Estudo da viabilidade da regeneração de lama gerada nas estações de tratamento de água (ETA’s) para reaproveitamento do sulfato de alumínio

Autores

  • L. G. Nascimento UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • A. Gomes UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda

Palavras-chave:

ETA, regeneração, sulfato de alumínio, lodo

Resumo

O funcionamento de estações de tratamento de águas convencionais tem gerado problemas ambientais. Esses são decorrentes de lançamentos de rejeitos gerados em decantadores de filtros, componentes desses sistemas. A legislação Brasileira, através da Lei 9.605, considera essa ação como crime. As estações de tratamento de água produzem lodos residuais ricos em alumínio, ferro e silicatos, resultado do processo de lavagem dos filtros e descarga dos decantadores, os quais, na maioria dos casos, são lançados nos corpos d′água sem tratamento, causando problemas ambientais, tais como risco à vida aquática residente, aumento da quantidade de sólidos, assoreamento, mudanças de cor e turbidez, aumento das concentrações de metais (provenientes dos resíduos), além de, gradualmente, poder causar riscos à saúde pública, uma vez que os lodos concentram as impurezas presentes na água bruta. O presente trabalho aborda a caracterização de um lodo gerado numa estação de tratamento de água, visando sua reutilização em outros processos, uma vez que foi constatada a viabilidade de regeneração e reuso do sulfato de alumínio, além da possibilidade de incorporação do resíduo como matéria-prima na fabricação do cimento, verificando-se ainda a inviabilidade econômica de disposição em aterro devido a elevados custos para disposição do mesmo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

01-11-2018

Como Citar

NASCIMENTO, L. G.; GOMES, A. Estudo da viabilidade da regeneração de lama gerada nas estações de tratamento de água (ETA’s) para reaproveitamento do sulfato de alumínio. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, v. 4, n. 1esp, p. 41, 2018. Disponível em: https://revistas.unifoa.edu.br/cadernos/article/view/2566. Acesso em: 4 out. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)