A interiorização do Instituto Federal do Maranhão (IFMA)

um estudo sobre estudantes pendulares do Campus São João dos Patos

Autores

  • Tiago Costa  Doutorando em Geografia – Tratamento da Informação Espacial (Bolsista CAPES) pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, PUC MINAS. Docente do IFMA, Campus São João dos Patos Instituto Federal do Maranhão - IFMA. https://orcid.org/0000-0003-1772-7225

Palavras-chave:

Migração pendular, Estudantes, Cidades pequenas

Resumo

O processo de urbanização vigente evidenciou vários fenômenos urbanos característicos da contemporaneidade, caracterizando dinâmicas populacionais cada vez mais intensas. As percepções espaciais em grandes centros urbanos são heterogêneas, onde o dinamismo na rede urbana apresenta-se como principal indutor dos aspectos mais relevantes do tecido urbano. Contudo, essa contextualização não apenas se apresenta nas grandes e médias cidades. Compreender essas ocorrências a partir das cidades pequenas é o objetivo principal do artigo. Especificamente, o estudo retrata a pendularidade de estudantes do Sertão maranhense que migram diariamente para estudar no IFMA, Campus São João dos Patos, devido à falta de oportunidades onde residem. Esses alunos, em sua maioria, são municípios que compõem a microrregião do Alto Itapecuru. A pesquisa será quantitativa, de caráter descritivo-exploratório, com base em uma densa revisão de literatura, aplicação de questionário através do Google Forms com estudantes dos cursos técnicos do Campus São João dos Patos e levantamento de dados cartográficos, foram utilizados os softwares Google Earth e o Qgis. A oferta de instituições de ensino em seus diversos níveis atrelada à dinâmica econômica e a falta de oportunidades de estudo em suas cidades de origem se apresentam como condições para a intensa transitoriedade desses estudantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CARVALHO, J.A.M. de; BEAUJEU-GARNIER, J. Geografia da população São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1980.

RIGOTTI, J.I.R. Análise das metodologias de mensuração das migrações. In: ENCONTRO NACIONAL SOBRE MIGRAÇÃO. Anais. Curitiba: Ipardes: FNUAP, 1998. p. 211-227.

CORRÊA, Roberto Lobato. O espaço urbano. São Paulo. Editora Ática, 2005.

CASTELLO BRANCO, M. L. G. A dinâmica metropolitana, movimento pendular e forma urbana: o espaço urbano do Rio de Janeiro. 2006. 13 p. Trabalho apresentado no XV Encontro Nacional de Estudos Populacionais da Associação Brasileira de Estudos Populacionais - ABEP, realizado em Caxambu, 2006.

CASTELLO BRANCO, M. L. G. Espaços urbanos: uma proposta para o Brasil. 2003. 236 p. Tese (Doutorado)- Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ, Rio de Janeiro, 2003.

ENDLICH, Ângela Maria. Pensando os papéis e significados das pequenas cidades do Noroeste do Paraná. Tese (doutorado) – Universidade Estadual Paulista – Faculdade de Ciências e Tecnologia. Presidente Prudente: [s.n.], 2006. 505 p. il.

MOURA, R.; CASTELLO BRANCO, M. L. G.; FIRKOWSKI, O. L. C. de F. Movimento pendular e perspectivas de pesquisas em aglomerados urbanos. São Paulo em Perspectiva. São Paulo: Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados - Seade, v. 19, n. 4, p. 121-133, out./dez. 2005.

SANTOS, Milton. O Espaço dividido: os dois circuitos da economia urbana dos países subdesenvolvidos. Rio de Janeiro: Editora Francisco Alves, 1979.

STAMM, Cristiano; STADUTO, Jefferson A. R. Movimentos pendulares das cidades interioranas de porte médio de Cascavel e Toledo, no Paraná. In: Revista Brasileira de Estudos de População v. 25, n. 1, São Paulo: Rebep, 2008. pp. 131-150

Downloads

Publicado

08-11-2022

Como Citar

COSTA, T. A interiorização do Instituto Federal do Maranhão (IFMA): um estudo sobre estudantes pendulares do Campus São João dos Patos. Cadernos UniFOA, Volta Redonda, 2022. Disponível em: https://revistas.unifoa.edu.br/cadernos/article/view/3983. Acesso em: 26 nov. 2022.

Edição

Seção

Ciências Sociais Aplicadas e Humanas