Pílula do Dia Seguinte: uma revisão de literatura sobre a Anticoncepção de Emergência

Rozana Aparecida de Souza

Resumo


Este artigo é uma revisão da literatura sobre o debate contemporâneo travado acerca da anticoncepção de emergência (AE), método contraceptivo comumente conhecido como pílula do dia seguinte.. A AE é um método normatizado pelo Ministério da Saúde desde 1996 para se evitar uma gravidez indesejada, tem seu uso recomendado em situações de emergência, como em casos de violência sexual, relação sexual desprotegida e nos casos de possível falha de outro método (ex: ruptura de camisinha). Foram levantadas pesquisas e estudos nacionais e internacionais sobre os mitos e barreiras que envolvem o acessso e o uso deste contraceptivo. O artigo apresenta um resgate sobre a história da contracepção no Brasil e  sobre a constituição das políticas públicas de atenção integral a saúde da mulher, localizando a AE nestes contextos, bem como dados relevantes das pesquisas levantadas. 


Palavras-chave


anticoncepção de emergência; saúde reprodutiva; planejamento familiar

Texto completo:

PDF

Referências


- AVILA, M. B. e CORRÊA, S. O movimento de saúde e direitos reprodutivos no Brasil: revisitando percursos. In: GALVÃO, L. e DÍAZ, J. Saúde Sexual e Reprodutiva no Brasil. São Paulo: Hucitec; Population Council, 1999. pp: 165-179.

- BOZON, M. Sociologia da Sexualidade. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2004.

- CASTILLO, C. D. Voces em Emergencia: El discurso conservador y la pildora del dia después. Santiago, Chile: FLASCO, 2006.

- CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE POPULAÇÃO E DE¬SENVOLVIMENTO, 1994, Cairo, Egito. Relatório final. [S.l.]: CNPD; FNUAP, 1994.

- CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA. Resolução Nº 1811 de 14 de dezembro de 2006: Normas Técnicas Para A Utilização Da Contracepção De Emergência. Diário Oficial da União. Edição 12 de 17/01/2007.

- Brasil. Constituição da República Federativa do Brasil, Congresso Nacional, Brasília, 1988

- CORREA, S., ALVES, J. E. D., JANNUZZI, P. M.. Direitos e Saúde Sexual e reprodutiva: marco teórico-conceitual e sistema de indicadores. In: CAVENAGHI, S. (Org). Indicadores municipais de saúde sexual e reprodutiva. Rio de Janeiro: ABEP, Brasília: UNFPA, 2006.

- CORRÊA, S. e PETCHESKY, R. Direitos Sexuais e Reprodutivos: uma perspectiva feminista. In: PHISIS: Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 6(1/2), 1996. pp: 147-177

- COSTA, A. M. et al. Planejamento Familiar: autonomia das mulheres sob questão. In: Revista de Saúde Materno-Infantil, Recife 6 (1): 75-84, jan/mar, 2006.

- DÍAZ, S., HARDY, E., ALVARADO, G., EZCURRA, E.. Acceptability of emergency contraception in Brazil, Chile, and Mexico. 1 – Perceptions of emergency oral contraceptives. In: Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, 19(5), set-out, 2003a. pp: 1507-1517

- DÍAZ, S., HARDY, E., ALVARADO, G., EZCURRA, E.. Acceptability of emergency contraception in Brazil, Chile, and Mexico. 2 - Facilitating factors versus obstacles. In: Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, 19(6), nov-dez, 2003b. pp: 1729-1737

- FAÚNDES, A., TÁVARA, L., BRACHE, V., ALVAREZ, F.. Emergency Contraception under Attack in Latin America: Response of the Medical Establishment and Civil Society. In: America Reproductive Health Matters, Volume 15, Issue 29, May 2007. pp: 130-138

- FIGUEIREDO, R. Contracepção de Emergência no Brasil: necessidade, acesso e política nacional. In: Revista de Saúde Sexual e Reprodutiva, IPAS, nº 13, setembro de 2004. Formato Eletrônico em http://www.ipas.org.br

- FIGUEIREDO, R. e PENÃ, M. Promoção da contracepção de emergência no Brasil associada à prevenção da AIDS. In: Ações de Advocacy em Saúde e Direitos Reprodutivos, Brasília, Agende, 2002.

- GALVÃO, L. Saúde sexual e reprodutiva, saúde da mulher e saúde materna: a evolução dos conceitos no mundo e no Brasil. In: GALVÃO, L. e DÍAZ, J. Saúde Sexual e Reprodutiva no Brasil. São Paulo: Hucitec; Population Council, 1999. pp: 165-179.

- GOMES COSTA, S. Proteção Social, Maternidade Transferida e Lutas pela Saúde Reprodutiva. In: Revista Estudos Feministas. Universidade Federal do Rio de Janeiro, v.10, jul/dez, 2002. pp: 301-323.

- HARDY, E. et al. Anticoncepção de emergência no Brasil: facilitadores e barreiras. In: Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, 17(4), jul-ago, 200. pp: 1031-1035.

- HEILBORN, M. L.. Gênero, Sexualidade e Saúde. In: SILVA, D.P.M. (Org). Saúde, sexualidade e reprodução: compartilhando responsabilidades. Rio de Janeiro: Faculdade de Serviço Social/UERJ. 1997. pp: 101-111.

- HEILBORN, M. L.. Experiências da Sexualidade, Reprodução e Trajetórias Biográficas Juvenis. In: HEILBORN, M. L. et al. (Orgs). O aprendizado da sexualidade: reprodução e trajetórias sociais de jovens brasileiros. Rio de Janeiro: Garamond e Fiocruz, 2006. pp: 29-59.

- MARTIN, A. La anticoncepción de emergencia em América Latina y el Caribe. In: Revista Panamericana de Salud Pública/Pan American Journal of Public Health. 16(6), 2004. pp: 424-431.

- MEULDERS, D. et al.. Trabalho e Maternidade na Europa, Condições de Trabalho e Políticas Públicas. In: Cadernos de Pesquisa. São Paulo: Fundação Carlos Chagas, v.37, nº132, setembro/dezembro, 2007. pp: 611-640.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE - Cartilha de Direitos Sexuais e Reprodutivos: uma prioridade de governo. 2005.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE – Marco Teórico Referencial: Saúde Sexual e Reprodutiva de Adolescentes e Jovens. (versão preliminar), MS: Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas, 2007.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE/ Secretaria de Atenção a Saúde/ Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas - Nota Técnica sobre Anticoncepção de Emergência. 2006.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE – Política Nacional de Atenção Integral a Saúde da Mulher: Princípios e Diretrizes. 2004ª

- MINISTÉRIO DA SAÚDE – Política Nacional de Atenção Integral a Saúde da Mulher: Plano de Ação 2004-2007,Brasilia, 2004b.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE / Secretaria de Política de Saúde / Área Técnica de Saúde da Mulher. Coords: Nelson Cardoso de Almeida e Regina Coeli Viola. Assistência em Planejamento Familiar: Manual Técnico. 4ª edição. Série A: Normas e Manuais Técnicos; nº 40, Brasília, 2002.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. PORTARIA 144, de 20 de novembro de 1997.

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. PORTARIA 48, de 11 de fevereiro de 1999

- MINISTÉRIO DA SAÚDE. LEI 9263 de 1996

- NOGUEIRA, A. A. et al. Anticoncepcionais de emergência: por que não usar? In: Medicina, Ribeirão Preto, 33, jan./mar. 2000. pp: 60-63.

- OSIS, M. J. D. et al. Atenção ao planejamento familiar no Brasil hoje: reflexões sobre os resultados de uma pesquisa. In: Cadernos de Saúde Publica, 22(11), nov. 2006. pp: 2481-2490.

- OSIS, M. J. D.. Pesquisa sobre Planejamento Familiar. In: RIOS-NETO, E. L. G. (org). A população nas políticas públicas: gênero, geração e raça. Brasília: CNPD: UNFPA, 2006.

- PINTO COSTA, N. F., et al. Acesso a anticoncepção de emergência: velhas barreiras e novas questões. In: Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, 2008. pp: 55-60.

- SAITO, M. I. e LEAL, M. M.. Adolescência e contracepção de emergência: Fórum 2005. In: Revista Paulista de Pediatria, 25 (2), 2007. pp:180-186.

- SCHALET, A. Must we fear adolescent sexuality? In: Medscape General Medicine, 6(4), 2004.

- SHOVELLER, J., CHABOT C., SOON J. A., LEVINE M. Identifying Barriers to Emergency Contraception Use Among Young Women from Various Sociocultural Groups in British Columbia, Canada. In: Perspectives on Sexual and Reproductive Health, 39(1), 2007. pp:13–20

- SIMONDS, W. e ELLERTSON, C.. Emergency contraception and morality: reflections of health care workers and clients. In: Social Science & Medicine, 58, 2004. pp: 1285–1297.

- SORJ, B.; FONTES, A.; MACHADO, D. C. Políticas e Práticas de Conciliação entre Família e Trabalho no Brasil. In: Cadernos de Pesquisa. São Paulo: Fundação Carlos Chagas, v.37, nº132, setembro/dezembro, 2007. pp:573-594.

- VIEIRA, E. M. Políticas Públicas de contracepção no Brasil. In: BERQUO, E. (Org.) Sexo e Vida: panorama da Saúde reprodutiva no Brasil, Campinas: Unicamp; 2003. pp. 96-151.

- SUWWAN, L.. Ministério amplia a distribuição Gratuita da pílula do dia seguinte. In: Folha de São Paulo, sucursal de Brasília, 14/02/2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Cadernos UniFOA



Cadernos UniFOA

Campus Três Poços - Av. Paulo Erlei A. Abrantes, 1325 - Três Poços
Prédio 3 - Sala 2 (Casarão)
Volta Redonda - RJ - CEP: 27240-560
Tel.: (24) 3340-8400 – Ramal: 8350

Indexado em:





  • Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.