Reaproveitamento de pneus: uma chance para natureza

Autores

  • V. C. Marczuk UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • C. Saron UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • C. dos Santos UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v7.n1%20Esp.2168

Palavras-chave:

pneus inservíveis, meio ambiente, caixa de transporte para animais

Resumo

Nas últimas décadas várias pesquisas vêm sendo desenvolvidas visando à obtenção de novos produtos que possam ser utilizados no processo de reciclagem em uma tentativa de ser dado um destino adequado aos resíduos sólidos, devido ao importante papel que os materiais inservíveis representam perante aos impactos ambientais, entre eles os pneus. A Constituição Federal Brasileira de 1988 prevê obrigações a respeito aos resíduos sólidos, uma vez que considera as questões ambientais como patrimônio nacional e pertencente às gerações futuras. Determina que haja manutenção de qualidade ambiental, sendo esta de competência conjunta do Governo Federal, dos Estados e dos Municípios. Porém, mesmo definindo na legislação, muito pouco tem sido feito por parte dos organismos públicos no que se refere à preservação ambiental. Os pneus que ficam a céu aberto constituem-se em um grande problema de Saúde Pública devido ao acúmulo de água de chuva, podendo estes servir como criadouros para vetores que podem transmitir algumas doenças, entre elas a dengue. O presente estudo justifica-se pela necessidade do reaproveitamento dos pneus, dando uma 2ª finalidade para eles, pois seus danos na natureza são acumulativos, irreversíveis, destacando que os problemas de hoje refletem no amanhã atingindo as gerações futuras. O objetivo do estudo é desenvolver um novo design para uma caixa de transporte para animais, utilizando como matéria-prima pneus inservíveis. O processo a ser usado com os pneus inservíveis é o de laminação. Hoje a caixa de transporte para animais é produzida com plástico. Após a obtenção do produto final será realizado um estudo para verificar a viabilidade de industrialização do novo produto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-10-30