Três instrumentos de coleta de dados para caracterização dos pacientes portadores de DTM do Projeto de DTM/ Núcleo da Dor no Centro Integrado de Fisioterapia do Unif

Glória Maria Moraes Vianna da Rosa, Alexsandra Dias Serafim, Etyene Castro, Glauco Alexandra Gaban, Lívia da Lima Gonçalves Pinto, Helen Cândido Bitencourt

Resumo


Introdução A DTM envolve a musculatura mastigatória e/ou articulações temporomandibulares. Para isso descrever e caracterizar portadores de DTM exige a utilização de diferentes ferramentas. Objetivos e Métodos Descrever as características de 43 pacientes atendidos no UniFOA e discutir a severidade de seus sintomas utilizando três instrumentos de coleta de dados: 1) Índice Anamnésico baseado nas incapacidades; 2) Questionário Anamnésico e 3) a Escala Visual Analógica. Resultados e Conclusão Houve prevalência de DTM no sexo feminino (93%). A intensidade da dor nos homens mostrou-se menor. O índice baseado nas incapacidades mostrou-se severo em 66% dos homens e em 65% das mulheres. Quanto à severidade dos sintomas observou-se severidade em 66% dos homens e em 45% das mulheres. Os transtornos mais intensos e freqüentes foram o estalido e trancamento (44%), limitação funcional (30%) e intensidade da dor mastigatória (25%). O desconforto oclusal revelou 18% de casos severos e a limitação social 13%. Foi observada presença de dor periférica (cefaléia e cervicalgia) em 90% dos casos. Observa-se a inter-relação entre a região orofacial e coluna cervical havendo a necessidade de intervenção multi-profissional maximizando o diagnóstico e o tratamento da DTM.


Palavras-chave


Articulação Temporomandibular; Músculos Mastigatórios; Dor Facial; Cervicalgia; Epidemiologia; Etiologia; Diagnóstico

Texto completo:

PDF

Referências


BOVE SR, Guimarães AS e Smith RL. Caracterização dos pacientes de um laboratório de disfunção temporomandibular e dor orofacial. Rev. Latino-am Enfermagem,13(5)689-91, 2005

CARDOSO, A. Manual de Tratamento da dor Crônica, edições Técnicas, Lisboa,17-20, 1999

CONTI PCR, FERREIRA PM,PEGORARO LF, CONTI JV, SALVADOR MCG. A crosssectional study of prevalence and etiology of signs and symptoms of temporomandibular disorders in high school and university students. J of Orofacial Pain 10 (3): 254-62, 1996

DE LAAT A., MEULEMAN H. E STEVENS A. Relation between functional limitations of the cervical spine and temporomandibular disorders (abstract). J of Orofacial Pain,1:109-117, 1993

DE WIJER A. E STEENKS M.H. Cervical spine evaluation for the TMD patient, a review. In: Prpfacial Pain and Temporomandibular Disorders (editado por Fricton J. e Dubner R) 351-361. Raven Press, Ltda, New York, 1995

DONEGÁ SHP, CARDOSO R, PROCÓPIO ASF E LUZ JGC. Análise da sintomatologia em pacientes com disfunções intra-articulares da articulação temporomandibular. Rev. Odontol. Univ. São Paulo,11 (1) ISSN0103-0663

DWORKIN SF, LERESEARCH L. Research Diagnostic Criteria for temporomandibular disorders: review, criteria, examinations and specifications, critique. J Craniomandibular disorders: Facial and Oral Pain,6(4):300-55, 1992

FONSECA DM, BONFANTE G, VALLE AL, FREITAS SFT. Diagnóstico pela anamnese da dinsfunção craniomandibular. Rev. Gaúcha Odontol. 32:23-8;1994

FONSECA DM. Disfunção temporomandibular (DTM): elaboração de um índice anamnésico. Bauru,1992.Dissertação (Mestrado) Faculdade de Odontologia de Bauru/USP.

