Sitronel repelente contra insetos

Autores

  • L. S. Lanchim UniFOA – Centro Universitário Volta Redonda
  • M. Ennes UniFOA – Centro Universitário Volta Redonda

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v7.n1%20Esp.2179

Palavras-chave:

Design de produto, Biomimética, biônica, plantas carnívoras, repelente

Resumo

A prática de atividades ao ar livre expõe o homem ao contato direto com insetos que podem ou não transmitir doenças, além do grande incômodo causado pela picada dos mesmos. Aproximadamente, 700 milhões de pessoas adoecem por picadas de insetos ao ano, e destas, mais de 40 milhões. A maioria dos repelentes de insetos entra em contato direto com a pele através de sprays, cremes, loções ou óleos, podendo causar irritação ou desconforto. As pesquisas sobre a ação de plantas como repelentes naturais tem se desenvolvido e o uso de substâncias repelentes extraídas de plantas apresentam vantagens quando comparado ao uso de produtos sintéticos. A planta popularmente, conhecida como “capim-citronela” (Cymbopogon Winterianus), tem o poder de afastar as pragas devido ao óleo essencial que contém mais de 80 componentes, entre eles o citronal, geraniol e limoneno. Com estas premissas o produto visa proteger escoteiros, campistas, turistas, excursionistas, praticantes ocasionais e montanhistas experientes com as vivências significativas ao ar livre, de todas as idades, do incomodo causado pelos mosquitos e suas picadas. Utilizou-se a Biônica e a Biomimética, para conceber as formas a partir dos estudos de “plantas carnívoras” das quatro famílias principais: Nepenthaceae, Sarraceniaceae, Droseraceae e Lentibulariaceae até obter-se uma forma orgânica simples e funcional. O produto foi desenvolvido em dois tamanhos. O primeiro, para ambientes fechados e o segundo para ser utilizado individualmente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

10/30/2012

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>