Avaliação do efeito bifidogênico da banana verde (Musa paradisiaca) sobre o trato gastrointestinal de Rattus norvegicus

Autores

  • T. Amaro UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • H. A. Duarte UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • C. A. S. Pereira UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v7.n1%20Esp.1712

Palavras-chave:

Banana verde, Prebiótico, Bifidobacterium

Resumo

Nos dias de hoje cada vez mais a população busca alimentos que além do seu valor nutricional normal, tenham alguma funcionalidade que favoreça a promoção da saúde de alguma forma. Nesse aspecto, um dos assuntos que vem sendo bem enfatizado são alimentos que tenham uma funcionalidade prebiótica. O presente trabalho visou demonstrar a funcionalidade da banana verde como uma fonte prebiótica, avaliando o seu fator bifidogênico sobre as Bifidobacterium do trato gastrointestinal, assim a banana foi usada para a suplementação na alimentação de Rattus norvegicus, no qual foi avaliado o fator bifidogênico e também a conversão alimentar e o ganho de peso. Foram utilizados 30 animais machos, com 4 semanas de vida, os quais foram divididos em 3 grupos de 10 indivíduos, sendo que no grupo A (grupo controle) foram administrados apenas água e ração, o grupo B além da água e da ração foram suplementados com um preparado da farinha da casca de banana verde diariamente e o grupo C além de água e ração foram suplementados com preparado da farinha da polpa de banana verde diariamente. Estes foram avaliados durante seis semanas, onde semanalmente foram feitas coletas de fezes frescas para a contagem de Bifidobacterium. Os dados obtidos a partir da contagem foram avaliados estatisticamente pelos testes ANOVA e Bonferroni, onde não foi constatada diferença significativa entre o grupo controle e o grupo suplementado com a farinha da casca (P>0,05), porém, o grupo suplementado com farinha da polpa de banana verde, apresentou aumento significativo na contagem de Bifidobacterium comparado aos outros dois grupos (P<0,05). As análises de conversão alimentar e ganho de peso, não apresentaram diferenças significativas entre os grupos (ANOVA e Bonferoni – P>0,05). Desta forma, conclui-se que a farinha da polpa de banana verde, estimula o aumento de Bifidobacterium nas fezes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-10-30

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)