Avaliação do perfil bioquímico, adiposidade corporal e níveis pressóricos de idosos pertencentes a um grupo de convivência de Volta Redonda- RJ

Autores

  • J. S. Cerqueira UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • R. G. B. O. Nascimento UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • A. P. S. Maia UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • T. S. Coldebella UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • C. S. L. Vinheiras UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • A. P. A. Avelino UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • C. C. D. Ferreira UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v6.n2%20Esp.2287

Palavras-chave:

idosos, avaliação bioquímica, adiposidade, pressão arterial

Resumo

O IBGE em 2010 apontou que no Brasil possui 18 milhões de idosos, que representa 12% da população brasileira. Na cidade de Volta Redonda, a população idosa alcança 257.803 habitantes. O objetivo deste trabalho foi avaliar o perfil lipídico, a glicemia de jejum, a adiposidade corporal e a pressão arterial de um grupo de idosos de Volta Redonda- RJ. O perfil bioquímico foi avaliado a partir das dosagens das concentrações de glicose e perfil lipídico através do método enzimático-colorimétrico. A avaliação de LDL-colesterol foi calculada através da equação de Friedewald. Na avaliação da adiposidade corporal utilizou-se a bioimpedância elétrica tetrapolar. Para a avaliação e classificação da pressão arterial utilizou-se os parâmetros propostos pela VI Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial (2010). Participaram do estudo 84 voluntários, sendo 14 homens e 70 mulheres. Foi observado predomínio de idosos com idade entre 60-69 anos (62%). Foram encontrados os seguintes valores médios para o perfil bioquímico: glicose 95,16±17,78, triglicerídeos 151,98±55,97, HDL colesterol 44,36±13,16, LDL 106,33±45,5 e colesterol total 210,39±51,15. Os valores médios encontrados para glicose. Quanto ao estado nutricional 4,8% apresentaram magreza, 51,7% eutrofia e 38,1% sobrepeso, já na adiposidade corporal encontramos prevalência de complicações metabólicas associadas à obesidade (72%), seguido de escores acima da média (26%) e na média (2%). Na avaliação dos níveis pressóricos, encontrou-se um maior número de indivíduos classificados como limítrofe (132x81±11,1mmHg). Concluiu-se que a amostra apresenta fatores de risco cardiovasculares e que avaliação da adiposidade corporal foi mais sensível para diagnosticar complicações metabólicas associadas à obesidade do que o IMC corroborando com outros estudos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

08/17/2018

Como Citar

CERQUEIRA, J. S.; NASCIMENTO, R. G. B. O.; MAIA, A. P. S.; COLDEBELLA, T. S.; VINHEIRAS, C. S. L.; AVELINO, A. P. A.; FERREIRA, C. C. D. Avaliação do perfil bioquímico, adiposidade corporal e níveis pressóricos de idosos pertencentes a um grupo de convivência de Volta Redonda- RJ. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, v. 6, n. 2 Esp, p. 44, 2018. DOI: 10.47385/cadunifoa.v6.n2 Esp.2287. Disponível em: https://revistas.unifoa.edu.br/cadernos/article/view/2287. Acesso em: 1 jul. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)