Engenharias