Rendimento acadêmico no Ensino Superior: variáveis pessoais e socioculturais do estudante

BRUNA CASIRAGHI, Leandro da Silva Almeida, Evely Boruchovitch, JULIO CESAR SOARES ARAGAO

Resumo


O rendimento acadêmico (RA) se configura como a forma de mensurar o aprendizado ao longo da formação e é determinado por fatores relacionados ao discente, às instituições de ensino e aos docentes, sendo comumente utilizado como critério de avaliação do sucesso acadêmico. A presente investigação objetiva avaliar os fatores relacionados ao RA de estudantes do Ensino Superior e se configura como estudo censitário, realizado em uma Instituição privada de Ensino Superior brasileira. Diversas informações foram coletadas, por meio de formulário eletrônico, junto dos estudantes: opção de curso e instituição, cursos, idade, sexo, período cursado, grau de instrução de pai e mãe, renda familiar mensal e autopercepção do RA. Dados relativos ao RA foram obtidos no banco de dados institucional, considerando o Coeficiente de Rendimento, estimado pela média de todas as notas finais obtidas pelo aluno em todas disciplinas cursadas. Participaram 264 estudantes de 19 cursos, com média de idades de 22,25 (DP=5,57) anos, sendo 166 (62.9%) do sexo feminino. A variação de RA foi significativa em relação às áreas de conhecimento, sexo, faixa etária e autopercepção do rendimento. Não foi significativa quanto ao grau de instrução de pai e mãe, quando segmentados em todos os níveis, entretanto, a escolaridade da mãe torna-se relevante quando estratificada a partir dos oito primeiros anos de escolaridade.  Os resultados permitem inferir que os alunos possuem uma correta percepção de seu RA e que a construção deste rendimento é multifatorial.  Considerações e implicações para a prática são tecidas com base nos resultados.

Palavras-chave


Rendimento acadêmico; Ensino Superior; autopercepção

Texto completo:

PDF

Referências


ALEMÁN, M. J.; TRÍAS, D.; CURIONE, K. Orientaciones motivacionales, rendimiento académico y género en estudiantes de bachillerato. Ciências Psicológicas, v. 5, n. 2, p. 159–166, nov. 2011.

ALMEIDA, L. et al. Democratização do acesso e do sucesso no ensino superior: uma reflexão a partir das realidades de Portugal e do Brasil. v. 17, n. 3, p. 22, 2012.

ALMEIDA, L. S. et al. Acesso e sucesso no Ensino Superior em Portugal: questões de género, origem sócio-cultural e percurso académico dos alunos. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 19, n. 3, p. 507–514, 2006.

ALVES, A. F. et al. Desempenho Cognitivo na Infância: A Mãe e o Meio Urbano fazem a Diferença. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 32, n. 3, 2016.

ANAZAWA, L. et al. A Loteria da Vida: Examinando a Relação entre a Educação da Mãe e a Escolaridade do Jovem com Dados Longitudinais do Brasil. Policy Paper, v. 22, p. 47, 2016.

ARAÚJO, A. M. Sucesso no Ensino Superior: Uma revisão e conceptualização. Revista de estudios e investigación en psicología y educación, v. 4, n. 2, p. 132–141, 2017.

BACCARO, T. A.; SHINYASHIKI, G. T. Relação entre desempenho no vestibular e rendimento acadêmico no ensino superior. Revista Brasileira de Orientação Profissional, v. 15, n. 2, p. 165–176, dez. 2014.

BARAHONA, P. Factores determinantes del rendimiento académico de los estudiantes de la Universidad de Atacama. Estudios pedagógicos (Valdivia), v. 40, n. 1, p. 25–39, 2014.

BARBOSA, M. L. O. Democratização ou massificação do Ensino Superior no Brasil? | Higher Education in Brazil: democratization or massification? Revista de Educação PUC-Campinas, v. 24, n. 2, p. 240–253, 26 jun. 2019.

BECERRA-GONZÁLEZ, C. E.; MARTÍNEZ, L. M. R. Motivación, autoeficacia, estilo atribucional y rendimiento escolar de estudiantes de bachillerato. REDIE. Revista Electrónica de Investigación Educativa, v. 17, n. 3, p. 79–93, 2015.

BERTOLIN, J. C. G.; MARCON, T. O (des)entendimento de qualidade na educação superior brasileira – Das quimeras do provão e do ENADE à realidade do capital cultural dos estudantes. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior (Campinas), v. 20, n. 1, p. 105–122, mar. 2015.

BORGES, G. F. S.; RIBEIRO, E. A. A expansão da educação superior brasileira a partir dos anos 90: democratização ou massificação? Revista Triângulo, v. 12, n. 1, p. 103–118, 18 abr. 2019.

BRANDT, J. Z. Ensino superior no Brasil: fatores influenciadores no desempenho acadêmico dos alunos de graduação. Tese de Mestrado—Braga: Universidade do Minho, 2017.

CUNHA, S. M.; CARRILHO, D. M. O processo de adaptação ao ensino superior e o rendimento acadêmico. Psicologia Escolar e Educacional, v. 9, n. 2, p. 215–224, dez. 2005.

ELIAS, A.; AZEVEDO, V.; MAIA, Â. Saúde e rendimento académico nos estudantes da Universidade do Minho: percepção de áreas problemáticas. 2009Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2019

FERREIRA, M. Determinantes do Rendimento Académico no Ensino Superior. Revista Internacional d´Humanitats, v. 15, p. 55–60, abr. 2009.

FILIPA ALVES, A. et al. Cognitive performance and academic achievement: How do family and school converge? European Journal of Education and Psychology, v. 10, n. 2, p. 49, 3 jan. 2018.

ILO. Statistics on WagesILOSTAT, 2020. Disponível em: . Acesso em: 10 maio. 2020

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Sinopses Estatísticas da Educação Superior 2018. Brasília: INEP, 2019. Disponível em: . Acesso em: 6 nov. 2019.

ISAZA VALENCIA, L. Estilos de Aprendizaje: una apuesta por el desempeño académico de los estudiantes en la Educación Superior. Revista Encuentros, v. 12, n. 2, 14 nov. 2014.

KUH, G. D.; KINZIE, J.; BUCKLEY, J. A. What Matters to Student Success: A Review of the Literature: Commissioned Report for the National Symposium on Postsecondary Student Success: Spearheading a Dialog on Student Success. [s.l.] Nationa postsecondary education coopetarite, 2006.

MARTINS, I.; MARTINS, I. Educação em Ciências e Educação em Saúde: breves apontamentos sobre histórias, práticas e possibilidades de articulação. Ciência & Educação (Bauru), v. 25, n. 2, p. 269–275, abr. 2019.

NORO, L. R. A. et al. Condições sociais, escolarização e hábitos de estudo no desempenho acadêmico de concluintes da área da saúde. Trabalho, Educação e Saúde, v. 17, n. 2, 2019.

OSTI, A.; ALMEIDA, L. S. Satisfação académica no Ensino Superior. In: ALMEIDA, L. S. (Ed.). . Estudantes do Ensino Superior: Desafios e Oportunidades. Psicologia & Educação. Braga: ADIPSIEDUC, 2019. p. 99–114.

OYARZÚN ITURRA, G. et al. Habilidades sociales y rendimiento académico: una mirada desde el género. Acta Colombiana de Psicología, v. 15, n. 2, p. 21–28, dez. 2012.

PIOTTO, D. C.; NOGUEIRA, M. A. Incluindo quem? Um exame de indicadores socioeconômicos do Programa de Inclusão Social da USP. Educação e Pesquisa, v. 42, n. 3, p. 625–649, set. 2016.

RICHARDSON, M.; ABRAHAM, C.; BOND, R. Psychological correlates of university students’ academic performance: A systematic review and meta-analysis. Psychological Bulletin, v. 138, n. 2, p. 353–387, 2012.

RODRIGUES JÚNIOR, J. F. Avaliação do estudante universitário. São Paulo: Senac, 2009.

SAVIANI, D. A expansão do ensino superior no brasil: mudanças e continuidades. Poíesis Pedagógica, v. 8, n. 2, p. 4–17, 26 abr. 2011.

SOUSA, Z. A. DE S.; FERREIRA, M. A.; MIRANDA, G. J. Teoria da atribuição de causalidade: percepções docentes e discentes sobre os determinantes do desempenho acadêmico. Advances in Scientific and Applied Accounting, v. 1, n. 2, 4 set. 2019.

VALADAS, S. T.; ARAÚJO, A. M. D. DE C.; ALMEIDA, L. S. Abordagens ao estudo e sucesso académico no ensino superior. Revista e-psi : revista eletrónica de psicologia, educação e saúde, v. Ano 4, n. Vol. 1, p. 47–67, jun. 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Praxis

Campus Três Poços - Av. Paulo Erlei A. Abrantes, 1325 - Três Poços
Prédio 3 - Sala 2 (Casarão)
Volta Redonda - RJ - CEP: 27240-560
Tel.: (24) 3340-8400 – Ramal: 8350

Indexado em: