Percepções do enfermeiro sobre as alternativas à hemotransfusão

Autores

  • S. E. Vieira UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • M. A. Mendes UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • M. Paraíso UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v7.n1%20Esp.1986

Palavras-chave:

hemotransfusão, sangue, hemoterapia, enfermagem

Resumo

Estratégias alternativas à transfusão de hemoderivados devem ser consideradas pela equipe multidisciplinar, e o Enfermeiro constantemente se depara com o direito de escolha, que tem levado alguns pacientes a recusar a transfusão de sangue ou de seus produtos. Mediante a importância do papel do Enfermeiro na discussão em equipe sobre as alternativas às hemotransfusões, este trabalho objetiva avaliar a visão destes profissionais sobre as alternativas e riscos inerentes às hemotransfusões, de acordo com o significado e a intencionalidade inerentes aos atos, relações e estruturas sociais existentes em hemocentros e hospitais. Análises quali-quantitativas dos questionários dirigidos a Enfermeiros que atuam na região sul fluminense do Estado do Rio de Janeiro apontaram que a maioria concorda com a necessidade de um programa de conservação de sangue completo, mediante riscos e/ou complicações inerentes às transfusões sanguíneas, e que a abordagem coordenada e multidisciplinar é a chave do sucesso de qualquer programa de redução do uso de sangue. Apesar da maioria dos Enfermeiros entrevistados afirmar possuir conhecer os riscos da hemotransfusão, pouco conhecimento sobre a possibilidade de “janela imunológica” para algumas doenças foi demonstrado, possivelmente devido à confiança que se deposita nos bancos de sangue, o que poderia ser fator de risco para hemotransfusões.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-10-30