Elaboração do jogo “MyBio Game”: uma ferramenta para o ensino interativo da biossegurança na área de análises clínicas.

Autores

  • Camila Panêto Rosa UniFOA - Centro Universitário de Volta Redonda
  • Carlos Alberto Sanches Pereira UniFOA - Centro Universitário de Volta Redonda
  • Paulo Roberto de Amoretty UniFOA - Centro Universitário de Volta Redonda

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v11.n32.385

Palavras-chave:

Mobile learning, ensino, biossegurança

Resumo

A biossegurança é o conjunto de estudos e ações que visam prevenir os acidentes no meio biotecnológico, ou seja, trata-se da conscientização dos profissionais da área aos possíveis riscos. A preocupação com a segurança do profissional especialmente de profissionais que trabalham na área da saúde vem aumentando em grande escala nos últimos anos. Devido a isso, novas técnicas e normas tem sido criadas para prover uma melhor qualidade de vida dos trabalhadores que se expõe aos agentes de riscos. Prevenir acidentes decorrentes dessa exposição é um dos principais interesses a serem sanados, devido ao fato de que muitos acidentes poderiam ser evitados se houvesse um melhor sistema de educação relacionado a segurança pessoal e do ambiente. No Brasil os dados encontrados demonstram que a maior parte dos acidentes resultantes em infecções é entre os estudantes universitários, que desempenham o papel de estagiários nesse ambiente de trabalho, posteriormente se encontram os técnicos de laboratório e os serventes. Uma das principais demandas da sociedade e que deve ser considerada prioridade é a educação. É através do sistema de educação que uma pessoa se torna capacitada para a atuação profissional, além da formação do indivíduo, do ensino e da aprendizagem. Nota-se atualmente a necessidade de metodologias de ensino que sejam estimulantes e se adequem a modernidade do século em que vivemos, por isso as táticas de ensino estão passando por diversas mudanças, sendo usadas metodologias que prezem por provocar à autoaprendizagem por meios interativos que estimulem o conhecimento, o senso crítico, entre outros. Um exemplo deles são os jogos didáticos que estão sendo cada vez mais introduzidos nas escolas, sendo eles bastante enriquecedores para o ensino lúdico e o aprendizado, tendo vantagens significativas quando utilizados, possibilitando a criação de suposições e habilidades práticas. Em virtude disso foi proposto como objetivo do trabalho a elaboração de um jogo relacionado a biossegurança como método interativo de envolver o profissional, ou futuros profissionais visando minimizar os riscos de acidentes de trabalho, pela nova metodologia de ensino denominada mobile learning, metodologia utilizada por consequência à fácil acessibilidade, que permite o ensino a distância e que além de oferecer o aprendizado é dinâmico e interativo sendo funcional na comunicação móvel. A partir deste artigo pode-se compreender que a educação é primordial para a vida pessoal e profissional de um indivíduo e afeta diretamente o nível de segurança que o mesmo terá no seu ambiente de trabalho, principalmente para o profissional que atua na área Biotecnológica, havendo assim, a necessidade de um meio interativo de transmissão das regras básicas de segurança nesta área, de forma que as mesmas sejam internalizadas e colocadas em prática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, A. B. S.; ALBUQUERQUE, M. B. M. Biossegurança: um enfoque histórico através da história oral. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, v. 7, n. 1, 2000.

ANDRADE, L. Z. C.; FREITAS, D. T.; HOLANDA, G. F.; SILVA, V. M.; LOPES, M. V. O.; ARAÚJO, T. L. Desenvolvimento e validação de jogo educativo: medida da pressão arterial. Rev Enferm, v.20, n.3, p. 323 – 327, 2012.

BERNARDINO, S. R. H.; PAIZANTE, G. O. “Análise dos Registros de Acidentes Ocupacionais, Ocasionados por Perfurocortantes”. Revista Meio Ambiente e Saúde, v. 2, p. 136-15, 2008.

CERI, S.; FRATERNALI, P.; BONGIO, A. "Web Modeling Language (WebML): a Modeling Language for Designing Web Sites". Disponível em: <http://webml.org/webml/upload/ent5/1/www9.pdf> Acesso em 11 set. 2014.

