Primeiro registro de Chelorchestia darwini (Müller, 1864) (Crustacea: Amphipoda: Talitridae) associada ao “Bostrychietum”, em uma área de manguezal em Praia Grande, norte do Estado de São Paulo

Autores

  • Luana L. Souza Centro Universitário de Volta Redonda (UniFOA), Curso de Ciências Biológicas
  • Bruna A. Otaguiri Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), Campus do Litoral Paulista, São Vicente, SP
  • Karine D. Colpo Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), Campus do Litoral Paulista, São Vicente, SP
  • Andre R. Senna Centro Universitário de Volta Redonda (UniFOA), Curso de Ciências Biológicas

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v8.n21.55

Resumo

A espécie Amphipoda Chelorchestia darwini (Müller, 1864) é registrada pela primeira vez em associação ao "Bostrychietum", uma associação de algas aderidas em pneumatóforos, rizóforos e troncos das árvores dos manguezais, incluindo cianobactérias e clorofíceas, porém com grande dominância das rodofïceas Bostrychia Mont., Caloglossa (Harv.) G. Martens e Catenella Grev. As coletas foram realizadas em períodos de maré baixa, no manguezal do Portinho, município de Praia Grande, Baixada Santista, estado de São Paulo. As amostras foram coletadas por raspagem de uma área de 10 cm x 5 cm (50 cm²), delimitada por um molde vazado de plástico. Foram coletados 128 espécimes, sendo 13 (10,15%) machos, 57 (44,53%) fêmeas e 58 (45,31%) juvenis. A densidade variou de 2 a 13 indivíduos por 50 cm², com média de 6,52 ± 3.02/50 cm².

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andre R. Senna, Centro Universitário de Volta Redonda (UniFOA), Curso de Ciências Biológicas

Fez mestrado (2006) e doutorado (2011) em Zoologia, pelo Programa de Pós-graduação em Ciências Biológicas (Zoologia) do Museu Nacional/UFRJ, no Departamento de Invertebrados, Setor de Carcinologia. Fez estágio de doutorado no National Museum of Natural History, Smithsonian Institution (Washington, DC). Possui Bacharelado em Ciências Biológicas pela Universidade Santa Úrsula (2004). Tem experiência nas áreas de Taxonomia, Filogenia e Biogeografia de Amphipoda (Crustacea: Peracarida), com especial interesse nas faunas de mar profundo, ilhas oceânicas e ambientes subterrâneos. Atua também na Taxonomia de Isopoda e outros crustáceos; Biomonitoramento de ambientes aquáticos continentais; e em Ensino de Ciências. Foi professor colaborador do Instituto de Biologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, ministrando as disciplinas Carcinologia I e Carcinologia II. Atualmente é docente do Centro Universitário de Volta Redonda (UniFOA), onde ministra disciplinas nas áreas de Zoologia, Parasitologia e Ecologia, nos cursos de graduação em Ciências Biológicas, Medicina, Engenharia Civil e Engenharia de Produção. É também credenciado no Mestrado Profissional em Ensino em Ciências da Saúde e do Meio Ambiente (MECSMA) desta mesma instituição. É docente contratado do Centro Universitário Estadual da Zona Oeste (UEZO), onde ministra Biologia Animal para o curso de graduação em Ciências Biológicas. É membro do Comitê Editorial do periódico Cadernos UniFOA e membro do Conselho Editorial da Revista Práxis (online), na área de Ensino em Ciências do Meio Ambiente. É também revisor dos periódicos Zootaxa, Crustaceana, Check List, Nauplius, Revista Práxis (online) e Revista de Ciências da Vida.

Referências

ADAMS, C.A. Quantitative dietary analyses for selected dominant fishes of the Thousand Island, Florida. In: Snedaker, S.C. The role of mangrove ecosystems in the maintenance of environmental quality and a high productivity of desirable fisheries. Florida: Rep. Bureau Sport Fisheries and Wildlife, 405 p, 1973.

BOUSFIELD, E.L. Recent advances in the systematics and biogeography of landhoopers (Amphipoda: Talitridae) of the Indo-Pacific region. In: F.J. Radovsky, P.H. Raven, and S.H. Sohmer (eds.). Biogeography of the tropical Pacific. Bishop Museum Special Publication, v. 72, p. 171–210, 1984.

BURKHOLDER, P.R.; ALMODOVAR, L.R. Studies on mangrove algae communities in Puerto Rico. Florida Scientist, v. 36, n. 1, p. 66–74, 1973–1974.

FARRAPEIRA, C.M.R.; RAMOS, C.A.C.; BARBOSA, D.F.; MELO, A.V.O.M.; PINTO, S.L.; VERÇOSA, M.M.; OLIVEIRA, D.A.S.; FRANCISCO, J.A. Zonación vertical del macrobentos de substratos sólidos del estuario del río Massangana, Bahía de Suape, Pernambuco, Brasil. Biota Neotropica, v. 9, n. 1, p. 87–100.

