Aplicação da biônica no desenvolvimento de produtos: uma sinergia entre o design de calçados e os novos materiais

Autores

  • T. M. Bastos FATEA - Faculdades Integradas Teresa D‘Ávila, Lorena, SP
  • R. B. Ribeiro FATEA - Faculdades Integradas Teresa D‘Ávila, Lorena, SP UNIFOA - Centro Universitário de Volta Redonda FATEC - Faculdade de Tecnologia, Cruzeiro, SP
  • M. M. Yokosawa FATEA - Faculdades Integradas Teresa D‘Ávila, Lorena, SP FATEC - Faculdade de Tecnologia, Cruzeiro, SP
  • J. N. Perjan FATEA - Faculdades Integradas Teresa D‘Ávila, Lorena, SP
  • A. Fernandes FATEA - Faculdades Integradas Teresa D‘Ávila, Lorena, SP

Palavras-chave:

novos materiais, Design de produto, biônica

Resumo

Este trabalho tem como objetivo verificar a potencialidade das resinas poliuretanas (PU) com a adição de cargas de celulolignina a 10, 20, 30, 40 e 50% na aplicação em solados de calçados e averiguar sua capacidade de moldagem da forma, geometrias e texturas com o uso das ferramentas da Biônica. O PU é utilizado na área calçadista devido à alta resistência a abrasão, flexão e rasgo, flexibilidade, elasticidade, conforto, fácil moldagem de formas e baixa densidade. Os compósitos com uso de fibra natural tem sido um atrativo pela redução do custo do produto, conceito de sustentabilidade e passíveis de reciclabilidade, alta resistência e propriedades específicas superiores aos componentes isolados. Por meio da Biônica realizam-se analogias que relacionam formas, funções e comportamentos dos meios naturais, solucionando problemas existentes ou geram-se possibilidades inovadoras no produto. Na metodologia foi realizado um estudo exploratório de planejamento das misturas da resina PU com variações de celulose e lignina em 10, 20, 30, 40, 50% de carga. Foi feita a Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV) utilizando um aparelho tipo VP 1450 LMEDEMAR- EEL-USP. Utilizou-se como ferramenta de desenvolvimento de texturas a Biônica no Laboratório de Texturas, Materiais e Modelagem - FATEA. Os resultados preliminares obtidos pelo MEV foram: a partir de 30% lignina apresenta mudanças na morfologia, que contribui na fragilização estrutural, já mistura com a celulose a partir de 40% em sua composição proporciona alterações significativas em sua forma estrutural (morfologia da partícula) rompendo, ocasionando o aumento da dureza e a perda a maleabilidade e ductilidade. A reprodução da forma desenvolvida por meio da Biônica é plenamente reproduzível ao material.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

08/14/2018

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)