A revolta digital: impacto das redes sociais da internet nos protestos de rua dos países árabes em 2011

Autores

  • Rogério Martins de Souza Doutor em Comunicação pela UFRJ. Professor dos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda do Centro Universitário de Volta Redonda - UNIFOA
  • Débora Alves da Costa Aluna do 3º período do Curso de Publicidade e Propaganda em Comunicação do UNIFOA – Centro Universitário de Volta Redonda.

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v7.n19.1100

Palavras-chave:

Oriente Médio Mobilização Informação Poder Internet

Resumo

No mundo de hoje, a internet pode ser vista como um meio de comunicação no qual as pessoas se informam sobre os acontecimentos do mundo e interagem com outros indivíduos. Nos últimos anos, a importância das redes sociais da grande rede vem crescendo e ganhando mais visibilidade como elemento de mobilização popular. Em 2011- em revoltas nos países do norte da África, que ficaram conhecidas como Primavera Árabe- jovens usaram essa tecnologia e conseguiram levar multidões a protestarem nas ruas. Este artigo se propõe a analisar o papel das mídias digitais nas revoltas que levaram à queda de regimes opressores naquela região.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BEAS, Diego. A rua conectada com a rede. In: Jornal O Globo, 12 de fevereiro de 2011.

CABRAL, Bruno Fontenele; CANGUSSU, Débora Dadiani Dantas. “Primavera árabe”: reflexões sobre a existência do direito à democracia (“right to democracy”). Jus Navigandi, Teresina, ano 16, n. 2795, 25fev. 2011 . Disponível em: <http://jus.com.br/revista/texto/18576>. Acesso em: 11 abr. 2012.

COELHO, Luciana. O papel das redes sociais no Egito. Olhares Míopes, Fevereiro de 2011. Link (_ HYPERLINK “http://www.olharesmiopes.com/2011/02/o-papel-das-redes-sociais-no-egito.html” _http://www.olharesmiopes.com/2011/02/o-papel-das-redes-sociais-no-egito.html_).

CANALMOZ. Internet “ajudou” a revolução na Tunísia. Janeiro de 2011. Link (_ HYPERLINK “http://macua.blogs.com/moambique_para_todos/2011/01/internet-ajudou-a-revolu%C3%A7%C3%A3o-na-tun%C3%ADsia.html”

CASTELLS, Manuel. A galáxia da internet: reflexões sobre a internet, negócios e a sociedade. São Paulo: Editora Zahar, Coleção Interface, 2003.

GHANNAM, Jeffrey. A revolução das redes sociais? In: O Globo, 21 de fevereiro de 2011.

JENKINS, Henry. Cultura da convergência. São Paulo: Editora Atlas, 2009.

KARNAL, Leandro. Oriente Médio. Ponto de Apoio. Editora Scipione, 1994.

LEVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo, Editora 34, 1999.

PEREIRA, Merval. A força das redes. Jornal O Globo, 12 de abril de 2011

PRESTES, Felipe. A lógica da revolução no Egito foi a lógica da blogosfera. Entrevista com Rentato Rovai. Disponível no site Sul 21, no link http://sul21.com.br/jornal/2011/05/renato-rovai-a-logica-da-revolucao-no-egito-foi-a-logica-da-blogosfera/

VIANA, Nildo. A internet e as rebeliões populares no mundo árabe. Disponível no site Informe e Crítica, acesso em 28 de janeiro de 2011. Disponível em _ HYPERLINK “http://informecritica.blogspot.com/2011/01/internet-e-as-rebelioes-populares-no.html” _http://informecritica.blogspot.com/2011/01/internet-e-as-rebelioes-populares-no.html_.

Downloads

Publicado

28-03-2017

Como Citar

DE SOUZA, R. M.; COSTA, D. A. da. A revolta digital: impacto das redes sociais da internet nos protestos de rua dos países árabes em 2011. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, v. 7, n. 19, p. 37–44, 2017. DOI: 10.47385/cadunifoa.v7.n19.1100. Disponível em: https://revistas.unifoa.edu.br/cadernos/article/view/1100. Acesso em: 16 ago. 2022.

Edição

Seção

Ciências Sociais Aplicadas e Humanas