Song book Chico Buarque - página infeliz da nossa história

Autores

  • B. G. P. R. Silva UniFOA – Centro Universitário Volta Redonda
  • M. Ennes UniFOA – Centro Universitário Volta Redonda

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v7.n1%20Esp.2182

Palavras-chave:

Design gráfico, Chico Buarque, ditadura militar, música, censura

Resumo

O Brasil passou por um período grande de ditadura militar (1964-1985), onde nossa identidade cultural foi oprimida. A partir de 1968 viveu-se o que chamam os “anos de chumbo”, quando o presidente Medici sancionou os Atos Institucionais. O mais conhecido foi o AI-5. Sobrepondo-se à Constituição de 24 de janeiro de 1967, bem como às constituições estaduais, o ato institucional de número cinco dava poderes extraordinários ao Presidente da República e suspendia várias garantias constitucionais. Neste período houve grande censura ao trabalho de compositores e artistas, peças canceladas, canções proibidas e etc. A música não é algo que podemos chamar de organizada, é uma expressão do artista, e como ele não podia falar abertamente o que desejasse houve uma ‘separação’ de foco dos artistas. Esse projeto de design gráfico mostra como as músicas de Chico Buarque influenciaram no cenário político da Ditadura Militar Brasileira, como o regime agia em relação à imprensa e a cultura, de maneira gráfica e inédita no Brasil. Através de um song book, formatado como os antigos long-plays (lp), com diagramação seguindo a estética e imagens antológicas que marcaram aquela época.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

10/30/2012

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>