A sala de aula invertida e a problematização aplicadas ao ensino da Física II: Um estudo de caso no Curso de Graduação em Engenharia Civil do UniFOA no período letivo de 2017.1

Izabel de Oliveira da Mota

Resumo


O objetivo deste estudo de caso foi avaliar o uso das metodologias de aula invertida e problematização como estratégias de ensino-aprendizagem para o conteúdo de óptica, parte integrante da disciplina de Física II da grade curricular do curso de graduação em Engenharia Civil do UniFOA. O material didático para estudo individual foi disponibilizado online por meio da área restrita virtual dos estudantes, que tiveram 2 semanas para realizar esta etapa da atividade. Houve dois momentos de testes individuais de conhecimento, um pré estudo e outro pós estudo. Houve discussão presencial do assunto em grupos de trabalho (GT) para elaboração de gabarito único por GT. Também foi realizada uma mesa redonda com todos os GTs. Após esta etapa, foi proposta uma atividade de problematização do tema, na qual os alunos em seus respectivos GTs produziram um vídeo de 20 minutos sobre assuntos relacionados às importâncias e aplicações da óptica na engenharia para resolução de problemas. Os resultados da avaliação demonstram que houve significativa aquisição de competências após a aplicação das metodologias ativas. Após o ciclo de atividades 84% dos estudantes afirmaram que atividades como essa ampliam a sua aprendizagem. Além disso, 81% dos alunos declararam que se sentem motivados e 78% afirmaram que se sentem autônomos no processo de aprendizagem após a experiência.


Palavras-chave


Metodologias ativas. Aprendizagem. Tecnologias de informação. Ensino.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, U. F. A quarta revolução educacional: a mudança de tempos, espaços e relações na escola a partir do uso de tecnologias e da inclusão social. ETD – Educação Temática Digital, Campinas, v. 12, n. esp., p. 31-48, mar. 2011.

BISHOP, J. L.; VERLEGER, M. A. The Flipped Classroom: A Survey of the Research. In: ASEE Annual Conference & Exposition, 120, Atlanta. Anais. Washington DC, American Society for Engineering Education, 2013.

BERGMANN, J.; SAMS A. Sala de aula invertida: uma metodologia ativa de aprendizagem. Trad. Afonso Celso da Cunha Serra. 1ed. Rio de Janeiro: LTC, 2016.

BOROCHOVICIUS, E.; BARBOZA TORTELLA, J. C. Aprendizagem Baseada em Problemas: um método de ensino-aprendizagem e suas práticas educativas. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, v. 22, n. 83, 2014.

CUNHA, M. I. Docência na universidade, cultura e avaliação institucional: saberes silenciados em questão. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 11, n. 32, p. 258-271, maio-ago. 2006.

HENGEMÜHLE, A. Formação de professores: da função de ensinar ao resgate da educação. 2. Ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2008.

PAVANELO, E.; LIMA, R. Sala de Aula Invertida: a análise de uma experiência na disciplina de Cálculo I. Bolema, Rio Claro, v. 31, n. 58, p. 739-759, 2017.

SCHMITZ, E. X; REIS, S. C. Sala de aula invertida: investigação sobre o grau de familiaridade conceitual teórico-prático dos docentes da universidade. Revista ETD: Educação Temática Digital, v. 20, p. 153-175, 2018.

REIS, F. A. G. V. “Aplicação da metodologia da problematização em disciplinas de Engenharia Ambiental”. Tese de Doutorado (Geociências e Meio Ambiente). Universidade Estadual Paulista Júlio De Mesquita Filho/Rio Claro, 2005.

VALENTE, J. A. Blended learning e as mudanças no ensino superior: a proposta da sala de aula invertida. Educar em Revista, Curitiba, n. 4, p. 79-97, 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Cadernos UniFOA

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Cadernos UniFOA

Campus Três Poços - Av. Paulo Erlei A. Abrantes, 1325 - Três Poços
Prédio 3 - Sala 2 (Casarão)
Volta Redonda - RJ - CEP: 27240-560
Tel.: (24) 3340-8400 – Ramal: 8350

Indexado em:





  • Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.