Sobrepeso e obesidade em portadores do transtorno do espectro autista (TEA)

Autores

  • Bruno Rocha Silva Setta Centro Universitário de Volta Redonda
  • Mayra Rozália Loureiro Novaes Centro Universitário de Volta Redonda
  • Lucrécia Helena Loureiro Centro Universitário de Volta Redonda
  • Márcia Dorcelina Trindade Cardoso Centro Universitário de Volta Redonda
  • Rider Santiago Alcoba Júnior Centro Universitário de Volta Redonda

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v16.n46.3514

Palavras-chave:

Autismo, Sobrepeso, Obesidade

Resumo

A frequência de sobrepeso e obesidade aumenta exponencialmente a cada ano no mundo todo, tornando-se uma comorbidade altamente prevalente em crianças e adolescentes, sobretudo em países desenvolvidos e emergentes. Diversos estudos têm demonstrado uma importante associação entre a prevalência destas comorbidades em portadores do transtorno do espectro autista (TEA), no entanto, poucos estudos têm se direcionado a crianças e adolescentes portadores deste transtorno. O objetivo deste artigo foi avaliar os principais estudos que foram realizados no período de 2009 a 2019, em relação à frequência de sobrepeso e obesidade neste público no Brasil. Para tanto, foi realizada uma revisão bibliográfica por meio da busca de artigos na Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), PubMed e Google Acadêmico. Os descritores utilizados foram “sobrepeso”, “obesidade” e “autismo”. Verificou-se 11 artigos voltados estritamente para o público com TEA, mas apenas 5 analisaram a frequência de sobrepeso e obesidade. Existem muitas inconsistências metodológicas, especialmente no uso do IMC, na amostragem com poucos indivíduos e há a necessidade de incluir grupos de controle nas análises. O total de crianças e adolescentes diagnosticados com autismo em todos os artigos foi de 237 indivíduos, a maioria deles tinha entre 3 e 12 anos e do sexo masculino. Dessa forma, foi possível observar a necessidade da realização de mais estudos e pesquisas direcionados à temática apresentada no país, associados também atuações voltadas para a promoção de saúde e políticas públicas.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruno Rocha Silva Setta, Centro Universitário de Volta Redonda

Discente do Curso de Medicina do Centro Universitário de Volta Redonda (UniFOA)

Mayra Rozália Loureiro Novaes, Centro Universitário de Volta Redonda

Discente do Curso de Medicina do Centro Universitário de Volta Redonda (UniFOA)

Lucrécia Helena Loureiro, Centro Universitário de Volta Redonda

Coordenadora do Curso de Graduação em Enfermagem do Centro Universitário de Volta Redonda- UniFOA

Márcia Dorcelina Trindade Cardoso, Centro Universitário de Volta Redonda

Docente do Curso de Graduação em Medicina do Centro Universitário de Volta Redonda- UniFOA

Rider Santiago Alcoba Júnior, Centro Universitário de Volta Redonda

Discente do Curso de Medicina do Centro Universitário de Volta Redonda (UniFOA)

Referências

ALMEIDA, A. K. A. et al. Consumo de ultraprocessados e estado nutricional de crianças com transtorno do espectro do autismo. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, 31 (3): 1-10, jul./set., 2018.

American Psychiatric Association. Diagnostic and StatisticalManual of Mental Disorders. 4th ed. American Psychiatric Association; 15. 2000.

BRASIL. Projeto de Lei da Câmara n° 139, de 2018. Estabelece que os censos demográficos realizados a partir de 2018 incluirão as especificidades inerentes ao autismo. Disponível em: https://www25.senado.leg.br/web/atividade/materias/-/materia/134964. Acesso em: 11 out. 2019.

BRASIL. Lei nº 10.764, de 27 de dezembro de 2012. Institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista; e altera o § 3º do art. 98 da Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 2012.

CAETANO, M. V.; GURGEL, D. C. Perfil nutricional de crianças portadoras do transtorno do espectro autista. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, 31 (1): 1-11, jan./mar., 2018.

CDC. Centers for Disease Control and Prevention. 2012. Prevalence of autism spectrum disorders. Surveillance Summaries MMWR March 29. Disponível em: http://www.cdc.gov/ media/releases/2012/a0329_autism_disorder.html. Acesso em: 24 maio. 2020.

CURTIN C.; ANDERSON, S. E.; MUST, A.; BANDINI, L. The prevalence of obesity in children with autism: a secondary data analysis using nationally representative data from the National Survey of Children’s Health. BMC Pediatrics, p.10 -11, 2010.

Developmental Disabilities Monitoring Network Surveillance Year 2010 Principal Investigators, Centers for Disease Control and Prevention (CDC). Prevalence of autism spectrum disorder among children aged 8 years — autism and developmental disabilities monitoring network, 11 sites, United States, 2010. MorbMortal Wkly Rep Surveill Summ, 63:1- 21. 2014.

DOMINGUES, R. C. P.; SZCZEREPA, S. B. Avaliação nutricional de crianças portadoras do transtorno do espectro autista em uma instituição filantrópica de Ponta Grossa – PR. Revista Nutrir, 9ª Ed. (jan - jul) de 2018.

EVANS, E. W. et al. Dietary patterns and body mass index in children with autism and typically developing children. Research in Autism Spectrum Disorders, 6(1), 399 - 405, 2012.

GALLING, B.; CORRELL, C. U. Do antipsychotics increase diabetes risk in children and adolescentes. Expert Opin Drug Saf. 2015;14(2):219 - 241.

JUNIOR, F. P. Quantos autistas há no Brasil? Disponível em: https://www.revistaautismo.com.br/noticias/quantos-autistas-ha-no-brasil/. Acesso em: 12 out. 2019.

KUMMER, A. et al. Frequência de sobrepeso e obesidade em crianças e adolescentes com autismo e transtorno do déficit de atenção/hiperatividade. Revista Paulista de Pediatria, 2016; 34(1):71-77.

MARÍ-BAUSET, S. et al. Anthropometric measures of Spanish children with autism spectrum disorder. Research in Autism Spectrum Disorders, v. 9, p. 26–33, 2015.

OLIVEIRA, B. D. C. et al. Políticas para o autismo no Brasil: entre a atenção psicossocial e a reabilitação. Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 27 [3]: 707-726, 2017.

OLIVEIRA, C. Um retrato do autismo no Brasil. Disponível em: http://www.usp.br/espacoaberto/?materia=um-retrato-do-autismo-no-brasil. Acesso em: 11 out. 2019.

PEIXOTO, M. R. G. et al. Circunferência da cintura e índice de massa corporal como preditores da hipertensão arterial. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, 87:462-70, 2006.

SARNI, R. S. et al. Relação da cintura abdominal com a condição nutricional, perfil lipídico e pressão arterial em pré-escolares de baixo estrato socioeconômico. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, 87(2):153-8, 2006.

SCHRECK, K. A.; WILLIAMS, K. Food preferences and factors influencing food selectivity for children with autism spectrum disorders. Research in Developmental Disabilities, n. 27, p. 353-63, 2006.

TOSCANO, C. V. A. et al. Crescimento e massa corporal em crianças brasileiras com transtornos do espectro autista: um estudo longitudinal misto. Jornal de Pediatria, 95(6):705-712, 2019.

Downloads

Publicado

2021-08-26

Edição

Seção

Ciências Biológicas e da Saúde

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)