Fatores de risco para comportamentos autolesivos em adolescentes escolares

Joyce Lopes Macedo, Amanda Suellenn da Silva Santos Oliveira, Erica Rodrigues Reis, Magnólia de Jesus Sousa Magalhães Assunção

Resumo


O presente artigo tem por finalidade realizar uma busca bibliográfica sobre os fatores de risco para comportamentos autolesivos em adolescentes escolares. Trata-se de uma revisão de literatura do tipo integrativa. Para busca e seleção dos estudos utilizou-se as seguintes bases de dados: Google acadêmico, Scielo e Pubmed, publicados entre os anos de 2006 a 2019, pesquisou-se artigos publicados em português e inglês. Em todos os estudos analisados foi possível verificar a existência de diversos fatores associados à conduta autolesiva em escolares, inúmeras pesquisas têm explorado alguns fatores que parecem estar relacionados ao comportamento autolesivo, aumentando o risco ou funcionando de forma protetora. É necessário a realização de mais estudos, que abordem a temática, no intuito de compreender os principais fatores associados a pratica de autolesão por adolescentes escolares, como forma de conscientização e implementação de estratégias voltadas a saúde do público alvo.


Palavras-chave


Autolesão. Escolares. Adolescentes. Saúde Mental.

Texto completo:

PDF

Referências


BRICKMAN, L. J.; AMMERMAN, B. A..; LOOK, A. E.; BERMAN, M. E.; MCCLOSKEY, M. S. The relationship between non-suicidal self-injury and borderline personality disorder symptoms in a college sample. Borderline Personality Disorder and Emotion Dysregulation, p. 1-14, 2014.

CHAPMAN, A. L.; GRATZ, K. L.; BROWN, M. Z. Solving the puzzle of self-harm: the experiential avoidance model. Behaviour Research and Therapy, v. 44, n. 3, p. 371-394, 2006.

COSTA, I. Adolescência: Ideação suicida, depressão, desesperança e memórias autobiográficas. Dissertação, Instituto Universitário das Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida, 2012.

KLONSKY, E. D.; LEWIS, S. P. Assessment of Nonsuicidal Self-injury. New York: Oxford University Press, 2014.

MENDES, K. D. S.; SILVEIRA, R. C. C. P.; GALVÃO, C. M. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto contexto-enferm, v. 17, n. 4, p. 754-758, 2008.

MUEHLENKAMP, J. J.; BRAUSCH, A. M. Body regard and non-suicidal self-injury in adolescents. Journal of Adolescence, v. 35, p. 1-9, 2012.

NOCK, M. K. Why do people hurt themselves? New insights into the nature and functions of self-injury. Current Directions in Psychological Science, v. 18, n. 2, p. 78-83, 2009.

NOCK, M. K. Self-injury. Annual Review of Clinical Psychology, v. 6, p. 339-363, 2010.

O’CONNOR, R. C., ARMITAGE, C. J., GRAY, L. (2006). The role of clinical and social cognitive variables in parasuicide. British Journal of Clinical Psychology, 45, 465-481

PARKS, P. J. Self-injury Disorder. California: Reference Point Press, 2011.

WALSH, B. W. Treating self-injury: a pratical guide. New York: Guilford Press, 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Cadernos UniFOA

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Cadernos UniFOA

Campus Três Poços - Av. Paulo Erlei A. Abrantes, 1325 - Três Poços
Prédio 3 - Sala 2 (Casarão)
Volta Redonda - RJ - CEP: 27240-560
Tel.: (24) 3340-8400 – Ramal: 8350

Indexado em:





  • Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.