Aspectos epidemiológicos da mortalidade infantil no município de Santarém-PA: uma abordagem retrospectiva

Sheyla Mara Silva de Oliveira, Franciane de Paula Fernandes, Daniel Teixeira Oliveira, João Vitor Ferreira Walfredo, Francileno Sousa Rêgo

Resumo


A mortalidade infantil constitui um dos índices mais importantes e sensíveis para avaliar os impactos de determinada doença ou causa na saúde de uma população. O presente estudo tem como objetivo estudar os aspectos epidemiológicos da mortalidade infantil no município de Santarém- Pará. A pesquisa foi de caráter quantitativo, descritivo, retrospectivo, documental e epidemiológico de delineamento longitudinal. O presente estudo analisou os 1.512 óbitos infantis ocorridos no município no período de 2007 a 2016. Os números máximo e mínimo atingidos, levando-se em consideração a proporção de óbitos infantis para cada mil nascidos vivos, foram em 2009, com 163 óbitos para um total de 6.167 nascidos vivos, e em 2014, com 129 para um total de 6.595 nascidos vivos respectivamente. Notadamente houve uma tendência de queda no índice de mortalidade infantil calculado, principalmente, do período de 2007, com a taxa de mortalidade infantil de 24,82, à 2014, com a taxa de mortalidade de 19,56, que representa um decréscimo de 21,19%. Tem-se um perfil de mães na primeira gestação o equivalente a 87,00%, ao local da ocorrência sendo majoritariamente o ambiente hospitalar, 95,00%, ao tipo de parto caracterizado como vaginal, sendo de 65,00% e por último, uma idade gestacional entre 37 a 41 semanas, totalizando 33,00%.  O estudo nos remete o entendimento dos parâmetros de mortalidade no município para que possamos auxiliar na implementação de políticas públicas para a região.


Palavras-chave


Epidemiologia. Mortalidade Infantil. Saúde Pública.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAUJO BF, BOZETTI MC, TANAKA AC. Mortalidade neonatal precoce no Município de Caxias do Sul: um estudo de coorte. J Pediatr (Rio J) 2000; 76:2000

BORBA, Graciela Gonsalves et al. Fatores associados à morbimortalidade neonatal: um estudo de revisão. Saúde (Santa Maria), v. 40, n. 1, p. 9-16, 2014.

BRASIL. Ministério da Saúde. Indicadores e dados básicos Brasil, 2007. Brasília, D.F.: Ministério da Saúde, 2007. Disponível online em Acesso em 06/12/2008>. Acesso em 16/06/2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de atenção à saúde. Departamento de ações programáticas e estratégicas. Atenção à saúde do recém-nascido: guia para os profissionais de saúde. 2011.

BRASIL. Ministério da saúde, secretaria de atenção à saúde, departamento de análise de situação de saúde. Manual de vigilância do óbito infantil e fetal e do comitê de prevenção do óbito infantil e fetal. 2009.

DE PAULA JÚNIOR, José Dionísio et al. Perfil da mortalidade neonatal no município de Ubá/MG, Brasil (2008-2010). Revista Brasileira de Pesquisa em Saúde/Brazilian Journal of Health Research, v. 18, n. 3, p. 24-31, 2017.

FRANÇA, Elisabeth; LANSKY, Sônia. Mortalidade infantil neonatal no Brasil: situação, tendências e perspectivas. Anais, p. 1-29, 2016.

HARTZ, Zulmira Maria de Araújo. Avaliação dos programas de saúde: perspectivas teórico metodológicas e políticas institucionais. Ciência & saúde coletiva, v. 4, p. 341-353, 1999.

IBGE, Projeção da População do Brasil, por Sexo e Idade, para o Período 2000/2060, Revisão 2013, e Projeção da População das Unidades da Federação, por Sexo e Idade, para o Período 2000/2030, Revisão 2013.

IBGE. (2009). censo2010. Disponivel em: Acesso em 17 de outubro de 2018.

IBGE. (2018). Disponível em: Acesso em 17 de outubro de 2018.

IBGE.(2013).brasilemsintese.Disponívelem: Acesso em 17 de outubro de 2018.

Menezes AM, Barros FC, Victora CG, Tomasi E, Halpern R, Oliveira A. Fatores de risco para mortalidade perinatal em Pelotas, RS, 1993. Rev Saúde Pública 1998; 32:209-16.

DATASUS, 2019. Sistema de Informações sobre Mortalidade – SIM) Disponível em: https//:www2.datasus.gov.br Acesso em 04.04.2019

RODRIGUES, Lívia dos Santos et al. Características das crianças nascidas com malformações congênitas no município de São Luís, Maranhão, 2002-2011. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 23, p. 295-304, 2014.

ROUQUAYROL, M.Z.; ALMEIDA FILHO, N. Epidemiologia e saúde. Rio de Janeiro. 7ª edição. Medsi. 2013

VICTORA, Cesar G. Intervenções para reduzir a mortalidade infantil pré-escolar e materna no Brasil. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 4, n. 1, p. 3-69, 2001.

Zugaib obstetríàa / editor Marcelo Zugaib; editora associada Rossana Pulàneli Vieira Francisco; [ilustrações Sírio José Braz Cançado). - 3. ed. - Barueri, SP: Manole, 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Cadernos UniFOA

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Cadernos UniFOA

Campus Três Poços - Av. Paulo Erlei A. Abrantes, 1325 - Três Poços
Prédio 3 - Sala 2 (Casarão)
Volta Redonda - RJ - CEP: 27240-560
Tel.: (24) 3340-8400 – Ramal: 8350

Indexado em:





  • Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.