Uso da Oscilação Oral de Alta Freqüência em Pacientes Ventilados Mecanicamente: um Estudo Prospectivo e Revisão de Literatura

Autores

  • Ana Cristina Tavares Silveira Centro Universitário de Volta Redonda, UniFOA
  • Cleize Silveira Cunha Centro Universitário de Volta Redonda, UniFOA
  • Danielle Batista Pacheco Centro Universitário de Volta Redonda, UniFOA
  • Ney Marcelo de Azevedo Silva Centro Universitário de Volta Redonda, UniFOA

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v2.n4.884

Palavras-chave:

Fisioterapia, Pacientes, Melhora.

Resumo

A Oscilação Oral de Alta Freqüência (OOAF), ou Oral High Frequency Oscillation (OHFO), vem sendo estudada como um novo recurso fisioterapêutico, desde a década de 80, como sendo uma técnica de desobstrução brônquica. Para GAVA e ORTENZI (1998), a OOAF pode ser utilizada como coadjuvante à fisioterapia respiratória no tratamento de doenças pulmonares que se caracterizam pelo aumento de secreção brônquica. É atribuído a OOAF o descolamento da secreção brônquica, o aumento da função pulmonar e a melhora da oxigenação. Diversos autores descrevem sobre os aparelhos que estão disponíveis no mercado. Contudo, apresentam uma forma básica que lembra um pequeno cachimbo, em que, no seu interio,r existe um canal, onde está acentuada uma pequena esfera de aço. Na realidade, é um fiel resistor de limiar pressórico gravitacional, o qual permite a frenagem do fluxo expiratório, por produzir curtas e sucessivas interrupções à passagem do fluxo, que permitem uma repercussão oscilatória produzida por resistor do aparelho, que é transmitida à árvore brônquica. Atualmente, existem três modelos distintos no mercado: Flutter, Shaker e Acapella. (VOLSKO et al 2003). CARVALHO (2001) ressalta que a pressão positiva oscilatória,atua promovendo a dilatação dos brônquios até as estruturas periféricas, facilitando deslocamento do muco e inibindo o colapso precoce brônquico, tendo como conseqüência, uma diminuição da resistência respiratória e o aumento do volume de reserva expiratória. Estudamos prospectivamente, 14 pacientes, de ambos os sexos, com idade variando de 22 a 71 anos, portadores de vários tipos de doenças, tendo em comum o aumento da secreção brônquica. O presente estudo foi realizado na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital VITA Volta Redonda.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMARAL, Marcus Vinícius. Utilização da Pressão Expiratória Positiva Oscilante através de um Novo Equipamento Denominado “Shaker”. Disponível em: http//:www.fisiocor.com.br. Acesso em 01/10/2003.

AZEREDO, Carlos Alberto Caetano. Fisioterapia Respiratória Moderna. 4. ed. Rio de Janeiro: Manole, 2002.

CARVALHO, Mercedes. Fundamentos Respiratórios: Fundamentos e Contribuições. 5. ed. Rio de Janeiro: Revinter, 2001.

CHATHAM, K.; MARSHALL, C.; CAMPBELL, A.; PRESCOTT, R.J. The Flutter VRP1 Device for Pos Thoracotomy Patient. Physiotherapy, v.79, p.95-99, 1993.

COSTA, D.; MARTINS, A.L.P.; JAMAMI, M. Comparação entre os Equipamentos Flutter e Shaker em Pacientes Portadores de Doenças Pulmonares. Revista Brasileira Fisioterapia. Agosto/2002 suplemento. p.71.

FERRO, Aline Torres. Estudo Comparativo sobre Técnicas Fisioterápicas para Desobstrução Brônquica. Disponível em: http://www.interfisio.com.br. Acesso em: 09/03/2004.

GAVA, Marcus Vinícius; ORTENZI, Luciana. Estudo analítico dos efeitos fisiológicos e da utilização do aparelho Flutter URP1. v. XI, nº 1, abril/setembro 1998.

MILLER, J.J. Indicações do Flutter. I Congresso Brasileiro de Fisioterapia em Terapia Intensiva. Porto Alegre-RS, Outubro, 1993.

PRESTO, Bruno; PRESTO, Luciana Damázio de Noronha. Fisioterapia Respiratória: Uma Nova Visão. 1.ed. São Paulo: Bruno Presto, 2003.

PRYOR, Jennifer A.; WEBBER, Bárbara A. Fisioterapia para Problemas Respiratórios e Cardíacos. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002.

SLUTZKY, Luis Carlos. Fisioterapia Respiratória – Nas Enfermidades Neuromusculares. 1.ed. Rio de Janeiro: Revinter, 1997.

SCALAN, Craig L.; WILKINS, Robert L.; STOLLER, James K. Fundamentos da Terapia Respiratória de EGAN. Seção 6. p.817-839, 7.ed. 2000.

TOMPSON, C.S.; HSRRISON, S.; ASHLEY, J.; DAY, K.; SMITH, D.L.. Randomised crossover study of the Flutter device and active sycle of breathing techinique in non – cystic fibrosis. Bronquiestasis. torase, 200; 57:446-448.

VOLSKO, A. Teresa; DIFRORE, Juliann M.; CHATBURN, Robert L. Performance comparison of two Oscillating Positive Expiratory. Pressure Device: Acapella Versus Flutter. Respiratory Care, Vol. 48, nº 2, Fevereiro, 2003.

Downloads

Publicado

03/23/2017

Edição

Seção

Ciências Biológicas e da Saúde

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)