Situação do aleitamento materno exclusivo nos seis primeiros meses de vida em cidades da região sul fluminense

Autores

  • C. C. Lima USS – Universidade Severino Sombra, Vassouras, RJ
  • A. T. T. Morais USS – Universidade Severino Sombra, Vassouras, RJ
  • J. P. B. Drummond USS – Universidade Severino Sombra, Vassouras, RJ
  • M. P. Leite USS – Universidade Severino Sombra, Vassouras, RJ
  • T. A. Eguchi USS – Universidade Severino Sombra, Vassouras, RJ
  • C. A. Bhering USS – Universidade Severino Sombra, Vassouras, RJ

Palavras-chave:

amamentação exclusiva, recém-nascido, leite materno

Resumo

A amamentação é a maneira mais eficaz de oferecer o alimento adequado para a sobrevivência, crescimento e desenvolvimento do recém-nascido. Segundo a Organização Mundial de Saúde, a população em geral deve amamentar seus bebês com leite materno, exclusivamente, durante os seis primeiros meses de vida. Com a amamentação exclusiva, há uma redução da mortalidade infantil, causada por patologias comuns nesta idade, auxiliando também na recuperação de outras doenças. A substituição da amamentação nos primeiros seis meses de vida, por outro líquido, com baixo teor nutritivo ou nulo, pode causar, impacto negativo na saúde do bebê. O estudo teve como objetivo levantar dados sobre a prevalência do aleitamento materno exclusivo nos seis primeiros meses de vida em algumas mães cidade de Areal e Vassouras, assim como identificar os fatores que interferem nessa prática. As mães responderam a um questionário, aplicado por acadêmicos de medicina da Liga de Neonatologia da Universidade Severino Sombra, em projetos de ação social realizados nas respectivas cidades. O percentual de mães que ofereceram exclusivamente o leite materno aos seus filhos até os seis meses de idade em cada uma das cidades foi identificado e comparado. Ao avaliar a amamentação, observou-se que num total de 105 mães, 46,66% ofereceram amamentação exclusiva, enquanto 53,34% ofereceram água e/ou outro alimento. Na cidade de Areal, 58% das mães fizeram uso do aleitamento materno exclusivo até os seis meses de idade ou mais. Já em Vassouras, verificou-se apenas 39%. Essa discrepância foi associada à menor escolaridade das mães. Os resultados do presente estudo, evidenciaram associação entre as condições de vida e hábitos culturais da população com a prática alimentar nos 6 primeiros meses de vida. É preciso que os provedores de saúde, voluntários e médicos, informem todas as gestantes e puérperas sobre a importância da amamentação exclusiva durante os seis primeiros meses, informando que o leite materno contém água suficiente para suprir as necessidades do bebê.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

14-08-2018

Como Citar

LIMA, C. C.; MORAIS, A. T. T.; DRUMMOND, J. P. B.; LEITE, M. P.; EGUCHI, T. A.; BHERING, C. A. Situação do aleitamento materno exclusivo nos seis primeiros meses de vida em cidades da região sul fluminense. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, v. 5, n. 1esp, p. 89, 2018. Disponível em: https://revistas.unifoa.edu.br/cadernos/article/view/2468. Acesso em: 12 jul. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.