GROSSI DB, CHAVES, TC. Physiotherapeutic treatment fof temporomandibular disorders (TMD). Braz J. Oral Sci.3(10):492-97.2004 KRÜŻEL W, DUPONT S,

KRUST A, CHAMBON P, CHAPMAN PF. Increased anxiety and synaptic plasticity in estrogen receptor β-deficient mice. Proc Natl Acad Sci ; 98(21):12278–82.;2001

LIMA DR, BRUNETTI,RF, OLIVEIRA W. Estudo da prevalência de disfunção craniomandibular segundo o índice de Helkimo tendo como variáveis:sexo, faixa etária e indivíduos tratados ou não ortodonticamente.Pós- Grad. Rev. Odontol. São José dos Campos,2(2):1999.

MACFARLANE TV, BLINKHORN AS, DAVIES RM, KINCEY J, WORTHINGTON HV. Oro-facial pain in the community:prevalence and associated impact. Communit Dent Oral Epidemiol., 30:52-60; 2002

MCNEILL, CH (ed). Temporomandibular Disorders. Guidelines for classification, Assessment, and Management. 2ed, The American Academy of Orofacial

Pain. Quintessence Publishing Co., Inc,. Chicago, 39-60, 1993 Pain. Classification of chronic pain syndromes and definitions of pain terms [S217]. Pain1986 Supplement 3

PALLA,S.(coord). Mioartropatias do sistema mastigatório e dores orofaicais., Artes Médicas, São Paulo, 2004,502p

PEREIRA KNF, ANDRADE LLS, COSTA MLG e PORTAL TF. Sinais e sintomas de pacientes com disfunção temporomandibular. Rev. CEFAC, São Paulo,7(2)221-8,2005.

PULLINGER A.G. e MONTEIRO A. Functional Impairment in TMJ patient and nonpatient groups according to a disability index and symptom profile. J of Craniomandibular Practice. 6(2): 156-164, 1988.

PULLINGER AG et al, A multiple logistic regression analysis of the risk and relative odds of temporomandibular disorders as a function of common oclusal features. J. Dent. Res. Washington DC,72(6):968-979,1993

RAMOS, H. A. D. et al. Incidência de ruídos articulares em pacientes portadores de disfunção dolorosa da articulação temporomandibular. Rev Odontol Univ São Paulo,7:.43-46, 1993.

ROCABADO, M. Biomechanical relationship of the cranial and hyoidregions. J. Cran Prac. 1983.

SPARRENBERGER F, SANTOS I, LIMA RC. Epidemiologia do distress psicológico: estudotransversal de base populacional. Rev Saúde Publica 2003; 37(4):434-39.

STETENGA, B. et al. Classification of temporomandibular joint osteoarthrosis and internal derangement. Part I: Diagnosis significance of clinical and radiographic symptoms and signs. J Craniomandib Pract,10:.96-106, 1992.

STIESCH-SCHOLZ, M.; FINK, M. & TSHCERNITSCHEK, H. Comorbidity of internal derangement of the tempormandibular joint and silent dysfunction of the cervical spine. J of Oral Rehabilitation, 30:386-391, 2003.

TEIXEIRA MJ,TEIXEIRA WGJ,SANTOS F P S S , A N D R A D E , D C A , B E Z E R R A SL,FIGUEIRDOJB, OKADA,M. Epidemiologia clínica da dor músculo-esquelética. Rev. Med (São Paulo),80(1):1-21,2001

THILANDER, B, RUBIO G, PENA L, MAYORGA C. Prevalence of tempormandibular dysfunction and its association with malocclusion in children and adolescents: an epidemiologic study related to specified stages of dental development. Angle Orthodontist, 72(2):146-54,2002

VISSCHER CM, LOBBEZOO F, DE BOER W, VAN DER ZANG J, NOEIJE M. Prevalence of cervical spine pain in craniomandibular pain patients. Eur J Oral Sci.109:76-80,2001


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Cadernos UniFOA



Cadernos UniFOA

Campus Três Poços - Av. Paulo Erlei A. Abrantes, 1325 - Três Poços
Prédio 3 - Sala 2 (Casarão)
Volta Redonda - RJ - CEP: 27240-560
Tel.: (24) 3340-8400 – Ramal: 8350

Indexado em:





  • Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.