FORTES, A.C.M. 1992. Estudo taxonômico e aspectos ecológicos das Rhodophyta no manguezal da Ilha de Santos (Complexo Estuarino Piauí-Fundo Real, SE). 194 p. Dissertação (Mestrado em Botânica) – Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife.

JONES, C.G.; LAWTON, J.H.; SHACHAK, M. Organisms as ecosystem engineers. Oikos, v. 69, p. 373–386, 1994.

LOWRY, J.K.; SPRINGTHORPE, R.T. 2001. Amphipoda: Families. Disponível em: <http://crustacea.net/crustace/amphipoda/index.htm>, Acesso em: 16 de março de 2012.

MIRANDA, P.T.C. 1985. Composição e distribuição das macroalgas bentônicas no manguezal do Rio Ceará, CE, Brasil. 96 p. Dissertação (Mestrado em Botânica) – Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife.

MÜLLER, F. Für Darwin. Leipzig: Wilhelm Engelmann, 1864, 91 p.

MÜLLER, F. Facts and arguments for Darwin. London: John Murray ed., 1869, 144 p.

ODUM, E.P.; McIVOR, C.C.; SMITH, T.J. The ecology of the mangroves of south Florida. Us Fish and Wildlife Service, 1982.

PEDROCHE, F.F.; WEST, J.A.; ZUCCARELLO, G.C.; SENTÍES, A.G.; KARSTEN, U. Marine red algae of the mangroves in Southern Pacific México and Pacific Guatemala. Botanica Marina, v. 38, p. 111–119, 1995.

PEREIRA, S.M.B. As algas bentônicas. In: BARROS, H.M; ESKINAZI-LEÇA, E.; MACEDO, S.J.; LIMA, T. (ed.). Gerenciamento Participativo de Estuários e Manguezais. Recife: Ed. Universitária da Universidade Federal de Pernambuco. p. 49–65, 2000.

POR F.D.; DOR I. Hydrobiology of the mangal: the ecosystem of the mangrove forest. Dr. W. Junk, The Hague, 260 p., 1984.

POST, E. 1936. Systematische und pflanzengeographische Notizen zur Bostrychia-Caloglossa Assoziation. Revue Algologie, v. 9, p. 1–84.

RUFFO, S. Su alcuni anfipodi raccolti sulle coste atlantische del Brasile. Memorie del Museo Civico di Storia Naturale, v. 5, p. 115–124, 1956.

RÜTZLER, K.; FELLER, C. Mangroves swamp communities: an approach in Belize. In: YÁÑEZ-ARANCIBIA, A.; LARA-DOMÍNQUES, A.L. (Eds.). Ecosistemas de Manglar en América Tropical, p. 39–50. Instituto de Ecología A.C. México, UICN/ORMA, Costa Rica, NOAA/NMFS Silver Spring MD USA. 380 p.

SCHAEFFER-NOVELLI, Y. Manguezais brasileiros. 2v. Tese (Livre Docência). Instituto Oceanográfico, Universidade de São Paulo, São Paulo. 1991.

SCHAEFFER-NOVELLI, Y. Manguezal: ecossistema entre a terra e o mar. Caribbean Ecological Research, 64 p., 1995.

SCHAEFFER-NOVELLI, Y.; CINTRÓN-MOLERO, G.; ADAIME, R.R.; CAMARGO, T.M. Variability of mangrove ecosystems along the Brazilian coast. Estuaries, v. 13, n. 2, p. 204–218, 1990.

SEREJO, C.S. Talitridae (Amphipoda, Gammaridea) from the Brazilian coastline. Zootaxa, v. 646, p. 1–29, 2004.

STEBBING, T.R.R. Amphipoda I. Gammaridea. Das Tierreich, v. 21, p. 806, 1906.

WAKABARA, Y.; SEREJO, C.S. Malacostraca – Peracarida. Amphipoda. Gammaridea and Caprellidea. In: Young, P. S. (ed). Catalogue of Crustacea of Brazil. Rio de Janeiro: Museu Nacional, Série Livros, n. 6, p. 561–594, 1998.

WALSH, G.E. Mangroves: a review. In: REINHOLD, R.; QUEEN, W. (ed.). Ecology of Halophytes. New York: Academic Pres, p. 51–74, 1974.

Downloads

Publicado

10-04-2013

Como Citar

SOUZA, Luana L.; OTAGUIRI, Bruna A.; COLPO, Karine D.; SENNA, Andre R. Primeiro registro de Chelorchestia darwini (Müller, 1864) (Crustacea: Amphipoda: Talitridae) associada ao “Bostrychietum”, em uma área de manguezal em Praia Grande, norte do Estado de São Paulo. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, v. 8, n. 21, p. 85–91, 2013. DOI: 10.47385/cadunifoa.v8.n21.55. Disponível em: https://revistas.unifoa.edu.br/cadernos/article/view/55. Acesso em: 23 maio. 2024.

Edição

Seção

Ciências Biológicas e da Saúde