Fabricação e montagem de um protótipo veícular fora de estrada

Autores

  • A. S. R. P. Filho UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • B. T. J. D. Sousa UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • C. Fernandes UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • D. S. Souza UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • D. V. Junqueira UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • D. R. S. Peixoto UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • D. D. S. Saraiva UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • D. S. Machado UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • D. A. S. Oliveira UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • E. Q. Silva UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • F. B. Sartor UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • G. L. Faria UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • G. L. Fernandes UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • G. C. Medeiros UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • G. S. Drumond UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • J. M. Santos UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • J. F. M. R. Filho UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • M. V. C. Lacerda UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • M. L. Teles UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • M. L. Linares UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • M. B. Pimenta UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • R. A. Peres UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • R. S. Freitas UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • R. S. Horta UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • S. M. Franco UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • V. O. Silva UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • V. M. C. Machado UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • V. J. C. Menezes UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • A. J. O. Cabral UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ
  • A. M. Assis UFF – Universidade Federal Fluminense / EEIMVR, Volta Redonda, RJ

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v7.n1%20Esp.2142

Palavras-chave:

Mini-Baja, protótipo off road, engenharia automotiva

Resumo

Um protótipo veicular de pequeno porte monoposto, com um motor de 4 tempos, para trafegar em vias acidentadas, transportando uma pessoa de 1,90m de altura máxima e 113,4kg de massa, de forma segura e confortável foi projetado e construído pela Equipe VR BAJA da UFF/EEIMVR para as Competições Baja SAE Brasil (Nacional e Etapa Sudeste) seguindo o regulamento proposto pela SAE Brasil. O objetivo principal das competições da SAE Brasil e SAE Internacional desenvolver a capacidade dos futuros engenheiros projetar, montar e competir com um protótipo que atenda aos requisitos: ser capaz de superar obstáculos em diversos tipos de terreno; ser eficiente, resistente; suportar os vários esforços de modo seguro, ser um produto comercial atrativo ao público entusiasta. No projeto, objetivou-se, ainda, a interação dos engenheirandos com o cotidiano de um profissional desta área. A estrutura do protótipo é feita de liga de aço SAE 1020, as dimensões dos elementos principais são diâmetro externo de 31,75 mm e espessura igual a 1,6 mm. Foi usado o sistema de freio hidráulico a disco, com um cilindro mestre de duplo acionamento, um conjunto de freio em cada roda dianteira, e um único conjunto de freio solidário à árvore de potência na traseira. A suspensão dianteira é tipo Duplo A de braços desiguais e a suspensão traseira tipo Semi Trailing Arm. O sistema de direção é tipo pinhão cremalheira com relação de 3,59: 1, giro de 170º no volante e um curso de cremalheira de 170 mm. O projeto da transmissão consiste em um motor Briggs & Stratton de 10HP, um trem de engrenagem, com três eixos e dois pares de engrenagens, uma CVT Comet 770 e eixos cardan. Resultados expressivos: Projeto - 34ª colocação no Nacional e 14ª colocação no regional. Geral 50ª e 16ª, respectivamente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-10-30

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)