Paracoccidioidomicose juvenil: apresentação atípica e disseminada em adulto do sexo feminino.

Júlia Pires dos Reis Maia, Marina Silva Guedes, Thamires Aparecida Pereira Noronha, Luiz Henrique Conde Sangenis

Resumo


Paracoccidioidomicose é uma doença micótica sistêmica causada por um fungo termodimórfico do gênero Paracoccidioides, também conhecida no passado como doença de Lutz ou Blastomicose Sul-Americana. Com maior ocorrência nas regiões Sul, Sudeste e Centro-oeste principalmente em zona rural e em locais de desmatamento recente. O caso reportado ocorreu no município de Valença-RJ e contraria o perfil epidemiológico e de manifestação clínica mais comum da doença.  Neste relato discutimos a importância do diagnóstico diferencial, a instituição do tratamento correto e analisamos a diferença de ocorrência da doença entre os sexos.

 


Palavras-chave


Paracoccidioidomicose; mulher; clínica; epidemiologia; imunologia

Texto completo:

PDF

Referências


BELLISSIMO-RODRIGUES, F.; MACHADO, A. A.; MARTINEZ, R. Paracoccidioidomycosis Epidemiological Features of a 1,000-Cases Series from a Hyperendemic Area on the Southeast of Brazil. Am. J. Trop. Med. Hyg. Ribeirão Preto, v. 85, n. 3, set. 2011. Disponível em: . Acesso em: 02 out. 2018.

BELLISSIMO-RODRIGUES, F. et al. Endemic paracoccidioidomycosis: relationship between clinical presentation and patients’ demographic features. Medical Mycology. Ribeirão Preto, v. 51, n. 3, abr. 2013. Disponível em: . Acesso em: 01 abr. 2018.

CAPONE, D. et al. Micoses Pulmonares. Revista Hospital Universitário Pedro Ernesto. Rio de Janeiro, v. 9, n. 2, dez. 2010. Disponível em: . Acesso em: 19 ago. 2018.

CHOJNIAK, R. et al. Intestinal Paracoccidioidomycosis Simulating Colon Cancer. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. Uberaba, v. 33, n. 3, jun. 2000. Disponível em: . Acesso em: 07 jun. 2018.

FABRIS, L. R. et al. Decreasing Prevalence of the Acute/Subacute Clinical Form of Paracoccidioidomycosis in Mato Grosso do Sul State, Brazil. Rev Inst Med Trop Sao Paulo. São Paulo. v. 56, n.2, mar-abr. 2014. Disponível em: . Acesso em: 02 out. 2018.

FERREIRA, C. M. S. D. et al. Paracoccidioidomicose Subaguda Abdominal em Paciente Adulto Imunocompetente. Relato de caso. Rev Bras Clin Med. São Paulo, v. 11, n. 2, jun. 2013. Disponível em: . Acesso em: 07 jun. 2018.

FERREIRA-DA-CRUZ, M.F.; WANKE, B.; GALVÃO-CASTRO, B. Prevalence of Paracoccidioidomycoses in Hospitalizes Adults in Rio de Janeiro (RJ), Brazil. Mycopathologia. Dordrecht. v. 97, n. 1, 1987. Disponível em: . Acesso em: 27 jan. 2019

GALEAZZI, C. J. et al. Fungal Colitis by Paracoccidioides brasiliensis: a case report. J. Coloproctol. (Rio J.), Rio de Janeiro, v. 31, n. 4, dez. 2011. Disponível em: . Acesso em: 24 jul. 2018.

LOTH, E. A. et al. Occurrence of 102 Cases of Paracoccidioidomycosis in 18 months in the Itaipu Lake Region, Western Paraná. Rev Soc Bras Med Trop, Uberaba, v. 44, n. 5, set-out. 2011. Disponível em: . Acesso em: 01 out. 2018.

MACEDO, P. M. et al. Acute juvenile Paracoccidioidomycosis: A 9year cohort study in the endemic área of Rio de Janeiro, Brazil. PLoS Negl Trop Dis, San Diego, v. 11, n. 3, mar. 2017. Disponível em: . Acesso em: 01 out. 2018.

MATOS, W. B. et al. Paracoccidioidomycosis in the State of Maranhão, Brazil: Geographical and Clinical Aspects. Rev Soc Bras Med Trop, Uberaba, v. 45, n. 3, maio-jun. 2012. Disponível em: . Acesso em: 01 out. 2018.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Guia de Vigilância Epidemiológica. Brasília. 2009. Disponível em: . Acesso em: 24 jan. 2019

NUCCI, M.; COLOMBO, A. L. Clinical Manifestations and Diagnosis of Acute/Subacute Paracoccidioidomycosis. UpToDate. mar. 2018. Disponível em: . Acesso em: 28 jul. 2018.

RIOS GONÇALVES, A. J. et al. Paracoccidioidomycosis in Children in the State of Rio de Janeiro (Brazil). Geographic Distribution and the Study of “Reservarea”. Rev. Inst. Med. Trop. S. Paulo. São Paulo. v. 40, n. 1. jan-fev. 1998. Disponível em: . Acesso em: 27 jan. 2019.

RIOS GONÇALVES, A. J. et al. Paracoccidioidomicose Infanto-Juvenil. Relato de Dez Pacientes Recentemente Observados na Cidade do Rio de Janeiro. Revisão da Literatura. Rev Med HSE. Rio de Janeiro. v. 1, n.34. 2000. Disponível em: . Acesso em: 28 jan. 2019.

SANGENIS, L. H. C. Mesa Redonda: Micoses Sistêmicas, Paracoccidioidomicose. II Congresso de Infectologia da Sociedade de Infectologia do Estado do Rio de Janeiro. 2008. Rio de Janeiro.

SEVERO, L. C. et al. Paracoccidioidomycosis in Women. Rev Iberoam Micol. Porto Alegre. v. 15, n. 2, jun. 1998. Disponível em: . Acesso em: 01 out. 2018.

SHANKAR, J. et al. Hormones and the Resistance of Women to Paracoccidioidomycosis. Clin Microbiol Rev. San Jose. v. 24, n. 2, abr. 2011. Disponível em: . Acesso em: 01 out. 2018.

SHIKANAI-YASUDA, M. A. et al. Brazilian guidelines for the clinical management of paracoccidioidomycosis. Rev. Soc. Bras. Med. Trop., Uberaba, v. 50, n. 5, set. 2017. Disponível em: . Acesso em: 28 jul. 2018.

SOUZA, S. P.; JORGE, V. M.; ORZECHOWSKI XAVIER, M. Paracoccidioidomycosis in Southern Rio Grande do Sul: A Retrospective Study of Histopathologically Diagnosed Cases. Braz. J. Microbiol. São Paulo. v. 45, n. 1, 2014. Disponível em: . Acesso em: 01 out. 2018.

VALLE, A. C. F. et al. Paracoccidioidomycosis After Highway Construction, Rio de Janeiro, Brazil. Emerging Infectious Diseases. Atlanta. v. 23, n. 11, nov. 2017. Disponível em: . Acesso em: 01 fev. 2019.

VIEIRA, G. D. et al. Paracoccidioidomycosis in a western Brazilian Amazon State: Clinical-epidemiologic Profile and Spatial Distribution of the Disease. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. Uberaba, v. 47, n. 1, jan-fev. 2014. Disponível em: . Acesso em: 01 out. 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Cadernos UniFOA

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Cadernos UniFOA

Campus Três Poços - Av. Paulo Erlei A. Abrantes, 1325 - Três Poços
Prédio 3 - Sala 2 (Casarão)
Volta Redonda - RJ - CEP: 27240-560
Tel.: (24) 3340-8400 – Ramal: 8350

Indexado em:





  • Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.