Ensino da Prática Semiológica Pediátrica na Enfermagem: Desafio para o Docente

Rosane Belo Carvalho de Castro, Márcia Ribeiro Braz

Resumo


Trata-se de um estudo numa abordagem qualitativa, que objetivou identificar, no discurso de acadêmicos de enfermagem, quais os fatores que dificultam a realização do exame físico e estratégias utilizadas para a abordagem da criança. A população deste estudo foi constituída de 26 alunos do curso de graduação em enfermagem que cursam o 7° período. O instrumento para coleta de dados foi um questionário com duas questões abertas. Como resultado, verificou-se que um grande número de sujeitos da amostra relatou a necessidade de um treinamento em exame físico pediátrico antes de irem para o campo de estágio, que se sentem inseguros para comunicar com a criança e cuidador. Os resultados também demonstraram que os acadêmicos realizam a apresentação e orientação sobre o procedimento do exame físico, mas, poucos relataram o uso do brinquedo como elemento facilitador na abordagem da criança, assim como a participação do cuidador para favorecer o processo da interação. Cabe ao docente programar estratégias de ensino que conduzirão à melhor participação do acadêmico no exame físico pediátrico.


Palavras-chave


Enfermagem pediátrica, Semiologia, Educação em enfermagem.

Texto completo:

PDF

Referências


ALARCÃO, I. RUA, M. Interdisciplinaridade, estágios clínicos e desenvolvimento de competências. Texto Contexto Enferm2005 ju-set; 14(3): 373-82 •.

ALMEIDA, MFPV. FIGUEIREDO, NMA. NASCIMENTO, MAL. ALMEIDA, BA. Cuidados para crianças e adolescentes hospitalizados in Práticas de Enfermagem, Ensinando a cuidar da criança. São Paulo: Difusão, 2003.

BRÊTAS JRS, QUIRINO MD, SILVA CV, SABATÉS AL, RIBEIRO CA, Borba RIH, Almeida FA. Manual de exame físico para a prática da enfermagem em pediatria. São Paulo: Iátria; 2005.p.19-30.

CALIL, NA. PARANHOS, WY. O enfermeiro e as Situações de Emergência. São Paulo: Atheneu, 2007 de Enfermagem Pediátrica. - Goiânia: Editora AB, 2002.

COLLET, N. OLIVEIRA, BRG. Manual de Enfermagem Pediátrica. Goiânia: Editora AB, 2002.

HAMILTON, G.D.P. Exame físico: uma face reveladora do cuidado humano In: Manual de exame físico para a prática da enfermagem em pediatria. São Paulo: Iátria; 2005.p.19-30.

LYNN S. BICLKLEY, PETER G. SZILAGYI. Bates Propedêutica Médica. 8 ed. Rio de Janeiro:Ed. GuanabaraKoogan S.A; 2005. SANTANA, JC. KIPPER, DJ. FIORE,

RW. Semiologia pediátrica. Porto alegre: Artmed, 2002.

POTTER, Patrícia; PERRY, Anne; Fundamentos de enfermagem.

Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.

RAVELLI, AP; MOTTA, MGC; O lúdico e o desenvolvimento infantil: um enfoque na música e no cuidado de enfermagem. Revista Brasileira de Enfermagem. Vol.58 nº5 Brasília Sep. /oct. 2005.

SIGAUD, CHS. VERÍSSIMO, MR. O cuidado de Enfermagem à Criança e ao Adolescente. E.P.U-Editora Pedagógica e Universitária Ltda., São Paulo, 1996. e

SOUZA, V.D.de BARROS, ALB. De. O ensino do exame físico em escolas de graduação em enfermagem do município de São Paulo. Ver. Latino-am. Enfermagem. Ribeirão Preto, v.6, n.3, p.11-22, julho1998.

TEIXEIRA, E. As três metodologias: acadêmica, da ciência e da pesquisa. 3.ed.Petrópolis,RJ: Vozes, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Praxis

Campus Três Poços - Av. Paulo Erlei A. Abrantes, 1325 - Três Poços
Prédio 3 - Sala 2 (Casarão)
Volta Redonda - RJ - CEP: 27240-560
Tel.: (24) 3340-8400 – Ramal: 8350

Indexado em: