Higienização das mãos: utilização de uma câmara escura luminescente como recurso didático na prevenção do coronavírus

Leonan Guerra, Vanessa candito, Fernando Vasconcellos de Oliveira, Maria Rosa Chitolina Schetinger

Resumo


O conhecimento em higiene consiste na adoção de medidas de proteção, com o intuito de promover a saúde e evitar formas de contaminação por doenças infectocontagiosas. O objetivo desse estudo foi relatar uma experiência pedagógica, sobre o uso de uma câmara escura luminescente por meio de uma atividade lúdica, visando a discussão e à reflexão da importância de higienizar corretamente as mãos para evitar o contágio do Coronavírus e outros micro-organismos infecciosos. Essa atividade foi desenvolvida em uma escola da rede privada, no município de Santa Maria/RS, durante o mês de março de 2020. Os sujeitos dessa atividade foram 26 escolares, pertencentes aos 3° e 4° Anos Iniciais. Foi construída uma câmara escura utilizando uma caixa de papelão e uma lâmpada de luz ultravioleta, além do gel fluorescente feito com o refil de caneta marca texto misturado com gel de cabelo. Para a coleta de dados utilizou-se o diário de bordo do professor, observação participante e uma roda de conversa. Os resultados obtidos evidenciam que a câmara escura é uma proposta inovadora no ensino de ciências, e na prevenção da Covid-19, pois proporcionou a construção do conhecimento, principalmente quando se objetiva a mudança de hábitos de higiene. Percebeu-se que a utilização da câmara escura, como material didático lúdico foi eficaz, pois as crianças tornaram-se multiplicadoras de informações corretas sobre a higienização das mãos ajudando a evitar o contágio do Coronavírus.


Palavras-chave


Coronavírus; Práticas pedagógicas; Câmara escura.

Texto completo:

PDF

Referências


BOGDAN, R. C.; BIKLEN, S. K. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Portugal: Porto Editora, 1994.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Higienização das mãos em serviços de saúde. Brasília: Anvisa, 2007.

BRASIL. Módulo 12: higiene, segurança e educação. Brasília: Universidade de Brasília/MEC, 2008.

CABRERA, W. B. A Ludicidade para o Ensino Médio na disciplina de biologia. 2007. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Educação Matemática) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2007.

CAVALCANTI, E. L. D.; SOARES, M. H. F. B. O RPG como estratégia de problematização e avaliação do conhecimento químico. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, n. 8, p. 255-280, 2009.

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A. P.; PERNAMBUCO, M. M. C. A. Ensino de ciências: fundamentos e métodos. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2009.

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A.; PERNAMBUCO, M. M. Ensino de ciências: fundamentos e métodos. 4.ed. São Paulo: Cortez, 2011.

FERREIRA, G. R.; ANDRADE, C. F. S. Alguns aspectos socioeconômicos relacionados a parasitoses intestinais e avaliação de uma intervenção educativa em escolares de Estiva Gerbi, SP. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v. 38, n. 5, p. 402-405, set-out, 2005.

FERREIRA, E. A.; GODOI, T. R. A; SILVA, L. G. M; SILVA, T. P; ALBUQUERQUE, A. V. Aplicação de jogos lúdicos para o ensino de química: auxilio nas aulas sobre tabela periódica. In: Encontro Nacional de Educação, Ciência e Tecnologia, 1., 2012, Campina Grande. Anais [...]. Campinha Grande: UEPB, 2012.

FREIRE, P. Carta de Paulo Freire aos professores. Estudos avançados, São Paulo, v. 15, n. 42, p. 259-268, 2001.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 50. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2014.

GEHLEN, S. T.; MALDANER, O. A.; DELIZOICOV, D. Momentos pedagógicos e as etapas da situação de estudo: complementaridades e contribuições para a educação em ciências. Ciência & Educação, Bauru, v. 18, n. 1, p. 1-22, 2012.

IERVOLINO, S. A.; PELICIONI, M. C. F. A utilização do grupo focal como metodologia qualitativa na promoção da saúde. Revista Escola de Enfermagem, v. 35, n. 2, p.115-21, jun. 2001.

KRUSCHEWSKY, E. J.; KRUSCHEWSKY, M. E.; CARDOSO, J. P. Experiências pedagógicas de educação popular em saúde: a pedagogia tradicional versus a problematizadora. Revista de Saúde.com, v. 4, n. 2, p.160- 176, 2008.

MELO, M. C. H.; CRUZ, G. Roda de conversa: uma proposta metodológica para a construção de um espaço de diálogo no ensino médio. Imagens da Educação, v. 2, n. 4, 2014. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/ImagensEduc/ article/view/22222/pdf_5. Acesso em: 21 maio 2020.

MINAYO, M. C. de S. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: 2001, Vozes.

MINNAERT, A. C. S. T.; FREITAS, M. C. S. Práticas de higiene em uma feira livre da cidade de Salvador (BA). Ciência & Saúde Coletiva, v. 15, p. 1607-1614,

MOREIRA, B. L. da R. et al. Educação sexual na escola: implicações para a práxis dos adultos de referência a partir das dúvidas e curiosidades dos adolescentes.

Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 10, n. 1, p. 64-83, 2011.

MUENCHEN, C.; DELIZOICOV, D. A construção de um processo didático-pedagógico dialógico: aspectos epistemológicos. Revista Ensaio, Belo Horizonte, v. 14, n. 3, p. 199-215, 2012.

SÁ-SILVA, J. R. et al. Escola, educação em saúde e representações sociais: problematizando as parasitoses intestinais. Pesquisa em Foco, v. 18, n. 1, p. 82-95, 2010.

SILVA, C. S. Escola Promotora de Saúde: uma visão crítica da Saúde Escolar. In: Sociedade Brasileira de Pediatria - Departamento Científico de Saúde Escolar. Cadernos de Escolas Promotoras de Saúde – I, p. 14-20, 1997.

SILVA, A. F. G. A construção do currículo na perspectiva popular crítica: das falas significativas às práticas contextualizadas. 2004. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2004.

SILVA T. V; LEDA L. R. Intervenções educativas sobre parasitoses intestinais: aplicação de um jogo para alunos do ensino fundamental. Saúde & Amb. Rev., Duque de Caxias, v. 7, n. 2, p. 23-07, jul-dez, 2012.

SOLDATI, M. Capoeira: prevention et mediation educative auprès de jeunes en situation de risque au Brésil. Genova: Universidade de Genova, Memória de Licenças, 2005.

TAVARES, M. F. L.; ROCHA, R. M. Promoção da Saúde e a Prática de Atividade Física em Escolas de Manguinhos – Rio de Janeiro. In: Ministério da Saúde. Escolas promotoras de saúde: experiências do Brasil. Brasília: Ministério da Saúde/Organização Pan-Americana da Saúde, n. 6, 2006.

WENDLING, C. M.; CAMPOS, S. D. Análise dos Registros em Diário de Bordo sobre Alfabetização. In: SEMINÁRIO REGIONAL DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES E MOSTRA DE EXPERIÊNCIAS E VIVÊNCIAS PEDAGÓGICAS, 3., 2013, Presidente Prudente. Anais [...]. Presidente Prudente, 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Praxis

Campus Três Poços - Av. Paulo Erlei A. Abrantes, 1325 - Três Poços
Prédio 3 - Sala 2 (Casarão)
Volta Redonda - RJ - CEP: 27240-560
Tel.: (24) 3340-8400 – Ramal: 8350

Indexado em: