Caracterização e avaliação comparativa do desempenho fotocatalítico dos novos nanopós comerciais de TiO2

Autores

  • Mariana Fortes Programa de Mestrado em Materiais, UniFOA - Volta Redonda/ RJ.
  • Roberto Pires Silveira Programa de Mestrado em Materiais, UniFOA - Volta Redonda/ RJ
  • Tatiana Militão de Sá Programa de Mestrado em Materiais, UniFOA - Volta Redonda/ RJ
  • Yann C. Fredholm Nanogavea – Nanotecnologia Sustentável Ltda.
  • Juliana Bento Vio Departamento de Engenharia de Materiais, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro – PUC-Rio
  • Bojan A. Marinkovic Programa de Mestrado em Materiais, UniFOA - Volta Redonda/ RJ, Departamento de Engenharia de Materiais, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro – PUC-Rio.

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v6.n1esp.1129

Palavras-chave:

Fotocatálise, Nanomateriais, TiO2

Resumo

A fotocatálise heterogênea é um processo de foto-oxidação, o qual leva à decomposição e mineralização de gases e líquidos tóxicos e até só- lidos. Desde o fim de 1970, diferentes semicondutores têm sido investigados como fotocatalíticos potenciais, apontando-se o TiO2 como o ideal, devido a sua alta estabilidade química, relativamente baixo custo e alto poder de oxidação de buracos eletrônicos foto gerados. As vantagens intrínsecas do TiO2 nanocristalino para objetivos fotocatalíticos, têm sugerido com base em efeitos de confinamento quântico, o qual resulta no aumento da energia da banda proibida e conseqüentemente no deslocamento das bordas das bandas de valência e de condu- ção acarretando aumento do potencial redox do TiO2 , como também nas maiores áreas de superfície dos nanomateriais. Há inúmeras formas de obtenção de nanopós de TiO2 , no sentido de melhorar suas propriedades fotocatalíticas. Este estudo é dedicado à avaliação, primeiramente, do desempenho de degradação fotocatalítica dos novos nanopós TiO2 comerciais, de várias indústrias estrangeiras, em função da força de despoluição para gás tóxico NOx e diferentes pigmentos sintéticos. Antes do teste de degradação fotocatalítica, todos os nanopós foram caracterizados através da Difração de Raios-X, Microscopia Eletrônica de Varredura e adsorção de N2 . Todos os resultados de desempenho de degradação fotocatalítica dos novos nanopós de TiO2 comerciais, foram comparados com o TiO2 P-25 (Degussa), reconhecido por sua evidente propriedade fotocatalítica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

H. A. J. L. Mourão, V. R. Mendonça, A. R. Malagutti, C. Ribeiro, Química Nova, Vol. 32, 2009. p. 2181- 2190.

E. Morgado Jr., M.A.S.Abreu, G.T. Moure, B.A. Marinkovic, P.M. Jardim, A.S. Araujo, Chem. Mater, Vol. 19, 2007. p. 665.

E. Morgado Jr., M.A.S.Abreu, G.T. Moure, B.A. Marinkovic, P.M. Jardim, A.S. Araujo, Mater. Res. Bull., Vol. 42, 2007.

E. Morgado Jr., M. A. S. Abreu, J. B. Viol, A. S. Araujo, Congresso Brasileiro de Catálise, 2007.

K. Hashimoto, H. Irie, A. Fujishima, TiO2 Photocatalysis: A Historical Overview and Future Prospects, Japanese Journal of Applied Physics, Vol.44, 2005. p. 8269– 8285.

A. Folli, U.H. Jakobsen, G.L. Guerrini, D.E.Macphee, J. Adv. Oxid. Technol., Vol.12, 2009. p.126-133.

Downloads

Publicado

29-03-2017

Como Citar

FORTES, Mariana; SILVEIRA, Roberto Pires; SÁ, Tatiana Militão de; FREDHOLM, Yann C.; VIO, Juliana Bento; MARINKOVIC, Bojan A. Caracterização e avaliação comparativa do desempenho fotocatalítico dos novos nanopós comerciais de TiO2. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, v. 6, n. 1esp, p. 27–32, 2017. DOI: 10.47385/cadunifoa.v6.n1esp.1129. Disponível em: https://revistas.unifoa.edu.br/cadernos/article/view/1129. Acesso em: 13 jul. 2024.

Edição

Seção

Especial Mestrado em Materiais