COMISSÃO TÉCNICA NACIONAL DE BIOSSEGURANÇA – CTNBio. Disponível em: <http://www.ctnbio.gov.br/ctnbio/default.htm> Acesso em: 03 out. 2015

CONTIN, R. C.; FERREIRA, W. A. Jogos: Instrumentos pedagógicos no Ensino da Matemática. Disponível em: <http://www.portaldaeducacao.seduc.mt.gov.br/cefaprocaceres> Acesso em: 11 set. 2014.

FERREIRA, M. C.; MENDES, A. M. "Só de pensar em vir trabalhar, já fico de mau humor": atividade de atendimento ao público e prazer-sofrimento no trabalho. Estudos de Psicologia, v. 6, n. 1, 2001.

FIALHO, N. N.; MATOS, E. L. M. A arte de envolver o aluno na aprendizagem de ciências utilizando softwares educacionais. Educação em Revista, 2010.

MACIEL, E. L. N.; VIANA, M. C.; ZEITONE, R. C. G.; FERREIRA, I.; FREGONA, G.; DIETZE, R. Prevalence and incidence of Mycobacterium tuberculosis infection innursing students in Vitória, Espírito Santo. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v.38, n. 6, 2005.

MAMEDE, S.; PENAFORTE, J. Aprendizagem baseada em problemas: anatomia de uma nova abordagem educacional, Hucitec, p.49 - 78, 2001.

MARTINEZ, E. R. M.; FUJIHARA, R. T.; MARTINS, C. Show da Genética: um jogo interativo para o ensino de genética. Disponível em: <http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/2010/artigos_teses/Biologia/Artigos/showgene.pdf> Acesso em: 14 ago. 2015.

MARZIALE, M. H. P.; RODRIGUES, C. M. A produção cientifica sobre acidentes de trabalho com material perfurocortante entre trabalhadores de enfermagem. Revista Latino-Americano Enfermagem, v. 10, n. 4, 2002.

MIRANDA, S. No Fascínio do jogo, a alegria de aprender. Ciência Hoje, v.28, p. 64 - 66, 2001.

MÜLLER I. C.; MASTROENI M. F. Tendência de acidentes em laboratórios de pesquisa. Revista Biotecnologia Ciência & Desenvolvimento, n. 33, 2004.

PELIZZARI, A.; KRIEGL, M. L.; BARON, M. P.; FINCK, N. T. L. DOROCINSKI, S. I. Teoria da aprendizagem significativa segundo Ausubel. Revista Psicologia, Educação e Cultura, v.2, n.1, p.37-42, 2002.

ROBLES, G.; GONZÁLEZ-BARAHONA, J. M.; FERNÁNDEZ-GONZÁLEZ, J. Implementing Gymkhanas with Android smartphones: A multimedia m-learning game. Proceedings of the IEEE Global Engineering Education Conference (EDUCON), 2010.

RONCA, A. C. C. Teorias de ensino: a contribuição de David Ausubel. Temas em psicologia, v.2, n.3, 1999.

SILVA, A. D. R. L.; MASTROENI, M. F. Biossegurança: O conhecimento dos formatos da área da saúde. Revista Baiana de saúde pública, v. 33, n. 3, p. 476 - 487, 2010.

SILVA, L. F.; OLIVEIRA, E. D., BOLFE, M. Mobile Learning Aprendizagem com mobilidade. Colloquium Exactarum, v. 5, p. 59 - 65, 2013.

ZOCHIO, L. B. Biossegurança em Laboratórios de Análises Clínicas. Disponível em: <http://www.ciencianews.com.br/arquivos/ACET/IMAGENS/revista_virtual/administracao_laboratorial/trabzochio.pdf> Acesso em: 06 abril de 2015.

Downloads

Publicado

10-12-2016

Como Citar

ROSA, C. P.; PEREIRA, C. A. S.; AMORETTY, P. R. de. Elaboração do jogo “MyBio Game”: uma ferramenta para o ensino interativo da biossegurança na área de análises clínicas. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, v. 11, n. 32, p. 99–110, 2016. DOI: 10.47385/cadunifoa.v11.n32.385. Disponível em: https://revistas.unifoa.edu.br/cadernos/article/view/385. Acesso em: 8 dez. 2022.

Edição

Seção

Ciências Biológicas e da Saúde

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)