Atividade biológica de extrato de Camellia sinensis

Autores

  • L. E. S. S. Irineu UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda
  • K. C. A. S. Borges UniFOA – Centro Universitário de Volta Redonda

DOI:

https://doi.org/10.47385/cadunifoa.v7.n1%20Esp.1710

Palavras-chave:

Chá verde, fitopatógeno, alelopatia

Resumo

O chá verde é conhecido mundialmente e se tornou a segunda bebida não alcoólica mais consumida no mundo, pelos seus efeitos benéficos, onde pode se relacionar o hábito de consumo desse chá com sinônimo de boa saúde. O chá verde é extraído da planta Camellia sinensis, que é de origem asiática, onde é consumida a milhares de anos, trazendo longevidade aos seus consumidores. Dentre as substâncias presentes no chá verde temos os flavonóides, onde 90% destes flavonóides correspondem às catequinas. As catequinas encontradas no chá verde são: epicatequina (EC), epigalocatequina (EGC), galato-3-epicatequina (ECG) e o galato-3-epigalocatequina (EGCG) que está presente atuando em praticamente todos os efeitos benéficos relacionados ao consumo deste chá. De acordo com vários estudos, o chá verde possui vários efeitos farmacológicos benéficos à saúde humana, assim como o seu efeito antimicrobiano. Porém, não há trabalhos que investiguem se o extrato da Camellia sinensis faz efeito sobre micro-organismos fitopatogênicos e efeitos alelopáticos sobre outros vegetais. Este trabalho tem como objetivo testar se o extrato de Camellia sinensis afeta o crescimento de bactérias fitopatógenas, bem como, avaliar se esta planta possui efeito alelopático sobre outras plantas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-10-30