Revisão sobre a toxicidade e impactos ambientais relacionados à vinhaça, efluente da indústria sucroalcooleira

Autores

  • Felipe de Aquino Lima UFSJ
  • Antônio Carvalho dos Santos Junior
  • Luidi Castro Martins
  • Boutros Sarrouh
  • Renata Carolina Zanetti Lofrano Universidade Federal de São João Del Rei/UFSJ

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v11.n32.465

Palavras-chave:

vinhaça, efluente, indústria sucroalcoleira, impactos ambientais.

Resumo

O Brasil é um dos maiores produtores mundiais de etanol proveniente de cana-de-açúcar. No processo de produção do biocombustível etanol vários resíduos são gerados, dentre eles destaca-se a vinhaça como o mais preocupante, devido as suas características físico-químicas e grande volume gerado. Este efluente é caracterizado altos teores de matéria orgânica, apresentando elevada demanda bioquímica de oxigênio (DBO), pH ácido e a presença de elementos como potássio e enxofre. Tais propriedades conferem a vinhaça um grande poder como poluidor ambiental. Estudos demonstram a contaminação de águas, solos, flora e fauna de mananciais. Considerando-se que o etanol é produzido empregando-se diferentes matérias primas, em inúmeros países, é possível concluir que estamos diante de um problema mundial bastante relevante, relacionado aos usos, armazenamento e descarte desse efluente. Essa revisão apresenta detalhadamente a origem, as propriedades e os impactos ambientais relacionados à vinhaça.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata Carolina Zanetti Lofrano, Universidade Federal de São João Del Rei/UFSJ

Professora Adjunto IV do Departamento de Engenharia Química e Estatística da Universidade Federal de São João del Rei - Campus Alto Paraopeba (DEQUE/UFSJ/CAP).

Referências

CONAB. Acompanhamento de safra brasileira: cana–de–açúcar, terceiro levantamento, Companhia Nacional de Abastecimento, Brasília, 2(3): 1-65, 2015.

LAIME, E.M.O.; et al. Revista Trópica: Ciências Agrárias e Biológicas, 5(3): 16-29, 2011.

ROCHA, M.H.; et al. Resíduos da produção de biocombustíveis: vinhaça e glicerina, vol. 2. Rio de Janeiro: Interciência, p. 691-809. 2012.

SILVA, M.A.S.; et al. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 11(1): 108-114, 2007.

LUDOVICE, M.T.F. Estudo do efeito poluente da vinhaça infiltrada em canal condutor de terra sobre o lençol freático, Dissertação de Mestrado, UNICAMP, 1997.

KANNAN, N.; et al. Journal of Hazardous Materials B137. p. 1803–1809, 2006.

MOHANA, S.; et al. Bioresource Technology, 98(10): 333–339, 2006.

CHANDRA, R.; et al. Bioresource Technology, 99(11): 4648-4660, 2008.

SILVA, A. Vinhaça concentrada de cana-de-açúcar: monitoramento das propriedades químicas do solo e mineralização líquida de nitrogênio. Tese de Doutorado, USP, 2012.

MUTTON, M.A.; et al. Utilização agrícola da vinhaça. São Paulo: Blucher, p. 423-440, 2010.

VON SPERLING, M. Introdução à qualidade das águas e ao tratamento de esgotos. 3. ed. Belo Horizonte: Editora UFMG, 243 p, 1996.

CAMARGO, C.A.; et al. Conservação de Energia na Indústria do Açúcar e do Álcool. 1 ed., Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), São Paulo, 1990.

LIMA, H. H. S. Tratamento físico-químico da vinhaça por coagulação e adsorção em carvão ativado do bagaço da cana de açúcar. Dissertação de Mestrado, UFPB, 2013.

LYRA, M.R.C.C.; et al. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 7(3): 525-532, 2003.

GRANATO, E.F. Geração de energia através da biodigestão anaeróbica da vinhaça. Dissertação de Mestrado, UNESP, 2003.

MANHÃES, M.S.; et al. Agronomia, 37(1): 64-68, 2003.

PAULINO, J.; et al. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 15(3): 244-249, 2011.

MIRANDA, T.L. Relações entre atributos físicos e biológicos do solo após operações de colheita e aplicação de vinhaça em cana-de-açúcar. Dissertação de Mestrado, UFRP 2009.

HASSUDA, S; et al. Revista IG, 11(2): 5-20, 1990.

Downloads

Publicado

10-12-2016

Como Citar

LIMA, F. de A.; DOS SANTOS JUNIOR, A. C.; MARTINS, L. C.; SARROUH, B.; ZANETTI LOFRANO, R. C. Revisão sobre a toxicidade e impactos ambientais relacionados à vinhaça, efluente da indústria sucroalcooleira. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, v. 11, n. 32, p. 27–34, 2016. DOI: 10.47385/cadunifoa.v11.n32.465. Disponível em: https://revistas.unifoa.edu.br/cadernos/article/view/465. Acesso em: 8 dez. 2022.

Edição

Seção

Tecnologia e Engenharias