Prevalência de dst na terceira idade

Autores

  • Coelho, C
  • Castro, D
  • Barreta, L
  • Laudano, L
  • Carvalho, M
  • Latorre, M.V
  • Jesus, EC

Palavras-chave:

saúde do idoso, assistência geriátrica, doenças sexualmente transmissíveis

Resumo

As doenças sexualmente transmissíveis (DST’s) são transmitidas principalmente por contato sexual sem o uso consistente da camisinha, seja feminina, seja masculina, com uma pessoa que esteja infectada. Avaliamos a prevalência de DST’s na terceira idade e o conhecimento dos entrevistados sobre as doenças sexualmente transmissíveis (DST’s), quanto aos tipos, transmissão, prevenção e tratamento. Além disso, demonstramos a importância do acompanhamento médico e a divulgação do tema nessa faixa etária. Estudo transversal. Utilizou-se questionário semi-estruturado. Amostra: 100 entrevistados. Os entrevistados fazem parte do projeto municipal de Volta Redonda “Viva a melhor idade”, onde só participam pessoas acima de 50 anos. Nesse questionário foi abordado o conhecimento das DST’S na terceira idade. 59% eram do sexo masculino e 41%feminino. A idade variou de 50 a 89 anos. A vida sexual ativa está presente na terceira idade (55%) e o número de parceiros tem variado. 90% dos entrevistados tem informações sobre DST e 10% não a reconhecem. As doenças mais citadas foram: HIV (60%), gonorréia (40%), sífilis (30%) e herpes (10%). Quanto à prevenção (81%) possui informações a respeito. 20% dos entrevistados já tiveram DST e fizeram tratamento. Quanto ao uso do condom, observa-se que existe uma maior prevalência em sua não utilização (62% - nunca). As razões mais citada para não uso de preservativo: 45% serem viúvos e sem parceiros, 27 % terem parceiros fixos, 12 % não gostam. 80% mostram interesse em conhecimento da importância na utilização do uso do condom. A terceira idade sabe da importância de acompanhamento médico periódico, porém o índice de entrevistados que não fazem esse tipo de rastreamento encontra-se alto (30%). 70% acredita que faltam informações sobre este tema e sugerem palestras de esclarescimento. Observou-se interesse da terceira idade quanto a informações sobre as DSTs. Muitos não fazem acompanhamento médico periódico. A melhor maneira para obter este conhecimento seria através de palestras realizadas em seu ambiente de convívio, como por exemplo, centros de convivência da terceira idade. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

25-10-2023

Como Citar

COELHO, C; CASTRO, D; BARRETA, L; LAUDANO, L; CARVALHO, M; LATORRE, M.V; JESUS, EC. Prevalência de dst na terceira idade. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, 2023. Disponível em: https://revistas.unifoa.edu.br/cadernos/article/view/4783. Acesso em: 18 jun. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.